SÉRGIO MAESTRELLI

“DEUS ETERNO A VÓS LOUVOR”, ANO 250

“Deus Eterno a Vós Louvor”, o Hino à Santíssima Trindade está comemorando 250 anos nas catedrais, igrejas e capelas católicas de todo o mundo. No ano de 1872, o hino foi composto com letra de Ignaz Franz, música de Henrich Bone e melodias de Franz Joseph Haydn, todos naturais de Viena. Haydn recebeu em vida o título de compositor rico em talento e pobre em riqueza. Durante anos, Haydn trabalhou no oratório “A Criação do Mundo”. Estava em Londres quando soube da morte do amigo Mozart e, durante o resto de seus dias, afirmava: “Perdoe-me”, mas “toda vez que ouço o nome de Mozart, devo, devo chorar por ele.”. Haydn também tinha uma fé católica fervorosa. Sempre que terminava uma composição, escrevia as palavras “Laudate Deo” (“Glória a Deus”). Ao lado de Mozart e Beethoven, ele integra o que a posteridade apelidou de “Trindade Clássica Vienense”. Haydn morreu em casa, em 1809, aos 77 anos, durante um violento bombardeio nas vésperas da tomada de Viena pelo exército de Napoleão Bonaparte. Por ordem do próprio Napoleão, um guarda foi colocado à porta de sua casa em seus últimos momentos de vida, de modo a evitar que fosse perturbado, tamanho o prestígio do qual gozavajunto ao povo e ao imperador francês. Acesse a internet e ouça o hino de que estamos nos referindo.


CAMPANILE D´URUSSANGA ANO 99


Quem pensa que o Paúra é só “Petrobrás e Polenta” escorregou ladeira abaixo, derrapou feio na curva da estrada. Ele nos repassou que, há noventa e nove anos (99), em 1923, dava-se o início da construção “del Campanile” da Igreja Matriz N.S. da Conceição de Urussanga, ou seja, a torre do sino. Tal fato está registrado nos manuscritos do imigrante Italiano Giovanni Battista Fontanella, seu nonno, oriundo da comune di Longarone. Sob os auspícios do Padre Luigi Gilli, cada pedra colocada: “una benedizione”. Diziam Amélio Bez Batti e Orestes Del Pratto que a fundação desceu até o nível do Rio dos Americanos. Battista contou com o auxílio de Matheo De Brida, Domingos Fontanella, Isidóro Fontanella e tantos outros. E esta aí até hoje “il Campanile” incólume. Para tantos fofoqueiros da época que diziam “le fòra di piombo la vá dô”. Material guardado a “ sete chaves” no arquivo “dei discendenti di Giovanni”, ali na Rua do Sapo. 99 anos depois, no prumo e com o relógio marcando a hora para você não perder o trem, o ônibus, o bonde, o compromisso, a missa. E ainda dizem que Fontanella significa “pequena Fontana”. Vai nessa que você vai bem. É mais que ouro. Guarde bem, Gilson.



Capa da Revista Bellunesi Nel Mondo – Sem necessidade de legenda. Apenas, deveria se repetir a placa do filme “E o Vento Levou”. “Quem perturbar o sossego desta propriedade será processado”.


QUEM JÁ NÃO COMEU UM MIOJO?

Quem comeu um miojo fui eu, foi você. Mas quem inventou o miojo? Ele é adorado e consumido por milhões de pessoas em todo o globo. Foi inventado pelo japonês Momofuku. Sua criação ficou marcada para sempre na história, já que o miojo passou a ser consumido em missões espaciais. Na rapidez da vida moderna, a rapidez na confecção do prato: água quente, minutos e tempero. Ele foi lançado pela Nissin em 1958, somente depois surgiu o talharim e o yakissoba e, portanto, já atingiu a 3ª e está rumo a 4ª idade. Sucesso absoluto em sua pátria, no Japão foi considerado a invenção mais importante do século XX na área gastronômica. Momofuku recebeu o título de “Rei dos Macarrões” do Oriente. A cada ano são servidas mais de 100 bilhões do produto. Seriam 13 porções para cada pessoa no planeta. No Brasil, desde 1965, o consumo gira em 2 bilhões de porções, ocupando o décimo lugar no mundo. O ambiente para o surgimento do miojo tem como antecedente o Japão destruído na II Guerra com filas intermináveis de pessoas passando fome. Era preciso um método rápido de preparação de alimentos e aí surge o “Lámen” tradicional macarrão japonês. O seu criador, Momofuku, iniciou a produção do miojo numa cabana de madeira no quintal de sua casa, utilizando como ingredientes a farinha de trigo e o óleo doados pelos EUA nos anos pós-guerra. De sua cabana para todos os supermercados do mundo. Seu criador nasceu em Taiwan, durante a ocupação japonesa em 1910 e faleceu em 2007 aos 96 anos. Ganhou estátua em seu país no Museu de Ikeda, Osaka, sul do Japão. Uma de suas frases: “A paz está garantida quando não se está com fome”. Acredita-se que o primeiro macarrão instantâneo foi o E-fu, na China, do século XVI. A China, sempre ela. Dizem os críticos culinários que o prato típico japonês é uma bomba de sódio. Mas o que não é uma bomba nesta vida. Basta em tudo buscar o equilíbrio. Já são 10 da noite e não jantei. Vou fazer um miojo.



Com orgulho seus nomes no nosso caderno de amizades: Da Rádio Marconi, Jair de Ávila, o Bicudo, apresentador, e Eraldo Luís da Silva, o Janguinha, comentarista esportivo. Grandes amigos e, desde a semana passada, segundo informações ainda não confirmadas, foram tombados oficialmente pela ONU como patrimônio cultural da humanidade através da UNESCO.


PÍLULAS

  • Os irmãos Costa (Odemar, Demétrio e Daniel), urussanguenses da Avenida Marcos Costa e domiciliados em São Paulo, receberam aplausos e moção de reconhecimento por iniciativa do deputado José Milton Scheffer, colega engenheiro agrônomo da Epagri, numa iniciativa da Leti. A comunicação e a difusão do conhecimento, da inovação e da tecnologia na área agropecuária foi o “insumo”. Zé Milton lembrou que 60% das exportações catarinenses e 30% do PIB catarinense vêm desse setor. A empresa familiar da Família Costa completa 40 anos e atinge a edição nº 500 da Revista DBO. É Urussanga fazendo história no mercado editorial brasileiro.

  • A Praça Anita mais verde. As Equipes do Meio Ambiente e do Cirsures na manhã de quinta-feira passada tornaram a Praça Anita Garibaldi mais verde. Durante o dia na praça que nos liga definitivamente com a cidade de Laguna, tivemos conscientização, distribuição de mudas e fornecimento de informações técnicas sobre a questão ambiental para a população. O meio ambiente só vencerá se o Poder Público puxar o processo e a população, de um modo geral, empurrar esse processo. Nas ações do Meio Ambiente quem estava totalmente identificada com a profissão que escolheu era a Engenheiro Sanitarista e Ambiental do CIRSURES, Graziela Copetti.

  • Rainha Elizabeth II alcança 70 anos de reinado em Londres. Símbolo da nação inglesa, então, como dizem os ingleses “God save the Queen e “Long live the Queen”. Deixou para trás reis longevos: Rainha Vitória e Imperador Hiroito, ambos com 63 anos de reinado. A realiza britânia une a nação.

  • O rádio é um verdadeiro bálsamo para todos aqueles que estão doentes, presos no leito de uma cama, ou mesmo pelas razões mais diversas aprisionadas em casa. As ondas do rádio e seus locutores sabem como ninguém preencher os espaços vazios de uma vida. E saber que o Pe Agenor enfrentou batalhas homéricas com a Igreja, pois queria transmitir missas pelo rádio, mas as autoridades eclesiásticas da época tinham sérias ressalvas. Grande Pe Agenor, quanto mais os anos se distanciam, mais gigante você se apresenta.

  • Durante as comemorações dos 30 anos do Gemellaggio Urussanga Longarone, esteve no ar com a apresentação de Fernando Luigi Padoin Fontanella, Victor Nesi e Victor De Brida, o programa radiofônico “Mi Piace Itália” pela Radio Marconi. Novas edições deveriam ocorrer no período da XX Festa do Vinho e na Vindima Goethe de 2023.

  • Embora provoque motivos e memes, a Dilma Rousseff foi a presidenta que construiu a monumental ponte Anita Garibaldi em Laguna, constantemente iluminada para registrar bons momentos, o último, o Dia dos Namorados.SC agradece.

  • No último final de semana, ocorreu o denominado “Sábado Animal”. Pelos resultados alcançados, como ração para os animais da Dona Maria Vieira de Santaninha e dentre outros, cerca de 100 castrações, adicionadas às 1000 já anunciadas pelo COMBEA, podemos reescrever o “Sábado Animal” como um “Sábado Muito Humano”. Parabéns ao Felipe Cataneo e sua equipe. Quem disse que não existe Serviço Público de qualidade? Existe sim. Aliado a esse processo esteve o CDL.

  • A expressão “é o Xis da questão” é algo do mundo passado. A situação se agravou. Agora a expressão é o “Z” da questão.

  • Mapeamento por imagem de satélite da Epagri confirma que SC é o maior produtor de maçã do Brasil. Em 2º lugar, colado, o vizinho Estado gaúcho. A produção de maça em nosso Estado está presente em 29 municípios, com destaque para São Joaquim, Fraiburgo, Bom Jardim da Terra, Urubici e Urupema. São Joaquim produz 55% do total.

  • E o político mineiro Alexandre Kalil afirmando que mineiro não dá bolo. Dá café quente com pãozinho de queijo. Por aqui, o nosso prato político não é café, nem bolo, ou cróstoli, não é polenta, nem vinho e nem queijo. A pizza ainda não foi produzida e quer nos parecer que o prato político é o “entrevero”. Um novo redemoinho político se desenhou na politica urussanguense. As nuvens não param de se movimentar. Novos desdobramentos em série no horizonte. Um ponto final nesse processo somente em 2024. Um processo de “pato manco”.

  • Não procure Cristo sem cruz. Você não vai encontrá-lo.

  • É ou não é de se assustar? Enquanto a população alfabetizada nos EUA estava no patamar dos incríveis 70%, altíssima para os padrões da época, em 1880, o Brasil figurava nas estatísticas como míseros 2%.


ATTENTI RAGAZZI


Lembre-se que com o amor ou sem o amor de Deus, você na natureza é apenas um número entre os muitos milhões, bilhões, trilhões... Nada mais do que isso.



Panorama homenageia os funcionários da Garagem (Secretaria de Obras), que às 7 da matina já estavam lá, para zarpar com seus veículos, máquinas e equipamentos para mais um dia de lavoro nas ruas, estradas e propriedades rurais.