SÉRGIO MAESTRELLI

COMO É QUE É MESMO?

Nova Veneza tem milhares de máximas, de expressões populares repetidas diariamente. As pessoas que compilaram e ainda compilam com grande maestria e ouvidos atentos essas expressões são o escritor do Distrito de Caravaggio Benicio Marcos Spillere e seus amigos. Vamos publicar algumas expressões da Benedetta para que Urussanga não fique na zona do rebaixamento nessa área. Então, lá vão as pérolas: Ele é meio bardoso. / Ele é o Nirso da Padaria ou o Arcide do Açougue? / Isso já tá me dando nos nervo. / Fala agora, fala agora. / Ouça o que eu digo, mulher insatisfeita é um perigo. / Vamos para uma pescaria? Mas é uma pescaria séria? / Visse, visse. Fala agora! / Nada a verrr. / No meu tempo era spatifa, agora spotify... (programa de música on line). / Antes era somente portão, agora é só portal. / Como diria o alemon, quando não consegue algo: tá bom igual. / Que se thcáve. / Não confundir lombardia com lombalgia. / É só confuson na vida do alemon. Ele confunde Platão com plantão, Aldo com saldo e moroso com amoroso. / É preciso ter “sustância”, pois a maioria não tem. / Eu comi o pão que o diabo amassou, e ele não tem nem pão para o diabo amassar. / Não sei como ele “veve” desse jeito com apenas 5 milhão por mês. / Você é tão tinhoso que é a casca de banana que escorrega em você e não você nela. / É por essas e por outras que alguns dizem: Te admiro, Valdomiro. / Endemo Nenna, endemo Nenno. / Jesus te ama e o Zé também. / Peixe é saúde, disse a nutricionista e o outro acrescentou: mas saúde não é peixe. / Vai por mim, Antônio Carlos./ É o fim Martinho. / O negócio é chegar na ponta. / Pianton la broca nantra volta, sacramento. / Tô certo, ou tô errado? / Que que é isso, minha gente?/ Se Minas Gerais tem o Zema, Urussanga tem o Dema. / Eu não me lembro direito, mas o médico disse que eu tô com hepatic, itapic, hetapic. É mais o menos isso. / É do tipo.../ Não confundir o Vitorazzi com o Vitor Sasse, ou com o Vitor asse. / Apenas corroborando com Vossa Excelência. / Deus Meu, Meu Deus! / Não confundir Jerico com Jericó. Um é jumento, o outro é cidade. / Não sei como você “veve” assim. / Não há de que. / Não carece. / Tá precisando de uma “bassorada”. / Me dá até um fastio. / Ganhei um estrépi no pé. / É um tipo de queimor. / Se é prá ficar imonado, fica em casa. / Não me faz eu pegá nojo. / A boca não é boa. / Póco zio, póco zio, tava tudo em ordem até que o terneiro fugiu. / De que gente que tu é?/

Na imagem, o escritor e historiador Benicio Marcos Spillere, autor de diversas obras entre as quais a publicação “Aqui se fala assim”.


PÍLULAS

Na semana passada, uma senhora idosa, ao caminhar pela Rua Pedro Damiani, andou, andou, tropeçou, tropeçou, cambaleou, cambaleou e, finalmente, se ajoelhou.

Mas não para rezar! Foi vítima das calçadas detonadas e bocas de lobo inacabadas de uma obra pública que se arrasta. E nossas calçadas, de modo geral, estão mais detonadas do que as da Ucrânia em tempos de guerra. O Poder Público não aplica a legislação vigente. O que se tem nesse país de leis ditas apenas de gaveta...


No último domingo, na festa em homenagem à padroeira Santa Bárbara em Rio Carvão Alto, tivemos céu limpo, nuvens negras, sol e, depois, chuva, caracterizando casamento de viúva. Na sequência, chuva e sol, bem ao estilo de casamento de espanhol, e tudo ao mesmo tempo. Foi um abre guarda-chuva e fecha-guarda chuva. Até as cigarras estão atrapalhadas e não sabem se começam a cantar ou não. Não está nada fácil a vida do Ronaldo Coutinho lá em São Joaquim.


Ter posições político-partidárias é um direito de todo cidadão. E que cada um respeite as posições dos outros. Agora, ser partidário é uma coisa, ser fanático por um partido é outra coisa. O fanatismo exerce pressão e comprime o cérebro e, assim sendo, ele diminui. Ao encolher o cérebro, diminuem-se a mente e o poder de raciocínio.


O ovo é a mais recente polêmica legislativa, ou melhor, a falta dele na merenda escolar. O produto, fonte de proteína, sumiu em meados de setembro e, ainda, não reapareceu, segundo o vereador Luan Varnier. Agora é o ovo que está na linha de tiro do edil, sempre contundente em seus pronunciamentos e nunca utilizando meias palavras. O vereador não faz curvas. É uma reta.


“Que será de mim sem o meu cavalo, e o que será do cavalo sem mim? Quando morre um cavalo, morre um pedaço de mim”. De uma música tradicionalista gaúcha.


Vereador Casagrande anunciou para o ano que vem um evento de significativa importância. Trata-se da realização de uma Feira da Agricultura Familiar e das indústrias urussanguenses, mostrando e evidenciando tudo o que aqui é produzido. Excelente iniciativa!


Reforma do San Gennaro, a esperança voou para 2023, antes disso “niente da fare”. Acho que está na hora do Poder Público enviar projeto para a Câmara, visando criar a “Secretaria das Manutenções”.


Projeto de autoria do Poder Executivo enviado à Câmara propunha ratificar o Contrato do Cirsures. Com o pronunciamento contundente e contrário ao aumento de salários dos funcionários desse órgão por parte do vereador Fabiano Murialdo De Bona, o referido projeto foi à votação e acabou sendo rejeitado por 4 a 3.

De acordo com Pedrinho Bonomi, um pequeno dilúvio ocorreu, nesta semana, na localidade de Belvedere e arrasou estradas e roças recentemente implantadas. Disse ele que nunca havia visto nada igual. Realmente, a natureza anda enfurecida e, seguramente, em virtude das ações insanas do bicho homem frente a ela.

Vereador Zé Biz se deliciando com seu tema preferido, a energia elétrica. Voltou a repetir que a energia de Urussanga era 90% mais cara e hoje é 8% mais barata que a própria energia da Coopercocal. O valor da fatura anda fazendo muita gente sorrir.

Nesta semana, a reunião do Legislativo foi encerrada tendo como convidado o pastor Fredolino Ramos. Natural de Palhoça e há 19 anos radicado em Urussanga, ele pertence à Igreja Pentecostal Vida Celeste. Efetuou uma oração assim se pronunciando: “Casa das Leis, Casa do Povo, e que o povo participe. Lembrem-se de que, acima de todos nós, existe uma autoridade maior, e que tudo se concretize conforme a vontade de Deus”. Então, que assim seja.


ATTENTI RAGAZZI

Olha esse diálogo entre dois supostos galãs: Nesta vida, o trabalho deixa a gente mais bonita. Então, meu amigo, pela aparência você deve ter trabalhado muito pouco.



Circule pela Rua do Sapo, leitor, e aprecie a exuberância do PP em nossa cidade. Estou me referindo ao “Parreiral do Paúra”. Vem aí, em 2023, mais garrafas de vinho e de espumante Goethe da marca “Lídia” – A produção “Du Paiol” envolve toda a Família Fontanella.



Trevo da Rua Almirante Barroso clamando o seu bordão: Deixai vir a mim um pedreiro para consertar as minhas feridas expostas, mas que seja ele o Zavarise, assim se evita o que o italiano denomina de “spotáchio”. Vinde pedreiro meu, vinde!



Attenti, Prefeitura quanto às obras públicas de asfaltamento da estrada do Rio dos Americanos. Observem bem essa imagem. Já vi essa novela antes na Avenida Marcos Costa, na Rua Paulo Aires Zanellato e na Serrinha. Assim não dá! É preciso um muro de contenção, caso contrário a Lei da Gravidade vai dar aquele sorriso maroto e vamos ter mais retrabalho. E não venham me dizer que a obra ainda não está concluída, porque o muro de contenção desta encosta já deveria estar pronto mesmo antes da colocação do material para o asfaltamento. O povo tá cansado de pagar várias vezes pelo mesmo serviço mal executado. Como já afirmamos, já vimos esta novela antes e não vale a pena ver de novo.