SERGIO COSTA

O Baile sem conjunto

Contou-me esta semana o vizinho Diógenes Damiani que no ano de 1975 a diretoria da SRU, da qual faziam parte o seu saudoso pai Dionysio e o Romeu De Bona entre outros, havia contratado a orquestra do Pedrinho Casablanca de Porto Alegre para animar o famoso baile de Debutantes que acontecia a cada dois anos.

Chegada a hora do início do tão esperado evento, os integrantes da orquestra não apareceram e a solução emergencial acabou vindo com o Dr. Cirilo de Castro Faria, o qual foi a sua residência buscar um equipamento de som e, com ele, fazer com que o baile pudesse acontecer substituindo a citada orquestra.

Tudo certo e problema resolvido todos acabaram se divertindo sem maiores problemas.

Conta ainda o nosso informante, com testemunho de de seu primo Franco Mazzuco, e segundo disse também a concordância do Dr. Cirilo, que as valsas de Straus eram tocadas a partir de LPS e fitas cassetes, as quais de quando em vez ainda continham vinhetas com o prefixo da Rádio Marconi.

Na manhã do domingo, ainda sob o efeito do alto teor etílico, o Romeu, passeando pela cidade de carona no jipe sem tolda do Dionysio e detalhe,apenas de cueca, gritava: ”alguém viu por aí o Pedrinho Casablanca?” Por mais que o Dionysio implorasse para que Romeu parasse de gritar, o apelo não foi atendido.

Mas o detalhe da história e pode-se dizer o ponto alto, ficou por conta do final feliz: após um mês (outubro de 1975), cumprindo o seu compromisso anteriormente firmado, a orquestra veio a Urussanga, tocou de graça e ainda pagou multa e o baile de Debutantes foi realizado pela segunda vez.

Dizem que não foi tão bom quanto o primeiro com o toca- discos do Dr. Cirilo.


29 ANNI DOPO


Esta imagem, tirada do vídeo feito pela agência de publicidade Publi-Ur quando da instalação do município de Cocal do Sul, traz um momento marcante da história daquele que já foi Distrito de Urussanga. História que este colunista e esposa Marcia participaram produzindo o material publicitário para a emancipação, tanto para rádio quanto para a então TV Eldorado. Na foto, da esquerda p/direita: mestre de cerimônias Archimedes Naspolini, prefeito eleito de Urussanga-José Vânio Piacentini, deputado Lírio Rosso, vereador Zenio Cesar Galli, vereador mais votado e que presidiu a Mesa- Geraldo Teixeira, primeiro prefeito de Cocal do Sul - Ítalo Rafael Zaccaron e seu vice-prefeito José Orlei Sartor. Também compuseram a Mesa de Trabalhos da cerimônia de instalação, Padre Lindolfo Lickman, prefeito de Urussanga - Vanderlei Rosso e Monsenhor Agenor Neves Marques.

O evento aconteceu há 29 anos, num 26 de setembro, no antigo salão de festas da igreja Nossa Sra. da Natividade, logo após uma missa de ação de graças celebrada por Monsenhor Agenor Neves Marques.


A ponte da cerca que cai


Por falar em problemas e a busca por suas soluções, digamos que até é boa a intenção de quem promoveu recentemente a manutenção ao longo das duas SCs(108/445). Mas, como boas intenções não bastam, é preciso informar ao DEINFRA/SC que proteção de ponte quebrada é para ser arrumada e não apenas pintada, como a que foi indevidamente “revitalizada” nas proximidades do Terminal Rodoviário em Urussanga.


Sem reajuste

Há mais de 3 anos sem reajuste na tarifa de água o Samae urussanguense, muito embora viva uma economia de “guerra”, tem literalmente aguentado o tranco e ainda consegue fazer alguns investimentos não apenas como manutenção, mas de obras na ampliação de esgoto e redes de abastecimento. Na verdade, nada vultoso, mas ainda assim digno de reconhecimento.


Pra valer

Oficialmente a partir deste dia 27/09, domingo, a dita temporada de apresentação de propostas, pedidos de votos e todas as demais ações de campanha inclusive a de veiculação de mídia impressa, estão liberadas. A exiguidade da campanha propriamente dita exige ações ainda mais criativas para sensibilização do eleitorado.


Importando

Comunidade ítalo-brasileira deveria seguir o exemplo da Itália e iniciar um movimento para redução do parlamento brasileiro. Além disso, brasileiros deveriam exigir que se acabe todo tipo de mordomias existentes, tanto na Câmara quanto no Senado. Inclusive, as aposentadorias e mordomias aos ex representantes do povo.

Afinal, sustentar reis, suas famílias e suas cortes não é sistema democrático.