Urussanga - vereadores registram Boletim de Ocorrência contra vereador

Da esquerda p/direita, Sérgio Costa, vereadores Erotides Borges Filho, Ademir Bonomi, Robertina Goulart Nunes, Fabiano De Bonna, Elson Roberto Ramos e Luan Varnier



Na tarde desta quinta-feira 25/08, os vereadores urussanguenses Elson Roberto Ramos - presidente da Mesa Diretora, Luan Varnier, Fabiano De Bonna, Robertina Goulart Nunes, Ademir Bonomi e Erotides Borges Júnior- Tidinho estiveram na delegacia de Polícia da Comarca de Urussanga.

Entrevistados pela reportagem de Panorama SC, os vereadores afirmaram que foram até o local para registrar um Boletim de Ocorrência contra o vereador suplente Gilson Casagrande.

O motivo do BO é um áudio com a voz de Casagrande que circulou em conversas de whatsapp, no qual os vereadores que foram até a delegacia foram chamados de vagabundos por não terem aprovado um pedido de Utilidade Pública a um grupo de trilheiros urussanguenses.

Segundo Erotides Borges Filho, “ a Associação Trilheiros Lamas Na Veia fez uma reivindicação de um espaço no Parque Municipal, parece que foi uma promessa de uma candidata a vereadora, para que eles pudessem ter seu espaço durante as festas, como meio de arrecadação de recursos. Nós esperávamos que o vereador que colocou este projeto pedindo o benefício de Utilidade Pública desse sustentação a esta reivindicação, explicando de que forma esta associação privada utilizaria os recursos e se eles já fizeram ou iriam fazer algo em relação a filantropia. Nós ficamos surpresos porque, ao invés de fazer esta defesa na Câmara, o vereador colocou um áudio e saiu espalhando uma metralhadora colocando todos os vereadores que votaram contra, numa situação constrangedora, afirmando que somos contra o esporte.

Nós não somos contra o esporte, mas o vereador proponente da Utilidade Pública, não deu nenhuma explicação plausível de que forma esta concessão traria benefícios para o esporte no município. Ele saiu falando palavras de baixo calão,e eu sei que o vereador pode fazer, a Lei permite. Mas não da forma como foi feito, e por isso viemos na delegacia registrar o BO” explicou Tidinho.

Já o presidente da Câmara Elson Roberto Ramos - Beto Cabeludo, disse que se sentiu prejudicado e ofendido pelas palavras do vereador suplente Gilson Casagrande, principalmente porque, na condição de Presidente da Mesa Diretora, ele nem havia participado da referida votação.

“Nós vivemos numa democracia e devemos exercê-la com respeito e sem cometer injustiças. Este áudio que circulou nos whatsapp parece ter o único intuito de colocar a população contra os vereadores, numa atitude tipicamente política e partidária. Acho que o vereador usou palavras muito fortes para denegrir nossa imagem, de muito baixo calão e por isso, resolvemos vir juntos registrar este Boletim de Ocorrência. Vamos levar para frente, vamos ver no que dá. Temos que fazer isso porque não pode mais em Urussanga ficar gente tentando denegrir a imagem de outros em grupos de whatsapp. Isso tem que acabar”, concluiu o presidente Elson Roberto Ramos.

Vereadores Luan Varnier, Fabiano De Bonna, Robertina Goulart Nunes e Ademir Bonomi também concordam que é preciso tomar providências para que o respeito às pessoas seja regra a ser seguida e para que as instituições não sejam atacadas desta forma, numa tentativa de colocar a população contra aqueles que a representa na Câmara Municipal.


Do áudio

Além de qualificar como vagabundos os vereadores que votaram contra o pedido de Utilidade Pública para a referida associação de trilheiros, o autor do áudio questiona inclusive as Moções de Aplauso que foram entregues na última terça-feira 23/08, aos Policiais Militares que salvaram vidas em um incêndio em Criciúma (um deles de Urussanga e com currículo onde consta uma homenagem da ONU) e também a homenagem feita para a Coopercocal- cooperativa esta que ajuda o Hospital local, APAE, Paraíso da Criança, Festa do Vinho e até os postes empresta para que urussanguenses do interior tenham acesso à internet.