top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Urussanga - pré lançamento do Festival Enogastronômico e Vindima

Vinícola Caruso Mac Donald foi o cenário escolhido para celebrar a

chegada da 15ª Vindima Goethe e 2ª Benedetta Cucina, que acontecem em janeiro



Em meio a paredes e tanques históricos da centenária Vinícola Giuseppe Caruso Mac Donald, uma noite de encanto e mergulho na cultura e enogastronomia urussanguense foi proporcionada para autoridades, imprensa e convidados nesta segunda-feira, 12 de dezembro. O local foi palco para o pré lançamento da 15ª Vindima Goethe e 2º Benedetta Cucina, que acontece de 13 a 29 de janeiro de 2023, em Urussanga. O evento é uma realização do Governo Municipal através das Diretorias de Turismo e Cultura, em parceria com o Sebrae/SC, Vales da Uva Goethe, Festival Gastronômico Benedetta Cucina, e Associação Pró Goethe. E conta ainda com o apoio especial da Epagri e Santa Catarina Origem.

"Foi a concretização de um sonho, para uma urussanguense nata, ver essa festa linda acontecer. Meu coração explode de alegria ao perceber que todos puderam sentir um pouquinho do que é o nosso amor por Urussanga. A receptividade que o município sempre teve, o amor, a comida, sentir o nosso terroir, deste a uva, vinhos e sucos, até a gastronomia", destaca a diretora municipal de Turismo, Renata Savi Mondo.

Para a diretora, que desde criança foi criada neste meio, com as nonas cozinhando, conversando e o nono no parreiral, contemplar a união enogastronômica é um enorme prazer. "Poder unir essas duas jóias que temos em Urussanga é magnífico. O turismo e a cultura só têm a ganhar", completa, lembrando da importante parceria com o Sebrae Santa Catarina.

Segundo a gerente regional de projetos Sebrae/SC, Juliana Ghizzo, são três anos de trabalho com a conhecida Capital Catarinense do Bom Vinho. "Hoje Urussanga já tem agência receptiva, está formatando produtos. Eu sempre falo que é importante a gente organizar a cadeia de turismo para podermos ter produtos para entregar para os turistas. Existe toda uma história, uma construção do produto Uva Goethe, mas se o turista não tem acesso e não consegue comprar, não é um produto e não conseguimos transformar isso em renda para o município", explica.

Juliana lembra que a Vindima já é um produto consolidado, chegando a 15ª edição, e agora, unindo-se à gastronomia, ganha ainda mais força. "O turista não vem para cá só para beber vinho, ele vai comer, dormir, passear, pisar na uva. Temos uma agência que está organizando esse receptivo, temos restaurantes pensando em pratos e funcionando no mesmo momento. Assim, temos a construção desse storytelling, e podemos transmitir essa história viva, que precisa ser contada", garante.

Durante o pré lançamento, os convidados puderam saborear os pratos especiais que serão servidos durante o Festival Gastronômico, bem como os deliciosos vinhos, frisantes e sucos produzidos através da Uva Goethe. Durante o festival, em janeiro, o roteiro turístico contará com sete pontos gastronômicos e duas vinícolas que também aderiram à gastronomia.




A cultura de saborear

Em sua segunda edição, o Festival Gastronômico Benedetta Cucina, traz uma releitura dos pratos tradicionais da cultura urussanguense, em uma união com o bom vinho e a uva Goethe. Para a porta-voz do grupo, e proprietária da Vinícola Mazon, Patricia Mazon, a segunda edição chega para consolidar o trabalho da equipe. "É um processo de formiguinha que vai crescendo a cada ano. A primeira edição contou com cinco restaurantes, e agora, já estamos em nove, sendo que além da nossa Vinícola, mais uma aderiu à gastronomia, que é a Trevisol", conta a empresária.

Do ponto de vista econômico, para Patrícia, esse é o segredo do turismo: ele divide a renda que vem de fora do município e circula em toda cadeia produtiva. "Ao lado do vinho vem a gastronomia, os fornecedores, os insumos gerados aqui; a auto estima do município se eleva, o setor de hotelaria também se incrementa. Há toda uma cadeia que recebe esse recurso, através do orgulho de mostrarmos a nossa identidade. É sabermos o nosso diferencial, a nossa posição no mercado turístico nacional, através da identidade dos vales da uva Goethe, que não é só feita através dos vinhos, frisantes e espumantes, mas dos pratos que vão a mesa harmonizados com eles", complementa.


O contato com a uva

Para o presidente da Pró Goethe e do Conselho Municipal de Turismo de Urussanga, Gilmar Trevisol, a Vindima eleva o nome da cidade e das vinícolas nesse período onde é realizada a safra, a colheita da uva. "É um momento de celebrar o produtor que trabalha o ano todo na produção da uva, para garantir que ela esteja em um ótimo estágio para a colheita em janeiro. A Vindima é uma forma de celebrar as mãos que colhem e atrair os turistas para acompanhar esse processo. O visitante vem e pode ver a uva no pé, saber mais sobre a produção, sobre essa variedade rara, típica e única que só existe na nossa região, que é a Goethe", ressalta.

Ele conta que as pessoas ficam encantadas com essa variedade, e garante que nesta nova edição, os visitantes poderão ter a oportunidade de tocar na uva, pegar um grãozinho do cacho, saborear e depois acompanhar o processo de produção. "Essa é a única época em que esse contato com a uva e a produção do vinho é possível, já que essa colheita ocorre uma vez ao ano. O turista poderá vivenciar a sensação de colher, até pisar nos grãos, dentro da nossa programação", adianta o presidente.

A programação completa deve ser divulgada em breve nas redes oficiais da Prefeitura de Urussanga, Vales da Uva Goethe e Festival Benedetta Cucina.


A primeira grande Vinícola

O cenário escolhido para o pré lançamento do Festival Enogastronômico foi a Caruso Mac Donald, maior vitivinícola da década de 30 e 40 no estado de Santa Catarina e uma das maiores do Brasil. Os vinhos produzidos nela, chegaram a ser servidos no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. "Hoje a gente pode ir lá atrás e resgatar essa história, isso para mim não tem preço. Se o jornalista Giuseppe Caruso Mac Donald, não tivesse construído isso e introduzido a uva Goethe na região, hoje não estaríamos aqui contando tudo, produzindo um vinho Goethe. Foi graças a ele lá atrás, no início do século XX, que isso se tornou possível", destaca a diretora municipal de turismo, Renata Savi Mondo.

No espaço da vinícola, hoje desativada, as pessoas podem conferir de perto, os grandes tanques de tijolos, que já conservaram milhares de litros de vinho em sua história. Patrícia Mazon, explica que os tanques são uma marca dos Vales da Uva Goethe.

"Eles remetem as ânforas, quando os vinhos eram acondicionados no antigo império romano e cultura grega. Vinícolas em atividade em Urussanga possuem esses tanques pela amplitude térmica, pois a uva não gosta de mudanças de temperatura, e essa parede grossa como se fosse uma fortificação, antigamente revestida com cera de abelha e parafina, e hoje com uma tinta impermeabilizante, é a refrigeração mais sustentável que a gente conhece e isso mantém o vinho sempre em uma temperatura adequada. Um vinho branco, que chega à mesa e ao paladar de todos com muita alegria", finaliza.

Comentarios


bottom of page