top of page

Sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras rurais completa meio século

Os urussanguenses viviam o primeiro ano de mandato do prefeito Lydio De Brida, quando a classe dos trabalhadores rurais decidiu se organizar através de um sindicato.

Era o ano de 1970, quando a ciência criava a Era Unix e as artes perdiam ícones como o guitarrista Jimi Hendrix e Janis Jopllin; via os famosos The Beatles encerrarem a banda e até se entristeceram com o falecimento do presidente que visitou Urussanga- Café Filho.

Mas foi um ano de muitas alegrias, com o Brasil sendo tricampeão da Copa do Mundo, derrotando a Itália por 4 a 1 no Estádio Azteca, no México.

O Brasil ganhava mais milhas marítimas, com o presidente Emílio Garrastazu Médici assinando o decreto-lei sobre a ampliação do mar territorial brasileiro de 12 para 200 milhas e o mundo esperava entrar em vigor o Tratado de Não proliferação de Armas Nucleares, subscrito por uma centena de países.

A vida era devagar, sem a instantaneidade dos telefones celulares e as redes sociais da internet, com a rádio Fundação Marconi sendo o veículo de comunicação mais rápido e abrangente, onde os agricultores buscavam informações sobre os mais variados assuntos e acompanhavam as missas rezadas pelo Padre Agenor, bem como os recados dados pelo programa Andorinha Mensageira.

A cidade era referência em toda a região no sistema educacional com o Colégio Rainha do Mundo e tinha um cinema chamado Vera Cruz para que todos pudessem assistir filmes como Uma Odisseia no Espaço, E o Vento Levou.Os bang-bangs costumavam lotar as dependências do Cine que, por vezes, servia de local para apresentação de shows de cantores, peças teatrais ou números de dança.

O carvão ainda era ouro negro arrancado da terra e os

trabalhadores das minas tinham o seu sindicato.

A agricultura, baseada em pequenas propriedades distantes do centro da cidade, precisava de lideranças organizadas para enfrentar as dificuldades que nunca abandonam o homem do campo.

Foi assim que surgiu o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, fundado no dia 4 de outubro de 1970, em Assembleia Geral realizada no Cine Vera Cruz, com a presença de 74 agricultores.


DA ATA DE FUNDAÇÃO


Na sequência, transcrevemos trechos da ata de fundação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga que, atualmente denomina-se Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Urussanga e Cocal do Sul.


“ Aos quatro dias do mês de outubro do ano de mil novecentos e setenta, às 09:00 horas, no Cine Vera Cruz, estado de Santa Catarina, reuniram-se em Assembleia Geral, com o objetivo de constituir um Sindicato de Trabalhadores Rurais, nos termos das normas legais em vigor, conforme Edital de Convocação amplamente divulgado, setenta e quatro trabalhadores rurais participantes da Assembleia Geral conforme consta do consoante Livro de Presença.”

Conforme a ata, foi o Dr. Sérgio Dotto quem presidiu a referida assembleia, tendo sido secretariado pelo urussanguense Frederico Zannin.


A 1ª DIRETORIA


No artigo 19 do Estatuto registrado na ata, ficou definido que a Diretoria eleita seria composta por Presidente, Secretário e Tesoureiro para um mandato de três anos.

O primeiro presidente do Sindicato foi Elias Baldin. Francisco João Pereira ficou com o cargo de secretário e Davide Sprícigo com o cargo de tesoureiro.


O ATUAL PRESIDENTE


Neste mês em que o chamado Sindicato Rural comemora os seus 50 anos de atividades, Panorama SC ouviu o presidente Adefonso Baesso, que tem sete anos e dez meses de trabalho nesse cargo, para saber como ele se sente fazendo parte de um momento tão importante.

“ É uma alegria muito grande fazer parte desta história que, pela coragem de um grupo de agricultores, nasceu há 50 anos em busca de conquistas para a nossa classe.

É uma história de união, de lutas, de coragem em ir adiante para trazer melhorias para todos.

Temos que agradecer aqueles que vieram antes de nós, que mantiveram esse sindicato, que ampliaram os benefícios aos associados e que nos permitiram estar aqui hoje comemorando a vida de uma entidade que é de grande valia para a comunidade rural.

Hoje nós temos em torno de 1.500 associados dos municípios de Urussanga e Cocal do Sul. As portas estão abertas para aqueles que quiserem fazer parte da nossa entidade que, diga-se de passagem, vai bem financeiramente e poderá se manter tranquilamente, ao menos nos quatros anos dessa Diretoria eleita recentemente.

Estamos vivendo um momento difícil com essa pandemia, mas o Sindicato já vinha sendo administrado com seriedade e, por isso, deverá passar tranquilamente essa fase tão difícil para todos” concluiu Baesso.



SERVIÇOS PRESTADOS


Atualmente o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Urussanga e Cocal do Sul presta auxílio e dá encaminhamentos de documentações referentes à aposentadoria, auxílio maternidade, auxílio doença, declaração de aptidão ao PRONAF, ADAP, cadastros ambientais, cadastro de usuário das águas, declaração do ITR, contratos, declaração para bolsa de estudo, além de outros serviços.

Há ainda prestação de serviços como o atendimento médico com clínico geral, o qual é disponibilizado desde o ano de 1972 pelo Dr. Arnon Borges Teixeira. Há ainda atendimento odontológico em três dias por semana e o oftalmologista. Os convênios possibilitam descontos em laboratórios e clínicas em Urussanga e Criciúma.


GALERIA DOS PRESIDENTES




bottom of page