top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Tidinho relembra promessas que não foram cumpridas pelo atual prefeito de Urussanga




Erotides Borges Filho -Tidinho, fez uma retrospectiva do pacote de obras prometido e não entregue à população pela atual administração municipal de Urussanga.

De acordo com o vereador, um dos projetos apresentados pelo prefeito seria a construção no Parque Municipal de uma réplica do Coliseu de Roma e Arcos de Constantino.

“A estrutura teria capacidade para milhares de pessoas e abrigaria um cinema com realidade virtual e mais um ano se passou e nós vereadores, assim como os demais moradores de Urussanga, ficamos na expectativa de assistir um espetáculo no Coliseu Municipal e sermos beneficiados pelas demais promessas, a vida realmente não é um conto de fadas, mas sim, um conto de fatos”, afirmou.

 

“Imaginem se todas as promessas tivessem sido cumpridas, o pessoal do interior que não pudesse estar presente na inauguração do Coliseu poderia acompanhar pela internet rural, isso foi promessa, os aprovados no concurso público estariam em seus postos e presença garantida no espetáculo, promessa, as entidades e associações teriam recebido as emendas impositivas e estariam tranquilas para prestigiar o espetáculo, em caso de feridos durante as apresentações os mesmos seriam atendidos nos postos de saúde com os telhados reformados, mais promessa, caso precisasse levar para outro Município, sem problema, teríamos o carro de viagem para pacientes com motorista, isso também foi prometido”, lembrou Tidinho.

 

O vereador destacou ainda, que o prefeito prometeu e não cumpriu a reforma do telhado do terminal rodoviário, a manutenção e pavimentação de diversas estradas.

“Em caso de poeira as estradas estariam molhadas porque o que foi pago de caminhão pipa daria para molhar uns mil anos; os moradores de Santana que viessem pela serrinha e percebessem algum problema na obra avisaram o geólogo e tudo estaria resolvido, os atletas, com o recurso do bolsa atleta poderiam fazer seus treinos físicos no poliesportivo do Rio América ou no Nova Itália que também foi prometido”, registrou.

 

Erotides elencou várias outras promessas não concretizadas como a quadra de tênis e piscina térmica municipal no Colégio Monsenhor, ingressos para shows a preço populares, prestação de contas logo após o término do espetáculo e com valores reais sem maquiar os números.

“Caso tivesse prejuízo, mesmo próximo a um milhão e quatrocentos mil reais, como aconteceu nas duas últimas festas, a prefeitura iria arcar com as prioridades e festa é uma delas, os 15 mil moradores afetados pela chuva não pagariam ingresso, em caso de morte de algum dos gladiadores no Coliseu ele poderia ser velado na capela mortuária do Belvedere, outra promessa. Lógico que teríamos no Coliseu câmeras de segurança para garantir a integridade dos visitantes com a mesma qualidade das que foram instaladas nas 13 escolas do Município, mais uma promessa, os almoços e jantares para os atletas seriam servido no restaurante San Genaro devidamente reformado para o evento, outra promessa. Acredito que o projeto do Coliseu estaria dentro do Programa Urussanga Sustentável e teríamos instalação de placas solares assim como seria feito nos prédios públicos”, lamentou.

 

O vereador disse que com a verba no montante de 700 mil reais destinada a publicidade a inauguração do Coliseu seria transmitida para todo o mundo. “Essa ele não prometeu, mas fez, e ainda contrata meio de comunicação de outro Município, o que é pior, com a abertura da loja de artesanato poderíamos vender réplicas do coliseu, do trator de esteira e do caminhão pipa fantasma”, ironizou.

 

Erotides registrou ainda, que os participantes poderiam ficar alojados nas escolas Ernesto César Mariot no Bel Recanto ou no Alda Brognoli no Rio Caeté porque as reformas prometidas estariam realizadas.

“Hoje, o que temos como realidade é um parque Municipal abandonado, uma cidade suja, cheia de obras inacabadas e o não pagamento das emendas impositivas municipais, isso é uma vergonha. Somente para o Hospital seriam cerca de 300 mil reais e simplesmente eles inabilitaram o Hospital de receber emendas, uma entidade que recebe dinheiro do governo Federal e estadual não pode receber emendas do Município, mas uma vez as entidades sendo prejudicadas. Quem sabe o prefeito poderia gravar um vídeo falando das promessas do Ainda mais Urussanga e das emendas, tem horas que para alguns tomarem vergonha na cara é pouco deveriam ser impressas no corpo todo”, finalizou.


Fonte: Assessoria de Imprensa CMU

Comments


bottom of page