top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Tidinho revela que Urussanga não perdeu no Fundo de Participação dos Municípios


Na sessão legislativa da última terça-feira 27/02, o vereador Erotides Borges Filho - Tidinho, afirmou que a administração municipal não pode colocar na queda do Fundo de Participação dos Municípios, a culpa de sua ineficiência em vários setores .

Tidinho lembrou que solicitou informações à prefeitura sobre o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Fui informado na época que as demissões e contenções de despesas, inclusive, privando os cidadãos de serviços básicos como exames e fechando postos de saúde se devia a queda no FPM”, afirmou. O vereador apresentou os dados mensais do repasse do Fundo de participação dos Municípios de 2023.

“Falaram tanto da queda no FPM, mas podem procurar outra desculpa, se analisarmos o melhor mês em relação ao pior, temos uma diferença de 65 mil reais, será que foi isso que causou todo este desconforto no caixa? Um valor irrisório se comparado ao que foi gasto na festa do Vinho e no Ritorno, ou o real motivo seria a contratação de 150 funcionários a mais com o custo de 750 mil ao mês e nove milhões ao ano? Ou na compra de mais de um milhão em veículos? ou ter dobrado o gasto com publicidade de 300 para setecentos mil?, às vezes é fácil entender porque o Jair Nandi deixou 12 milhões no caixa e hoje estamos discutindo por causa de 65 mil reais”, explicou.

Erotides informou que somente com as taxas de inscrição do concurso público foram arrecadados mais de 250 mil reais.

“Caiu somente 65 mil reais no Fundo de Participação dos Municípios, mas o valor arrecadado no concurso é quatro vezes maior, e o que é pior, não chamou nenhum aprovado, estão enrolando o Ministério Público”, cobrou. Erotides disse que quando as contratações são meramente políticas surgem fatos como o que aconteceu numa escola, onde auxiliares de limpeza reclamaram que uma nova funcionária não estava colaborando com o trabalho. “A resposta dada foi que ela não precisava se esforçar porque era irmã de vereador, logo após ela foi transferida, será que agora ela está desempenhando seu trabalho? Será que somos nós os vereadores de oposição que temos que tomar vergonha na cara? ”, destacou.

O vereador reiterou que o Fundo de Participação dos Municípios voltou ao normal e cobrou medidas da prefeitura que são aguardadas pela população.

“ Vai ser reaberta a unidade satélite de saúde no centro? Serão contratados os especialistas necessários? Irão voltar atrás nas emendas impositivas e pagarão aquilo que é de direito ou vão prejudicar o Hospital Nossa Senhora da Conceição e as Associações do Município? Virou uma bagunça, quando quem manda perde a vergonha, quem obedece perde o respeito”, registrou. Erotides disse ainda que não faz sentido as demissões, o não pagamento das emendas impositivas, o atraso com os fornecedores e a repentina falta de recursos.

Comentarios


bottom of page