SERGIO COSTA


Vereador Elson Roberto Ramos ficará na história do legislativo urussanguense como o Presidente da Mesa Diretora que conduziu as votações para instauração de duas Comissões Processantes ao mesmo tempo.

Uma para averiguar denúncias contra o prefeito Gustavo Cancellier e outra inédita para apurar se houve quebra de decoro parlamentar de três vereadores afastados, sendo eles Rozemar Sebastião, Odivaldo Bonetti e Fabiano De Bonna.

Vale registrar que o Presidente da Câmara não participou da votação em virtude da legislação vigente, a qual só permite que ele vote para desempatar.



A partir de agora todas as atenções certamente se voltarão para os trabalhos das duas Comissões Processantes instauradas na Câmara de Vereadores. Na que analisará o caso do prefeito Gustavo, a presidência está a cargo do vereador Braz Ciseski, com larga experiência no legislativo, inclusive tendo sido Presidente da Mesa Diretora.

Na Comissão que analisará o caso dos três vereadores, a responsabilidade de condução ficou a cargo do vereador Daniel de Moraes, o qual está em seu primeiro mandato.

Na relatoria da Comissão Processante do prefeito está o vereador Luan Varnier,e na Comissão Processante dos três vereadores o relator é Ademir Bonomi, ambos vereadores de primeiro mandato.


Segurança Máxima

A Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) ativou a primeira Unidade de Segurança Máxima (USM) de Santa Catarina. Localizada no Complexo Penitenciário de São Cristóvão do Sul, no Meio-Oeste, a unidade foi concebida para receber e isolar lideranças do crime organizado e presos de alta periculosidade. Importante ressaltar que a USM receberá apenas os presos que cometeram crimes no estado.


Destaque Nacional

O desempenho catarinense na geração de empregos em 2021 ganhou destaque nacional. Santa Catarina criou quase 168 mil novas vagas de emprego no ano que passou, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Individualmente, cinco cidades catarinenses despontam no rol das 40 que mais geraram empregos no país. São elas: Florianópolis (25ª), Joinville (26ª), São José (31ª), Blumenau (34ª) e Itajaí (38ª).


Na falta do milho ...

Com uma demanda anual de 7,6 milhões de toneladas de milho, Santa Catarina busca alternativas para reduzir o déficit de grãos e abastecer a cadeia produtiva de carnes e leite. Em 2022, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural pretende investir R$ 10 milhões no incentivo ao cultivo de cereais de inverno com foco na produção de ração e de silagem para produção animal. O anúncio foi feito pelo secretário adjunto Ricardo Miotto, nesta quarta-feira, 2, durante o Fórum Mais Milho, em Pinhalzinho.


Filtrando água

Foi sem traumas a exoneração do engenheiro Vilmar Tadeu Bonetti (Bonettão) do quadro de servidores do Samae.

Bonettão, que fazia parte da folha de pagamento do Samae urussanguense, foi cedido ao consórcio Cisan-Sul no ano de 2019, e prestava seus serviços em Orleans. Porém, seu salário era integralmente pago pelo Samae urussanguense.

Para compreensão dos leitores, para participar do Cisan-Sul Urussanga deveria repassar mensalmente ao tal consórcio algo em torno de R$ 6.000,00, mas como havia cedido o engenheiro, nada pagava. Todavia, seguia bancando sua remuneração mensal na integralidade, o que significa dizer que uma diferença de aproximadamente R$ 12 mil saiam mensalmente do caixa do Samae, sem que houvesse ressarcimento pelo Cisan.

Agora, Urussanga passa a pagar mensalmente sua parcela como um dos membros do Consórcio, e economizará algo em torno de R$ 150 mil anualmente.


Indigesta

Enquanto a Diretora do Samae Magaly Bonetti Mazzucco mostra pulso firme na série de demissões que precisam serem feitas para colocar o caixa do Samae em ordem, é preciso registrar que poucos teriam a coragem de assumir o cargo para cumprir esta missão indigesta, haja vista que não serão poucos os descontentes em perder seus cargos na autarquia municipal.


Aceitando denúncia

Ministério Público denunciou esta semana o ex-vereador João Batista Bom (Tita), que é suspeito de utilizar sua influência junto ao poder público municipal para interferir em aquisições e licenças visando beneficiar terceiros, bem como acusado de subtrair caixa de luvas plásticas e promover o fura-fila da vacina de Covid para beneficiar parente.

O que mais chama a atenção é a interferência na contratação do transporte escolar em suposta irregularidade beneficiando Marcos Henrique Bez Birolo, o qual utilizava um veículo que estava em comodato com a empresa Startur. Além disso, a suspeita de induzir a liberação de licença de loteamento de propriedade de Arnaldo Bez Batti. Loteamento este, que segundo os documentos do processo, não obedecia as normas da legislação ambiental referente aos cursos d’água e áreas de preservação permanente e Tita tentou liberar ligando para o superintendente da FAMU dizendo que o proprietário “alí é gente nossa”.

A partir de agora, o processo estará na mesa do juiz da comarca de Urussanga, o qual poderá aceitar ou não a denúncia.


ATUALIZAÇÃO EM 4/02

Na tarde desta sexta-feira 4/02 Panorama SC recebeu documento informando que, embora tenha sido apurado em Inquérito que houve "intervenções em favor de Arnaldo Bez Batti" e que elas foram realizadas por servidores municipais, o Inquérito que trata desse assunto ainda não foi distribuído. Ou seja, ainda está sendo encaminhado à Justiça.

O equívoco na notícia divulgada anteriormente foi que a intervenção feita por Tita foi "em favor de Ricardo Lima" do Loteamento Belvedere e não do loteamento do empresário Arnaldo Bez Batti.

Isso significa dizer que, ao invés de um problema de intervenção junto aos órgãos municipais para liberação de loteamento, Urussanga terá dois problemas a serem explicados e que, na verdade, envolvem três ex-servidores públicos.

Leia na íntegra a retificação encaminhada pelo delegado Ulisses Gabriel e que foi anexada ao processo sobre este assunto.





Tempos transparentes

Não se pode negar que todo este clima de colocar sobre a mesa atos suspeitos e fazer

com que a transparência seja prioridade, iniciou com denúncias que foram feitas tanto para o Ministério Público, quanto para a Polícia Federal e Civil.

Mas, dois nomes se sobressaem nesta jornada. E eles são do ex vice-prefeito Luiz Henrique Martins e ex-vereador Júlio Bonetti. Ambos protocolaram o 1º pedido de instauração de Comissão Processante para averiguar suspeitas de irregularidades do prefeito afastado Gustavo Cancellier e fizeram um trabalho de campo para entregar a PF que acabou culminando com a Operação Benedetta e afastamento de Cancellier e outros servidores.


Pra encerrar

Nossas condolências aos familiares de Lúcio Olivier Ghisi, nosso vizinho e amigo, que faleceu nesta quinta-feira aos 96 anos de idade.

Que Deus o receba em seu Reino e conforte o coração dos familiares.