top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Tidinho quer informações sobre 1 milhão e meio de reais enviado para a Defesa Civil

Vereador disse que desembargadores já tinham avisado sobre organização criminosa na Prefeitura de Urussanga, ainda no processo da Operação Benedetta



Vereador Erotides Borges Filho (Tidinho), em seu pronunciamento na noite da terça-feira 23/04, esclareceu que todos sabiam o que estava acontecendo na administração municipal de Urussanga.

Isso porque, na época em que foi realizada a Operação Benedetta, já foi pedida a prisão dos envolvidos porque as provas eram contundentes e os testemunhos eram reveladores.

“Os desembargadores, em seus pronunciamentos, foram taxativos que tínhamos uma organização criminosa à frente do Paço Municipal, liderada pelo prefeito e seu irmão. Todos viram os vídeos da desembargadora e relatora do caso falando”, explicou Tidinho.

O vereador disse que qualquer um que tenha dado sustentação a essa organização ou era membro ou era cúmplice e o restante são falácias ou narrativas.

“Não podemos esquecer que na hora de aproveitar as benesses do poder estavam todos juntos. Fizeram de tudo para me prejudicar nas eleições porque me posicionei contrário a este grupo, cujo único propósito sempre foi saquear os cofres públicos”.

Tidinho lembrou que assumiu o Legislativo na vaga de um vereador cassado, que foi beneficiado e defendia o prefeito hoje preso em qualquer situação.

O vereador destacou ainda a sua solicitação para a manutenção das lajotas na Rua José Zanatta, no Bairro da Estação, e fez um pedido de informação sobre a destinação de R$ 1,4 milhão de recursos federais que foram enviados para a Defesa Civil de Urussanga.

Comments


bottom of page