SERGIO COSTA

Dedo na ferida I

Enquanto vivemos uma pandemia que horroriza pela rapidez com que leva nossos amigos e entes queridos, sem termos vacina para todos e infraestrutura hospitalar condizente com a trágica situação, há quem especule sobre a aquisição da Cantina Cadorin, em Urussanga, para um Museu do Vinho. O preço? Burburinhos são de que o preço pedido é de R$ 3 milhões.

Parece que o momento exige apertar a tecla do stop para que, em situação social menos turbulenta, a questão seja discutida com toda sociedade.


Dedo na ferida II

E por falar em museu e cultura, o pensamento de um bem sucedido empresário de Urussanga acendeu a luz amarela nas minhas análises sobre o futuro de um projeto turístico na Benedetta, baseado nas tradições dei nostri nonni.Segundo ele, o expressivo número de jovens urussanguenses que deixam a cidade para o mercado de trabalho na Europa (a maioria ficando por lá e levando seus familiares) aliado à necessidade de buscar mão-de-obra nos estados do Nordeste para as indústrias locais, em poucos anos, corremos o risco de absorver os costumes nordestinos e, ao invés de comer polenta e beber vinho cantando Mérica Mérica, estaremos dançando frevo, participando do Bumba meu Boi e saboreando Baião de Dois e Caruru.

E isso não é nenhum demérito a alguma cultura. É a demonstração do que a mudança no perfil da população pode ocasionar ao projeto turístico da Benedetta no futuro.Se tendo grande parte da população ítalo-brasileira o projeto turístico étnico-cultural se arrasta há quase quatro décadas sem alcançar grandes resultados, imagina se grande parte da população urussanguense no futuro não se identificar com la patria madre dos colonizadores. Será que corremos o risco de, ao invés do vinho Goethe, nos direcionarmos para a produção de Cravinho do Pelô, Capeta e Tiquira?

Eis a questão. Ou questões.


Outros nomes


Enquanto especulações circulam na mídia e rodas sociais da Benedetta, indicando que a ex-candidata Stela Talamini pode assumir a presidência do partido, muitos do MDB urussanguense estão trabalhando em outro sentido e com outros nomes.

Entre eles, está o do empresário Algemiro Bendo Filho - conhecido Miro Bendo(FOTO), que é tido como uma liderança inconteste e com abertura no meio político da cidade, inclusive para compor majoritária na fórmula juventude e a experiência. Também sendo muito apoiado para assumir o comando local do Diretório, o coordenador de duas campanhas MDBistas- Vânio Comin. O entendimento de muitos militantes é que o desastroso resultado da última eleição, com a maior derrota do MDB urussanguense dos últimos 40 anos, requer cuidado na escolha do novo presidente e, também do candidato a prefeito para 2024. E, nesta linha de pensamento, Stela não seria a pessoa a representar o futuro do partido em disputas eleitorais.


Com a bênção do Pai

Se muita água passará por debaixo da ponte até o momento em que o candidato do PP vier a ser escolhido, certo é que, sem contar com a “benção” do prefeito Gustavo Cancellier, hoje tido como o polle position do chamado “novo PP”, dificilmente alguém galgará este posto. A menos que, numa retomada de poder, as ditas velhas lideranças entrem em ação.


E por falar

Em bênção do Pai, o que não falta ao PP urussanguense são nomes para a disputa do próximo pleito.

Muitos deles, novos na política e sem os desgastes ocasionados por longa exposição. E, embora não se comente, é visível que os futuros candidatos, também no PP, enfrentarão uma disputa entre alas que desde a última eleição mostraram não estar se entrosando bem.


Harmonia na Casa

Enquanto isso, prefeito Gustavo Cancellier e seu vice Jair Nandi, vistos sempre juntos em vários atos administrativos, dão a entender que tudo vai bem no Paço Municipal.

Sem disputas de vaidades, Prefeito e Vice mantém um diálogo que prima pelo interesse maior: o Município.


Dissonante

Nota dissonante desta semana fica por conta de um episódio ocorrido entre o prefeito Gustavo Cancellier e o radialista Edi Carlo de Resende diante dos microfones da Marconi.

Primeiro o prefeito cobrou a parcialidade do radialista em relação ao trato de uma informação referente a obra de município. Já Resende, após a fala do prefeito, criticou a postura do Chefe do Executivo numa contestação eloquente e nunca ouvida antes nos microfones da emissora.No final da história, Edi Carlos continua trabalhando na Marconi e Gustavo Cancellier prefeito do Município. Fica o registro.


Chegando

Contribuintes urussanguenses devem começar a receber a partir de meados de abril, os seus carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano. E, com eles, a correção do tributo baseado na lei. Mesmo que a administração municipal não faça reajuste, o Imposto não estará livre da correção. E, a grosso modo, ressurge aquela velha história do “nada é da gente”.


Comida e cocô

Cães de rua, em busca de comida, acabam fazendo uma verdadeira balburdia nas lixeiras ao longo das vias públicas no centro da cidade de Urussanga, rasgando sacos e espalhando sujeira para tudo que é lado.

Não bastasse os cães que são abandonados e vivem nas ruas espalhando lixo, há ainda os cães que saem de casa para fazer suas necessidades fisiológicas (em português bem claro = cagar e mijar) sem que seus tutores juntem a sujeira, deixando os montinhos de presente para algum distraído melar os sapatos. Falta de educação e respeito.


Câmara Mirim



Vereador José Carlos José - Zé Bis, quer criar o programa Câmara Mirim em Urussanga.

O projeto prevê eleição de vereadores mirins nas escolas para mandato de um ano, com diplomação no legislativo urussanguense e uma sessão mensal para que os alunos eleitos aprendam na prática as atribuições dos vereadores. “Eu considero importante despertar nos adolescentes e jovem este espírito de participação nas decisões comunitárias.Além de entender a responsabilidade da representatividade, cria-se dentro do currículo escolar também um mecanismo para o aprendizado das eleições. Como colocar seu nome para candidato, como pedir voto, como identificar prioridades, etc.

É preciso criar a consciência de que política é para todos e dela depende o futuro das pessoas” explicou Zé Bis.


Soltando faísca

Eleição para presidência da Cermoful, em Morro da Fumaça já ultrapassou a voltagem normal para as redes de distribuição existentes.

Com várias chapas disputando, a assembleia para aprovação de contas acontece no próximo 26 de março via internet em Assembleia Digital.

Já a eleição do Conselho Administrativo será no dia 27/03 na Escola de Educação Básica Princesa Isabel em Morro da Fumaça, onde votarão os associados que residem em Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Pedras Grandes e Urussanga.

O outro local de votação é em Içara, na escola Quintino Fogliairini Dajori.

A briga vai ser acirrada e já envolveu até o prefeito da cidade sede da cooperativa- Noi Coral.


Coincidência

Uma semana após a editora deste semanário escrever uma matéria sobre jornal feito por alunos da escola Barão do Rio Branco de Urussanga, onde se podia ler um artigo sobre a Miss Brasil 1957, ela veio a falecer.

O jornal circulou no dia 5/03 com a homenagem à amazonense Terezinha Gonçalves Morango e no dia 13/03 ela faleceu.