top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Urussanga - Câmara decidirá futuro do mandato de prefeito e de vereadores afastados

Trabalhos das Comissões Processantes abrem a possibilidade de prefeito Gustavo e vereadores Taliano, Bonettinho e Fabiano perderem seus mandatos


A instalação de duas Comissões Processantes ao mesmo tempo na Câmara de Urussanga, é algo inédito na história político-administrativa do município.

Urussanguenses, que nunca viram um Prefeito e três de seus vereadores eleitos serem afastados num mesmo mandato por decisão judicial, agora acompanharão os trabalhos das Comissões que têm prazo de 90 dias para serem concluídos.

A pressão popular, advinda do descontentamento com as suspeitas criadas por denúncias que culminaram em operações policiais tanto no Executivo quanto no Legislativo, aliada ainda à revolta de os contribuintes estarem vendo seus impostos irem para pagamento de salários para dois prefeitos (um no exercício do cargo e outro afastado por decisão judicial após Operação Benedetta em maio do ano passado) e para mais três vereadores, haja vista que os titulares Odivaldo Bonetti, Rozemar Sebastião e Fabiano De Bona foram afastados por decisão judicial após Operação Hera em dezembro de 2021, certamente provocou a fase que Urussanga passa a viver a partir desta semana.

Daqui em diante, a expectativa é de que as Comissões Processantes atuem dentro das linhas democráticas, seguindos os trâmites normais definidos na legislação, os envolvidos apresentem suas defesas , testemunhas sejam ouvidas e a transparência valide o resultado destas investigações.


Das Comissões

Com os 5 votos a favor dos vereadores Braz Ciseski(PSDB) Luan Varnier e Ademir Bonomi (MDB), Erotides Borges (PDT) e Daniel Moraes (PSD), os 2 contrários dos vereadores Thiago Mutini e José Carlos José (Zé Biz) ambos do PP e uma abstenção da vereadora Izolete Vieira(PP), foi aprovada a instauração de uma Comissão Processante para analisar as denúncias apresentadas contra o prefeito afastado Gustavo Cancellier.

A Comissão ficou assim constituída: Braz Ciseski/PSDB -Presidente, Luan Francisco Varnier/MDB-Relator e Thiago Mutini/PP-Membro.

Já a Comissão que irá analisar se houve quebra do decoro parlamentar dos três vereadores afastados pela Justiça também teve a mesma votação e ficou assim constituída: Daniel Moraes PSD- Presidente, Ademir Bonomi MDB- Relator e José Carlos José PP como Membro.

Comments


bottom of page