Urussanga - Presidente da CCO presta contas da Festa do Vinho


Presidente da Comissão Organizadora da XX Festa do Vinho, Rangel Quaglioto, participou da sessão ordinária do legislativo urussanguense na noite da terça-feira 20/09 para fazer a prestação de contas do referido evento.

Mostrando conhecimento de causa, até mesmo por estar acostumado a realizar grandes eventos festivos no setor privado como a Feijuru e Festival da Cerveja, Rangel elencou vários pontos que merecem discussão para a realização das próximas edições da Festa do Vinho e afirmou que planejamento é palavra essencial. Seja na administração do Parque Municipal Dr. Ado Cassetari Vieira, hoje sem um Plano Diretor que estabeleça regras de concessão e uso do local, seja na realização de eventos como a Festa do Vinho e Ritorno Alle Origini.

Para Rangel, é preciso parar de terceirizar tudo porque o dinheiro usado pela administração municipal na realização destas festas não pode ser visto como um prejuízo e, sim, como investimentos que geram renda em vários segmentos da sociedade urussanguense.

Segundo o Presidente da CCO da XX Festa do Vinho, é preciso ter coragem de assumir a realização total destes eventos, desde a contratação de artistas para os shows até o estabelecimento de regras para a comercialização de produtos para que se tenha conhecimento e controle sobre a realidade da Festa do Vinho. Um exemplo dado em seu pronunciamento na Câmara, foi a falta de prestação de contas da Associação ProGoethe na última edição, o que não permite termos conhecimento sobre o quanto foi comercializado do produto que dá nome à festa: o vinho.

E esse é, entre tantos, um ponto a ser discutido.

Ao falar sobre números, Rangel explicou que o resultado sobre o que foi arrecadado e o que foi pago pela PMU dá um saldo de R$ 50.466,94.

Para se chegar a este resultado foi considerado o total do lucro das entidades e da receita conseguida - R$ 592.340,77 menos os pagamentos feitos pela municipalidade - no montante de R$ 541.873,83

Evidenciando que o município de Nova Veneza investiu mais de R$ 1 milhão para realizar sua última Festa da Gastronomia, Rangel explicou que considera correto a PMU investir em Festa do Vinho e em Ritorno Alle Origini, mas que isso exige muito planejamento com bastante antecedência para que seja possível buscar em órgãos estaduais e federal os recursos disponíveis para as áreas de cultura e turismo.

Além disso, Rangel afirmou que não concorda com os preços absurdos dos passaportes, é favorável ao retorno de realização da referida festa bi anualmente e que os ingressos devem ter preço acessível para que todos possam participar.

Elogiado por sua coragem em assumir a responsabilidade de fazer acontecer a XX Festa do Vinho e assumir a Presidência da CCO apenas 45 dias antes da realização do evento, Rangel agradeceu os que compuseram a Comissão Organizadora, aos seus familiares e a todos que, direta ou indiretamente, colaboraram.

Sugerindo que o Poder Legislativo organize evento para que os moldes das festas urussanguenses com a marca do Poder Público sejam discutidos, Rangel afirmou que os problemas existem, “tem gente, tem solução. Mas não tem ação”.