top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

SÉRGIO MAESTRELLI

CANARINHO FUTEBOL DE SALÃO, MAIS DE 50 ANOS DEPOIS


Neste espaço verde amarelo, a homenagem do Jornal Panorama aos ex- atletas do Futebol de Salão, do Canarinho, Atlético Mineirinho, Flamengo, Real Madrid, Palmeirinhas, Náutico, Ouro Sul Juvenil... dos Anos 70.



O ano de 1969 foi um ano extremamente marcante. Foi o ano em que o homem chegou na Lua com a Apolo 11. Foi o ano do último show dos Beatles. Foi o ano em que tomou posse o presidente Médici que, posteriormente, pisaria em Criciúma, a então Capital do Carvão.

Foi o ano da estreia do Jornal Nacional. Foi o ano do milésimo gol de Pelé. Foi o ano em que o Canarinho Futebol de Salão foi o incontestável campeão com emoção na quadra de chão do De Bridão, em Urussanga/SC.

No sentido horário: De pé: Sérgio, Vicente, Ilsinho, Gim; sentados: Kiko, Pelé e Derdi. Ausentes no momento da foto, Bita e Lucafo. Um ano depois, o “90 milhões em ação/ Pra frente Brasil/ Salve a Seleção” explodiria no inesquecível México de 1970, no ano em que os deuses enciumados também quiseram jogar futebol. A foto que não foi batida em 1969 foi clicada em 2021 pelo celular do Paúra na S.R.U no último dia 27.



Dos nove da camiseta Hering branca transformada em amarela: Pelé, Bita, Vicente, Bita, Gim, Derdi, Kiko, Lucafo, Sérgio e Ilsinho. O craque Ilsinho não chegou à seleção, mas chegou à Cidade Azul, Tubarão. Jogou no Hercílio Luz e no Ferroviário. Em Florianópolis, jogou no Figueirense e, em Itajaí, no Marcílio Dias. Na terra dos açorianos, da Marejada, do camarão, do peixe frito e do pirão, ele não resistiu. Sentiu saudades da namorada e voltou para o Sul numa providencial carona.

Olha aí o regulamento e uma das súmulas.



Hermes, Paúra e Bita e Lucafo: dois zagueiros, um goleiro e um atacante.




Assim como os demais, Derdi (foto ao lado), num dia e numa noite de abraçar todas.




Não podemos jamais esquecer do Hamilton Delayti, o “Garrão”, que agarrou toda a gurizada da época, conduzindo-a para a prática salutar do esporte. Com o esporte, ele deve ter tirado muitos adolescentes do possível mal caminho. Aqui, com a Equipe Juvenil do Ouro Sul Futebol de Salão: Nézio Bendo, Neivan Cancelier, Elias Biz, Serginho P. da Silva, Garrão, Agachados: Beto Fortes, Tassinho Zuchinalli, Ninho Mazzucco e Betinho Contessi. Toda a turma dos times de futebol dessa época lhe rende reconhecimento, homenagem e agradecimento, Garrão.



Garrão e o Juvenil do Ouro Sul

Das ausências justificadas

Rozemberto “Bita” Fontanella ficou preso num casamento em Nova Bellun, Humberto (Beto) Dal Bó, ficou preso no Mato Grosso. Calma pessoal, preso, sim, mas na estrada com seu caminhão de transporte de madeira a serviço de Luizinho Serafin, um dos “Generais do Cerrado”. E, ausentes por outros motivos: Danner, Milton, Goulartinho, Rato, Jorge Padeiro, Sílvio.


Fatos e casos entre 1968 a 1972

Sílvio, na quadra do Ginásio Colombo Machado Sales em Criciúma, girando ao redor da bola como um pião, caindo como uma árvore na Amazônia e paralisando o jogo; Nilson e a dúzia de ovo podre no goleiro do Cond’Eu de Orleans; Sérgio escrevendo uma cartinha para a Hering de Blumenau, pedindo a doação de camisetas brancas (peixinhos) para serem tingidas pela Dona Gervina, Neca e Marlene; Outras camisetas foram compradas no Laurinho, na Casa Santa Rita da Dona Carlota e da Dona Ruth e também na Loja Chiquinha. Pelé afirmando que não foi goleiro titular na inauguração da Quadra de Futebol de Salão do Ginásio Centenário em 1978, por chegar atrasado, pois “na época” estava apaixonado pela Denise, que foi o motivo do seu atraso; Depois do amontoado de garrafas de cerveja vazias, a discussão num dos grupos: “O chula era irmão do Tona ou o Tona era irmão do Chula?” Não chegaram a uma conclusão. A questão ficou pendente; As garrafas vazias de Vinho Samos/Santé do Seu Darvino com rolhas que à noite boiavam no Rio dos Americanos da ponte ao Posto Texaco de Lydio De Brida e que financiaram camisetas e uma bola numa prática comercial ilegal; Ilsinho criando coragem e de ônibus da São José indo sozinho à Criciúma para comprar o seu famoso par de Kichute. Alguns foram atrás do tênis Conga e outros do tênis Bamba, mas a maioria, por questões meramente econômicas, optou por jogar ao natural, ou seja, de pés no chão e, meu amigo, bolhas surgiam na quadra quente de concreto do U.F.C. Essas lesões, às vezes, deixavam alguns fora da próxima partida.


Dos organizadores

Tudo na vida um dia se esvai por entre os dedos como areia fina da praia. Você quer segurar e não consegue. Restarão apenas os amigos e os bons momentos vividos. Na Sociedade Recreativa Urussanga, reviveu-se 50 anos num único dia. Vicente De Bona Filho, o Vicentinho, e Leoberto José Piacentini, o “Pelé”, realizaram dezenas de postagens, dispararam centenas de “zaps”, outros contatos e recados para o 1º Encontro dos Amigos do Canarinho F.S., no último dia 27/1. A eles, o reconhecimento dos demais participantes, simpatizantes e torcedores.


ATTENTI RAGAZZI

Uma das regras da organização é a visibilidade das coisas. Tudo o que está muito bem guardado e muito bem escondido normalmente é esquecido. Não sei quem escreveu isso, mas seguramente foi endereçado para mim.



Comments


bottom of page