SÉRGIO ROBERTO MAESTRELLI

  • PÍLULAS

  • O imbróglio político envolvendo Urussanga é tema único e dominante na cidade. Anda ocupando o tempo de todos. Precisamos utilizar esse tempo para seguir em frente. Que a justiça decida logo essa questão. Para o bem do município. A cidade não pode ficar nesse redemoinho ou tsunami político com grande desgaste e elevados prejuízos em todos os setores. Ela precisa focar o seu futuro. Os dirigentes e o próprio povo não podem ficar em “compasso de espera”, ou utilizando o colonialismo cultural, em “stand by” como alguns gostam de dizer. É preciso romper este círculo vicioso e dirigir o fuzil para o futuro.

  • Numa correspondência curta e muito bem alinhavada, o ex-presidente do PP de Urussanga, Sérgio Luiz Maccari Júnior, anunciou o seu adeus à sigla encerrando sua trajetória no partido azul. Pela sua trajetória no Movimento Cultural e na política, seguramente já deve ter recebido convites de outras agremiações políticas. No mesmo caminho, Clésinho Fréccia, Jaderson Roque, Geraldo Fornasa... Nos últimos tempos imperou o chamado inferno zodiacal. Em 2020 no Mundo dos Vermelhos e neste ano no “Mundo dos Azuis”. E a 3ª via vai se fortalecendo.

  • Instituído pelo Governo de Getúlio Vargas em 1931 e extinto por Bolsonaro em 2019, a adoção do horário de verão voltou a ser discutida. Uma pesquisa mostrou que a questão está num empate técnico entre o time do “contra” e o time do “a favor”. Eu sou a favor. Quando mais tempo acordado e mais luz, melhor.

  • Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas) e, diga-se de passagem, não tão unidas assim, o coronavírus, bichinho invisível a olho nu semeou a fome e a miséria para 811 milhões de pessoas.

  • “Forto” agora é uma doença que se manifesta naquelas pessoas que estão desenvolvendo estresse e ansiedade por terem que voltar ao trabalho presencial. Antes esse sintoma atendia pelo nome de “preguiça”. Agora é Forto. Vem do inglês ( Fear of returning to the office), ou medo de retornar ao trabalho. Mas especialistas dizem que a doença não é grave. É frescura demais nesse mundo e nada que um cabo de uma enxada não resolva.

  • As ruas e suas modalidades: Uns pedem ruas patroladas, outros lajotadas, outros calçadas com paralelepípedos de granito, outros com asfalto e outros ainda com ruas cobertas. A febre das ruas cobertas está em voga na AMREC. Nova Veneza, Treviso, Cocal do Sul e quem será o próximo município a se render a esta onda?

  • Não era fumaça. Era fogo em Morro da Fumaça. Polícia acorda cedo e realiza a Operação Hefesto. CTG “Herança do Velho Pai” na Linha Frasson. Então dá para registrar que foi uma dose cavalar. Muita gente deve ter provado cavalo e mula na panela ou num pastelzinho. É o fim dos tempos, mas só para os envolvidos. Duas observações sobre a matéria: Que o que se viu nada tem a ver com a “herança” do Velho Pai e que a TV ao mostrar a reportagem do abate clandestino de bois, cavalos, mulas, burros, jegues e/ou similares tirou o apetite do almoço de muita gente. Eu fui um deles. Suspendi o prato e encerrei com um copo de limonada. Coisa de espertos, coisa de louco ou como diria Jô Soares nos anos 80, anos de ouro do humor, “chose di loc”. Que barbaridade!, diria aquele cidadão de Morro da Fumaça.

  • Muitos confundiram a operação carne de cavalo de Morro da Fumaça, denominada pela Polícia Civil de “Operação Hefesto”, como Operação Refresco. Nada disso. Hefesto é o deus grego do fogo, o deus Vulcano para os antigos romanos.

  • Associação ProGoethe decidiu participar com um estande no Congresso Brasileiro de Fruticultura a ser realizado em Florianópolis em abril do ano que vem, bem como a participação na AgroPonte 2021 que ocorrerá em Criciúma no próximo mês de novembro. Ambos os convites partiram da Epagri. Por outro lado, presente na reunião, o diretor de Turismo de Urussanga Willian Rezende anunciou a chegada da Maria Fumaça em outubro e já começou a se movimentar visando o planejamento e organização da Vindima Goethe 2022. Discorreu também sobre o Parque Municipal, que no nosso entendimento está precisando de “um pequeno trato”, e para tanto nada mais apropriado que uma Operação Kuki Savi Mondo. Segundo o diretor, também ocorrerá uma revitalização das placas históricas de nossos eventos que andam um tanto quanto prejudicadas pela inexorável ação do tempo. Sobre a retomada do espaço pelo setor de turismo e cultura do antigo “Artesanato Benedetta”, atualmente ocupado pelo Conselho Tutelar, uma ação viável somente em 2022, em virtude de trâmites burocráticos.

  • Ainda com relação ao tema Turismo e Cultura, preciso registrar o trabalho das pessoas que integram essa equipe: Bortolotto, Willian, Léia, Scheilla, Sirlene, Janete, Magalhães e Fábio, que vão aguentando o setor no braço e viabilizando muito com pouquíssimos recursos. Independente de partido político, a cultura sempre foi a 5ª roda da carroça. O que é, é. O que não é, não é. Capisci!?

  • Até pouco tempo, a justificativa dos prefeitos era de que havia o precatório do parque no valor de 100,120,140 mil reais. Desde 2018 tal dívida deixou de existir, porém desse valor mensalmente reservado, praticamente nada se destinou ao setor. É vero ou não é vero?

  • E o Criciúma E.C. desta vez não mirou a chuva. Mirou o Mirassol e determinou um 3x0 no Estádio Heriberto Hülse.

  • Lembre-se: Nesta vida, primeiro vai a alma, para somente depois ir o corpo. Portanto, nunca se esqueça de seus sonhos e mantenha os mesmos na palma da mão. Somos seres espirituais revestidos de matéria.

  • “Medo, raiva, alegria e tristeza são essenciais para a sobrevivência humana. Basta apenas saber controlá-las”. Pablo Feltrin, psicólogo.



ATTENTI RAGAZZI

“Nunca dizer nunca.” – Do ex-vice-prefeito Luiz Henrique Martins, o “Cuíca”, que desde que estreou como vereador na política em 2005, como já registrei em crônicas passadas, é preciso estar sempre atento ao fator e ao efeito Cuíca.



O ex-mecânico da Mecânica Maestrelli- MMl-LTDA, que por 59 anos fez “La Benedetta Rodar”, o amigo Aldo Preve, da Comunidade do Rancho dos Bugres, nos visitando na época da Chefia da Estação Experimental da Epagri de Urussanga-EEUR, em 2003. Devidamente trajado e motorizado, ele não esteve na II Guerra Mundial, mas quase. Bons tempos aquele amigo, e esses também.