Ser ou não ser?

Fica em casa, não fica em casa? Trabalhar ou “repousar”? Médicos a favor do isolamento vertical e médicos a favor do isolamento horizontal? Sai Bolsonaro ou fica Bolsonaro? Mandetta ou Terra? Gado ou Comunista? Jornalismo do medo ou jornalismo do caos ? Abre ou fecha? No melhor estilo, Daniel Sam, tira casaco ou coloca casaco? Tudo que vivemos parece um dilema nas últimas semanas. Um turbilhão de informações, de ignorâncias em todos os meios e plataformas assusta ao mesmo tempo em que nos dá a certeza que somos um meio de propagação não somente de vírus, mas sim de desinformação ou a informação que me convém. Com a paralisação do futebol, as torcidas migraram para o time do panelaço ou o time de Bolsonaristas. Enfim, as incertezas dos gráficos, curvas e números. Da lavação de roupa suja a tentativa de “lacração” da nossa política mostra que abutres vão alem do reino animal, não sobrevoam e sim caminham tranquilamente em nossas plataformas digitais vomitando suas tentativas infinitas de puxar o tapete para debaixo dos seus pés. Seguimos nossas prisões domiciliares fugindo do invisível, brincando de Big Brother Brasil e esperando que lições sejam aprendidas e colocadas em prática. Cuidar do próximo vai além de postar “textões”, como este que escrevo, e além das fotos “fofinhas” de demonstração de carinho nas redes sociais.


FOTO DA SEMANA


Essa imagem foi a que marcou a semana na mídia impressa e virtual, com comerciantes de Criciúma mostrando descontentamento quanto as regras de restrição ao comércio, impostas por decreto do Governo do Estado de Santa Catarina.


O seu quadrado para cada um As opiniões divergem quando o assunto é isolamento ou não. Parar ou tocar a economia para frente. A verdade é que cada um sabe onde aperta seu calo. Vidas são mais importantes que tudo, mas para existir vida é necessário ações, reações, movimento, transformação. O pensamento hipócrita se sobressai e o que resta é zelar pela saúde mental, pelo menos. Facinho Fecha tua empresa, fica em casa, pegue R$ 600, pegue empréstimo, renegocia suas contas e enfim, seja feliz.

Jogada de mestre É nítido que o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta deu um banho de estratégia no Presidente Bolsonaro em que foi forçado manter por mais um período o ministro. Que vai ser demitido é questão de tempo! Mas, por enquanto, vai ter que ficar com o seu mais novo desafeto dentro de sua gestão. E agora? Com todos estes problemas temos coisas boas para tirar deste caos mundial. Em nossa cidade ficará claro quem está ou não capacitado em gerir seus cargos dentro do caos. Não falo isso somente em relação poder público, mas de todos os órgãos que compõe as estruturas que comandam o comércio, empresas. Planejamento estratégico imediato, ações, soluções. Chegou a hora de separar o joio do trigo e ver se estamos bem servidos de gestores. Tenho dito “O grupo de risco está colocando todos em risco!” Em declínio Governo do Estado de Santa Catarina vai despencando devido a um tsunami de ações incoerentes e realmente sem nenhuma condição de entendimento. Governador Carlos Moises ladeira abaixo na popularidade e decretando qualquer possibilidade de concorrer a qualquer cargo dentro da política estadual. Vergonha alheia Senado recorre à decisão do Juiz Federal, Itagiba Catta Neto em que bloqueia o uso do fundo partidário (dinheiro usado para custear campanhas eleitorais) e destina o montante para o combate ao Covid-19. Fundo eleitoral prevê verba de R$ 2,034 bilhões e, fundo partidário, de R$ 959 milhões. Cobrança imediata Você leitor lembra para quem votou a Deputado Federal e Senador? Pois então, dá uma conferida e cobre se está a favor de repassar este montante do absurdo do Fundo Eleitoral e Fundo Partidário para o combate à pandemia. Claro, se você é a favor que use o meu, o seu, o nosso dinheiro para campanha política, ai respeito a sua vontade. Não esquecendo... Presidente Bolsonaro esteve com a “faca, queijo e a caneta” na mão para vetar tal fundo e destinar para o uso na saúde e combate ao Corona Vírus. Batalha Teremos duas batalhas para vencer. A primeira será a luta contra o vírus que está sendo acirrada e junto a isso a batalha do pequeno/médio empresário em manter as portas abertas de seus estabelecimentos. Feliz o sistema bancário que está de portas e juros abertos para dar aquele último suspiro de vida para quem está afundando aos poucos. Nunca na história deste País... Incrível como as redes sociais estão minadas de excelentes economistas, profissionais da medicina. Formação em duas semanas e sem sair de casa, só pelo Whatsapp.