top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

SERGIO MAESTRELLI

PÍLULAS

Uma amiga nos indagou: “Sérgio, você que integra a Academia de Letras, me responda: Assisti na TV que a Academia Brasileira de Letras suspendeu as reuniões virtuais e irá voltar com suas reuniões presenciais. Mas se os integrantes das academias são imortais, porque essa preocupação durante a pandemia?” E agora, José? Que faço io, Dio mio ! Essa pergunta eu repasso para a nossa colega e presidente da Academia de Letras de Urussanga, Rosa Miotello, para responder.

Outra questionamento a nós dirigido: “Mais uma decisão da Justiça. Ela solta um investigado, manda para prisão domiciliar, ou para responder em liberdade e proíbe que o dito investigado tenha qualquer contato com os demais envolvidos. Me diga: Quem fiscaliza se o dito cujo tem contato ou não?!” Essa eu também não sei, mas perguntarei a um advogado.

Caiu o telhado da antiga sede do Clube Caça e Pesca, localizado no Bairro Nova Itália. A Associação de Moradores demonstrou interesse em utilizar a referida área, mas a burocracia, nesse caso, segundo consta, atua como um dragão. O debate do problema já se arrasta na Câmara há meses e, por enquanto, “tudo encaminhado e nada resolvido”, utilizando emprestada uma frase do Mestre Bortolotto. Então, por enquanto, nem caça e nem pesca para ninguém. Parece que o caminho passa pela Defesa Civil, então, Rafael Sales, ao “lavoro”!

24 de outubro foi o Dia Mundial de Combate à poliomielite. O Rotary Club, clube de serviço espalhado por praticamente todos os países do mundo, financia, juntamente com alguns parceiros, o custo da vacinação. O número de casos de pólio foi reduzido em 99,9% nas últimas três décadas. Só resta erradica-la em dois países: Paquistão e Afeganistão.

Urussanga é ou não uma cidade “sui generis”? O mundo conheceu o “Mac Donald” somente durante a II Guerra Mundial. Nós já tínhamos o “Mac Donald” aqui em Urussanga desde 1913, com as Indústrias Caruso Mac Donald. O Mundo conheceu o UFC no começo dos Anos 90. Nós já tínhamos o UFC – Urussanga Futebol Clube desde 1931, portanto há 90 anos. O mundo conheceu o ZAP a partir de 2009. Nós já tínhamos o ZAP desde o início da imigração com a família ZAPelini. Depois de praticamente 45 anos em terras paranaenses, faz o seu “Ritorno alle Origini” o amigo Levison ZAPelini, filho do Élio e da Marta Costa, que atende pelo apelido de “Vivi”, dado por seu pai em homenagem ao Vivi original, o habilidoso jogador do Urussanga Futebol Clube. Bem que o Élio tentou, mas parece que o Vivi 2 não se deu muito bem com chuteiras.

Vereador Beto Cabeludo registrou e agradeceu o atendimento na Prefeitura. Infelizmente, já vinha de várias administrações: se era azul, não se atendia o vermelho; se era vermelho, não se atendia o azul. O prefeito Nandi e a chefe de gabinete Andresa parecem que são daltônicos. Não estão olhando cor.

Obras na Serra do Rio do Rastro - O trabalho de contenção das encostas, por meio de licitação, previa que as obras estariam concluídas em maio deste ano. Depois junho, prorrogou-se para o mês de outubro e, agora, nova prorrogação para dezembro deste ano. Estamos desconfiados de que vem o Carnaval e...

Prefeita de Lauro Muller, Saionara Correa de Carvalho Bora, pede celeridade ao Governo Moisés, já que com as frequentes interdições, muitas pessoas, cujos empreendimentos dependem dos clientes que trafegam por aquela rodovia, estão na “corda bamba”. Nesse sentido, fizemos uma enquete com 10 pessoas com a seguinte pergunta: “Quando se anuncia o início de uma obra pública, você acredita no prazo divulgado para a conclusão da mesma?” O resultado não surpreendeu: 100% afirmaram que não acreditam. Nesse caso, a margem de erro não oscilou nem “para mais, ou para menos”.

Aqui se faz, aqui se paga! E aqui nem sempre se recebe. Essa é a verdadeira complementação deste ditado antigo. Como disseram por aí: uma verdade nua é sempre melhor que uma mentira vestida.


ATTENTI RAGAZZI


DIA DE FINADOS: o primeiro milagre dos mortos é fazer com que os vivos que passam o ano em desencontros, se reencontrem.



O Dema Zanellato, cidadão de Santaninha radicado há décadas no Bairro De Bridão, aposentado e de “raider”, passeando pela Rua do Sapo. O amigo Dema, antes de se tornar sócio do Elio Zappelini, costurou muita bola “de couro” para os times da Rua do Sapo, no período em que atuava com Fidêncio Cechinel, no Conserto de Calçados, rente à Ponte do Rio Urussanga. Dema se intitulava como o “Dema- o candidato sem esquema”. Só Urussanga tem gente deste quilate.



Letícia Trevisol Apolinário, secretária da Rádio Marconi, de olho na telinha do computador, com o telefone convencional no ouvido, atendendo o celular, de olho no Zap e, ainda, prestando atendimento presencial. E tudo ao mesmo tempo com rapidez e eficiência! É preciso fôlego para ser uma secretária eficiente nesses tempos de modernidade tecnológica, não é mesmo Letícia?


Comments


bottom of page