Urussanga - campanha do Cirsures e DMA recolhe lixo eletroeletrônico


Com o slogan “Penso, logo destino” acontecerá nos próximos dias 23 e 24 de setembro a campanha da Diretoria de Meio Ambiente do município de Urussanga e Cirsures.

Objetivo é a coleta de pilhas, lâmpadas e eletroeletrônicos.

A ação contará com pontos de coleta em escolas, bairros e na Praça Anita Garibaldi e faz parte de uma campanha do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), intitulada “Penso, logo destino”.

“Não para de crescer o volume de lixo, que nós, humanos, produzimos no dia a dia. Não obstante, há uma fração considerada tóxica por conter metais pesados, químicos reativos em sua composição. Por isso, essa campanha é de extrema importância, pois visa retirar do meio ambiente e de aterros, produtos que podem ser prejudiciais para o meio ambiente, e em uma cadeia de consequências, prejudicar também a vida da população”, explica o Diretor da DMA, Marcio Moreira.

Este tipo de evento integra a política de Logística Reversa, que engloba todos os procedimentos de pós-venda ou pós-consumo que garantem o reaproveitamento ou o descarte correto dos resíduos de produtos utilizados pelos consumidores.

“Outros itens integram a campanha de coleta e destinação correta dos materiais, mas nesta primeira etapa, serão recolhidos apenas lâmpadas, pilhas e eletroeletrônicos”, afirma Moreira.


Cronograma

A ação foi dividida em duas etapas. A primeira, na sexta-feira (23), contemplará pontos espalhados nos bairros, e contará com a entrega de materiais voltados ao tema. “Todas as escolas de Urussanga terão pontos de coleta, para que profissionais, estudantes e familiares, bem como a comunidade, possa já realizar o descarte desses lixos eletrônicos, pilhas e lâmpadas. Ao final do dia, a DMA, junto do Cirsures, passará recolhendo tudo, para dar a destinação correta. No mesmo dia, uma equipe estará na Praça Anita Garibaldi, recebendo os materiais e explicando sobre a campanha”, ressalta o diretor da DMA.

No sábado (24), a ação no Centro continua.

“Além de tirar dúvidas e recolher os materiais, mudas de plantas nativas estarão sendo entregues para quem colaborar com a ação”, garante Moreira.

Na sexta, os trabalhos na praça Anita Garibaldi, ocorrem das 8h30 às 11h30 e das 13h às 17h.

Já no sábado, será das 8h30 às 12h. “Vá até um ponto, destine. Se livre do lixo indesejado e ajude o meio ambiente. A saúde e a natureza do futuro dependem das nossas ações no presente”, finaliza.


SAIBA MAIS


Números do Monitor Global de Lixo Eletrônico 2020, da Organização das Nações Unidas (ONU), dão conta de que no mundo mais de 53 milhões de toneladas de equipamentos eletroeletrônicos e pilhas são descartadas de forma incorreta.

Ao mesmo tempo, o Brasil é o quinto país do planeta e o primeiro da América Latina que mais produz esse resíduo. Dados de pesquisa ainda do ano de 2018 mostram que a cada ano o Brasil descarta cerca de 97 mil toneladas métricas de computadores; 2,2 mil toneladas de celulares; 17,2 mil toneladas de impressoras. Certamente, estes números são bem maiores atualmente.

Segundo o relatório da Universidade das Nações Unidas, em nosso território foram descartadas, em 2019, mais de 2 milhões de toneladas, sendo que menos de 3% desse volume foi reciclado.


Por que o descarte consciente?


O incessante desenvolvimento de novas tecnologias acabou criando um estímulo ao consumismo e à aquisição de novos equipamentos.

E isso vais desde comprar o último lançamento de smartphone, substituir a antiga TV por uma digital ou, ainda, adquirir aquela geladeira cheia de funções.

Até aí o saldo é positivo para que a indústria venda e garanta o emprego de milhares de pessoas. Todavia, a maioria das pessoas não sabem o que fazer com os aparelhos antigos ou não tem condições de descartá-los adequadamente.

É preciso enfatizar que esse lixo eletrônico (celulares, televisores, computadores, tablets, lâmpadas de LED, baterias e pilhas) deve ser descartado em locais apropriados e não deve se misturar ao lixo comum., pois possuem substâncias químicas como chumbo, cádmio, mercúrio, berílio, entre outras, provocando contaminação do solo e da água. É isso mesmo que você acabou de ler ! Além disso, as pessoas que entram em contato direto com esses equipamentos também podem ser contaminadas.

Ao descartar um material de maneira correta, além de preservar o ambiente, permitimos sua reutilização em outros segmentos, contribuindo para capacitação de profissionais, aumento de empregos e melhoria na educação ambiental.