Urussanga – Vereadores votam pedido de Comissão Processante

Neste 1º de Fevereiro atenção popular volta-se para o legislativo


A primeira sessão do legislativo urussanguense, que acontece neste 1º de fevereiro, deve ser bastante agitada e tornar-se histórica.

Isso porque está na Ordem do Dia as duas representações protocoladas pelo ex-prefeito e atual presidente do MDB de Urussanga – Vanderlei Olívio Rosso, o qual, representando o Movimento Democrático Brasileiro do Município de Urussanga, pede a instituição e constituição de Comissão de Investigação e Processante, com o objetivo de apurar denúncia de possível prática de infrações político-administrativas por parte do prefeito afastado Gustavo Cancellier.

Outra representação do MDB de Urussanga e que é inédita na história político-administrativa de Urussanga, foi para instituição e constituição de Comissão de Investigação e Processante, com o objetivo de apurar denúncia de possível prática de condutas incompatíveis com o decoro parlamentar por parte dos vereadores Fabiano Murialdo De Bona (PSDB), Odivaldo Bonetti (PP) e Rozemar Sebastião (PDT), atualmente afastados de seus cargos.

No mesmo dia, o ex-vereador Júlio Bonetti também protocolou uma representação para instituição e constituição de Comissão de Investigação e Processante, com o objetivo de apurar denúncia de possível prática de infrações político-administrativas por parte do prefeito afastado Gustavo Cancellier.

Há quase 9 meses afastado do cargo, prefeito Gustavo enfrentará a segunda tentativa de formar Comissão Processante para apurar denúncias de possíveis irregularidades que o mantém longe da PMU por decisão judicial após a Operação Benedetta, deflagrada pela Polícia Federal ainda em maio de 2021.

A primeira tentativa, que foi feita pelo ex-vereador Júlio Bonetti em setembro de 2021, levou muitas pessoas à sede da Câmara Municipal e, na ocasião, a sessão foi encerrada pelo então presidente Odivaldo Bonetti logo após a votação, o qual considerou tumulto as manifestações populares de repúdio aos vereadores que votaram contra a instauração da referida Comissão.

Nesta terça-feira 1º/02, a exemplo do que aconteceu no ano passado, populares lá estarão novamente para acompanhar o trabalho dos vereadores, obviamente para ver “olho no olho” a postura de cada edil.