SERGIO MAESTRELLI

PÍLULAS


Trinta mil reais na cueca e ainda tinha lugar para acomodar aquilo, Senador? Foi o comentário efetuado num bar da esquina por um irreverente urussanguense, morador do Bairro De Bridão. O amigo pediu para publicar, mas, também pediu para não ser identificado, então pedido atendido.

O Governador Carlos Moisés da Silva, ou o “Comandante Moisés”, apelido sem o menor sentido teórico ou prático. Ele conseguiu transformar 71,09% dos votos de apoio dos catarinenses em farelo. Viu todo esse seu patrimônio se esfarelar como broa. O erro começou em se eleger na onda Bolsonaro e depois chutar o balde, a prancha e a onda. Ego elevado. Isolou-se achando que era Imperador de Roma. Afastado definitivamente ou mesmo temporariamente, está completamente fragilizado. Governo de página virada que poderá ser revirada novamente. A “nova política” morreu ainda na tenra idade. Como bombeiro, não soube e não demonstrou aptidão para apagar o incêndio político que se alastrou como o fogo no Cerrado, no Pantanal, na Amazônia. Pela primeira vez na história das eleições municipais um governador que todo candidato evitou e evita tê-lo ao seu lado no palanque.

Com as mãos molhadas de álcool em gel, e todos mascarados, a Associação ProGoethe realizou reunião para discutir caminhos para a Vindima de 2021 e como viabilizá-la em tempos de Covid-19, buscando alternativas de conciliar programação das vinícolas com a programação do Poder Público. A entidade participará também da ExpoSuper em Joinville e no Slow Food, ambos eventos virtuais. Esse coronavírus merecia um porre de vinho Goethe, ah, merecia!

“No século XIX, o mundo foi europeizado. No século XX foi americanizado e no século XXI será asiaticanizado”. A afirmação é do escritor Parag Khanna, americano de origem indiana. E é preciso acrescentar: De 100 em 100 anos, o eixo do poder se descoloca, porém por mais de 1000 anos permaneceu em Roma. O império Romano é considerado o maior da civilização ocidental. Por 1000 anos todos os caminhos nos levavam a Roma, a “Senhora do Mundo”.

A última pílula desta semana registra a importância do arquivo permanente das postagens do professor Vicente De Bona Filho com imagens recheadas de pura história. O “Facebook do Vicentinho” traz semanalmente imagens emblemáticas della nostra Benedetta, mostrando um mundo que não existe mais, mas que permanece vivo na memória da turma dos urussanguenses dos sessenta, setenta, oitenta. As imagens são categóricas em demonstrar com exatidão que foram anos bem vividos, em contraposição com a mesmice dos dias atuais praticamente limitadas ao “zapear”.


ATTENTI RAGAZZI


Rosa Miotello, a amiga e presidente da Academia de Letras de Urussanga, que nasceu em Rio Queimado, município de Lauro Muller, se antecipou aos 70 anos da Marconi que serão comemorados no ano que vem e no último dia 28, dia do funcionário público, completou redondos 70 anos, com um bolinho de fubá. Parabéns, Rusina. Mais da metade desses anos vividos, voando como Andorinha Mensageira.



Outubro – Mês Mundial de Combate à Pólio


Por décadas, a cada ano, uma nova batalha na guerra contra a paralisia infantil, financiada pelos rotarianos de todo o mundo. Tunji Funsho, presidente da Comissão Pólio Plus do Rotary da Nigéria, foi considerado como uma das 100 pessoas mais influentes pela revista Time. Sua liderança e seu trabalho ajudaram a erradicar a pólio no continente africano. É o primeiro rotariano a receber tal reconhecimento. Agora os esforços para a erradicação do vírus se intensificam e se restringem ao Paquistão e Afeganistão. Luis Fermín Tenorio Cortez, do Peru, foi a última criança vítima do poliovírus selvagem em todo o continente americano. A imagem é de 1991 e em 1994, a América foi considerada livre da pólio. Neste mês, no dia 24 os rotarianos de Urussanga já enviaram as devidas contribuições financeiras para tal campanha.


Para alguém passear, alguém precisa trabalhar


Representando a ProGoethe, estivemos juntamente com o guia turístico Willian Marques na reunião promovida pelo Unibave e Prefeitura Municipal de Pedras Grandes visando a montagem de um plano municipal “realista” e não utópico de turismo. Na condução dos trabalhos, as amigas Edina Furlan Rampinelli e Cátia Pravato. A primeira, professora do Unibave, e a segunda, secretária municipal de turismo da Prefeitura de Pedras Grandes, e com o apoio presencial do prefeito Vilson Tadeu Marcon. O projeto conta com o apoio das associações e da Epagri através dos ex-colegas de trabalho Tonetto e Graça. Em análise, atrativos culturais, arquitetura, paisagens, gastronomia, a importância dos guias turísticos e da capacitação de pessoas para o setor. Como disse alguém na reunião, “para alguém se divertir e passear, alguém tem que trabalhar”. Um plano municipal de turismo é exigência do respectivo ministério em Brasília para se ter acesso às verbas.


Educados haitianos, deseducados brasileiros


Não temos perfil ou hábito de efetuar caminhadas, o que constitui um erro. Meu hobby em atividades físicas é fazer roçadeira roncar. A máquina corta a grama e a minha mente voa livremente. E faço este exercício em diversos locais: na casa, na praia, na propriedade dos nonos.

Recentemente estávamos na Rodovia SC Ivo Silveira, na SC-446, agora SC-108 ( em nosso país as ruas mudam de tempos em tempos). Somos um país desmemorizado. As ruas da Europa tem o mesmo nome há centenas ou milhares de anos e ninguém pensa em mudar. Aqui algumas não duram três administrações.

Mas, enfim, estava no intervalo descansando debaixo de árvores, meio oculto, quando passou uma família de haitianos. Estavam terminando de comer bolachas e educadamente eles colocaram a embalagem numa sacola plástica e a levaram consigo, evidentemente até encontrar uma lixeira.

Daí a pouco passou um brasileiro típico e “pinchou” um papel de bala e uma carteira de cigarros no canto do muro. Eu não me aguentei e disse a ele: “Ei moço, você tem uma calça com quatro bolsos. Uma foi feita para o lixo.” E ele me respondeu com a maior cara de pau: “Que cada um cuide de sua vida e não da vida dos outros”. Que pobreza material e espiritual. Vai evoluir, vivente. Vai evoluir.

Vai precisar de muitas vidas para se purificar e subir para andares superiores. Vai vivente, vai! Como diria meu pai: “Algumas pessoas são como carros antigos à manivela. Não adianta insistir. Tem carro que só pega “no tranco”.



A professora Nadir De Brida Ferraro, uma da primeiras mulheres urussanguenses a “tirar a carteira de motorista” e colocá-la na bolsa, hoje aos 90 anos, forte, firme e ativa em duas entidades religiosas de nossa Paróquia: Legião de Maria e Mãe Peregrina.