Tommaso - o descendente de urussanguenses que salvou a Princesa italiana

Peça teatral relata lenda do mágico Pizzocco e ganhou prêmio em concurso da Região do Veneto


Na foto acima, os alunos que participaram da peça teatral com suas professoras, aos pés do Monte Pizzocco.


O movimento contrário ao feito pelos imigrantes italianos que colonizaram Urussanga no século 18 já tem, na distante e amada Itália, uma geração que completa o Ritorno Alle Origini.

Prova disso é o casal urussanguense Losane Zolane De Lorenzi e James Ricardo Mazzucco, naturais da localidade de Palmeira do Meio, que vive há 15 anos na Região do Vêneto e tem dois filhos nascidos na pátria de seus bisavós.


Moradores da pequena e milenar cidade de Sedico, na província de Belluno, Losane e James viveram recentemente a emoção de ver o filho mais velho formar-se no maternal da Escuola Dell’infazia Don Modesto Sorio Sedico Bribano e ser destaque a nível nacional pelo seu talento.

Acontece que o primogênito do casal - Tommaso Mazzucco, foi o personagem principal de uma história que envolveu 21 alunos e as professoras Paola Galliani,

Federica De Col e Marilva Triches na peça teatral gravada em vídeo para participar do concurso Dall’Unpli Veneto “Tutela,Valozzazione e Promozione del Patrimonio Linguistico e Culturale Veneto.

Vencedores do 1º lugar na categoria mistérios e lendas, os alunos do jardim de infância “Don Modesto Sorio” garantiram o prêmio de 600 euros para sua escola e muita felicidade aos pais, que os viram em páginas de revista, jornais e na TV Belluno.

Entrevistados pela reportagem de Panorama SC, Losane e James afirmaram estar muito felizes com a oportunidade que o filho Tommaso teve em interpretar o personagem principal de uma história que faz parte dessa comunidade italiana há séculos.

E, nesta matéria que ocupa as páginas centrais, Panorama SC homenageia os urussanguenses que estão escrevendo suas histórias na terra dos imigrantes que colonizaram Urussanga e, mais que isso, registra o fenômeno cada vez maior do retorno dos descendentes para a terra de seus nonos.


Da lenda


Conta a lenda que, no antigo Sedico vivia uma linda princesa com olhos azuis e um sorriso contagiante, que levava alegria a todos e era amada por seus súditos.

Muitos rapazes queriam conquistá-la, mas a princesa ainda não tinha encontrado quem preenchesse seu coração.

Acontece que um velho mago chamado Pizzocco, mal educado e arrogante, que desfilava com seu vestido branco de renda e vasto bigode a fazer maldades por todo lugar, acabou se apaixonando pela Princesa.

Tendo sido rejeitado, Pizzocco a sequestrou e a levou para um monte que fica próximo a Sedico.

Temerosos com os poderes mágicos de Pizzocco, os habitantes de Sedico pediram ajuda aos moradores de outras aldeias, mas ninguém tinha coragem de enfrentar o malvado mago.

Até que um dia um jovem e humilde agricultor, que ficou conhecido por Contadino, resolveu enfrentar o mago e salvar a princesa que ele tanto amava.

A única arma que ele tinha era um machado, mas tão bem polido e cuidado que podia-se ver o reflexo do próprio rosto nele. Com o machado em mãos ele iniciou sua caminhada pela montanha e, vendo sua amada presa em um lugar estreito da cadeia de montanhas, tentou se esconder e bolar um plano para salvá-la. Mas o mago o viu pela sua bola de cristal e seguiu pelo desfiladeiro para jogar no Contadino seu feitiço de fazer as pessoas virarem pedra.

Acontece que o Contadino utilizou o machado como espelho e o mago acabou virando a pedra que hoje é o ponto que se destaca no Monte Pizzocco.



Nas fotos acima, a igreja da cidade de Sedico, vista parcial do Monte Pizzocco e o detalhe onde seria o corpo petrificado do Mago e o descendente de urussanguenses atuando como salvador da princesa.