top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

SÉRGIO MAESTRELLI




Depois de andar a pé ou de bicicleta por décadas, a Cultura Urussanguense finalmente motorizada. O perigo da multiusada Ipanema da Secretaria de Obras com a inscrição Agricultura na porta, que iria ter o Agri apagado e passaria para Cultura, foi definitivamente afastado. A Secretaria vai rodar num “0 KM”. Então, agora esta questão de andar a pé, apenas para o tatu no distrito paulistano de Tatuapé. Alternando no volante do Argo da FIAT, o trio Eriqui, Alice e Willian. Argo, uma embarcação grega construída com a ajuda da deusa Atena, deusa da Sabedoria.


CÓDIGO DE BARRAS E QR CODE

O código de barras surgiu em 1952 e foi inspirado no Código Morse. Foi criado por dois estudantes da Drexel University na Filadelfia, Bernard Wilver e Nortman Woodland, ambos escoteiros. Hoje a tecnologia está disseminada e a sua utilização é muito comum em diversas áreas, na indústria, comércio e serviços. O computador transforma as barras em letras e números e você já fica sabendo quanto pagar na boca do “caixa”. O primeiro produto que foi registrado por código de barras foi um pacote de chicletes em 1974. No Brasil, o Código Nacional de Produtos (código de barras) foi introduzido em 1984. Já a tecnologia do QR Code (Quick Response, que significa resposta rápida) foi inventada pela empresa japonesa Denso-Wave em 1994. A princípio, visava atender a indústria automobilística do Japão, tratando-se de uma maneira de catalogar as peças na linha de produção. Hoje eles estão por toda parte, desde sites até anúncios. Os códigos QR podem ser lidos e decifrados por smartphones e câmeras digitais e armazenam grande quantidade de informações envolvendo textos e fotos. O homem cada vez mais dependente das tecnologias para seguir no seu dia a dia.


2 DE JULHO

E no dia em que o calendário gregoriano marcou os 68 anos de falecimento do Cônego Luiz Gilli, nosso 2º pároco, que nos presenteou com a torre e a igreja, o prefeito municipal Jair Nandi sancionou a Lei nº 3146, de 27 de junho de 2024, que dispõe sobre a Criação do Sistema Municipal de Política Cultura, institui o Conselho, o Fundo e o Plano Municipal e dá outras providências. O ato ocorreu no Salão de Atos do Paço Municipal Lydio De Brida com a presença do Secretário Eriqui Niclele, diretora Alice Batista João e membros do Conselho Municipal. O diretor de Turismo Willian Marques esteve ausente por motivos mais do que justificados. Estava em outra frente de trabalho importante para o desenvolvimento do nosso turismo. Totalmente sincronizado com a área cultural, o prefeito Nandi afirmou ser este o caminho. Ouvindo mais se erra menos, disse o edil naquele seu característico jeito de falar sereno e centrado. Urussanga é rica em trabalho, rica em história. Acorda cedo e dorme tarde, finalizou Nandi. É o Paço acertando o passo.


REENCONTRO


Numa dessas manhãs, reencontramos o amigo e colega da Estação Experimental da Epagri, o engenheiro agrônomo Jack Eliseu Crispim. Presidente da antiga EMPASC, que com a ACARESC originou a Epagri, Crispim desenvolveu importantes projetos na EEUR na área de grãos e principalmente na área da produção de cachaça, ajudando inclusive a fundar a Associação Catarinense dos Produtores de Aguardente de Qualidade (ACAPACQ).

As recentes conquistas de prêmios, por parte de nossos produtores de aguardente, dentro e fora do país, tem as suas digitais. Tem as digitais do Crispim. Ele que agora é morador de um sítio na localidade de Rio dos Americanos. Escolheu um ótimo lugar.


PÍLULAS


  • Vimos e já ouvimos muitos elogios aos outdoors espalhados pela cidade afirmando: “Urussanga: Onde a história, tradição e cultura se encontram num só lugar”. As imagens escolhidas foram perfeitas e retratam o nosso povo, a nossa terra, a nossa história, a nossa cultura. A equipe que criou este trabalho, não acertou na mosca. Acertou no mosquito. Agora se foi o mosquito da dengue ou não, não sei.

  • Por outro lado, quer nos parecer que a burocracia e a morosidade da Fundação Catarinense de Cultura no encaminhamento, na orientação e no trato dos bens tombados é algo que no quesito tempo ultrapassa o próprio processo de canonização dos santos do Vaticano.

  • De tão parada, chega a desafiar a Lei de Newton, o inglês da maçã. Salvo melhor juízo, algumas obras de restauração em Urussanga seguem na morosidade, e segundo os proprietários ou representantes deles, as questões se arrastam há meses sem soluções práticas envolvendo a referida fundação.

  • FCC, menos presença na Capital e mais presença no interior do Estado.

  • “Para ser voluntário basta ter força de vontade. E ser voluntário significa ser um farol que pode iluminar a vida de muitas pessoas, restaurando a sua dignidade, dando novas oportunidades de reestruturação de suas vidas”. Da médica mineira-urussanguense Dra. Daniela Serafin Couto Vieira, ao receber moção de reconhecimento na Câmara de Vereadores por iniciativa do vereador Ademir Bonomi pelo seu profissionalismo brilhando na área da medicina e do voluntariado. Presentes à sessão, emocionados, os pais Antônio Carlos e Saletinha, além das filhas Sofia, Isabella e Giovanna. A boa terra jamais nega louvor e reconhecimento a quem trabalha.

  • “Ledo” engano, você deve jogar a “esmo”. “Vamos derrotá-lo? Sim é naturá-lo”, disse o outro querendo imitar o primeiro no verbo. – não é mesmo Dr. Tadeu Francisco de Césaro, cirurgião dentista e também um dos filósofos da Rua do Sapo.

  • Enquanto o Brasil disse nas urnas “Esquerda volver”, nos principais países do mundo o lema é “Direita Volver”.

  • Na União Europeia, a Direita manda nos oito principais países: Itália, Finlândia, Eslováquia, Hungria, Croácia, República Tcheca, Suécia, Holanda. Na América Latina, a expoente é a Argentina. E a Direita, ao que tudo indica, deve mandar também na França, Alemanha e nos States com o furacão Trump.

  • Vai ser muito difícil a Esquerda ser ouvida nesses países. Se a luz vermelha no Planalto não acendeu ainda é porque está queimada ou tem problema no sensor. A esquerda não vive globalmente um bom momento.

  • Não confundir focar com fofocar. E fofocar seria por acaso focar duas vezes?

  • O quarteto que anda comandando a Cultura, o Esporte e o Turismo Urussanguense, Eriqui, Maria Alice, Willian e Vanessa, não esperaram a tradicional prestação de contas dos 90 dias nos respectivos cargos e já “nos 70” apresentaram ao Conselho as ações já realizadas, as que estão sendo encaminhadas e as que serão criadas. A referida “prestação de contas” com seus resultados causou um impacto bastante positivo junto ao Conselho e demais participantes da reunião.

  • “Tenho 78, com energia de 40 e tesão de 20”. Lula, falando à rádio CBN.

  • Vereador de São Paulo recua em projeto aprovado em 25 segundos que previa multa de R$ 17 mil a quem doar comida a morador de rua. “É punição aos pobres”, disse padre Júlio Lancellotti.

  • O argumento do edil foi o de garantir segurança alimentar. Padre Lancelotti afirmou que segurança de quem tem fome é prato de comida. Realmente o país não descarrilha por completo, simplesmente porque não há trilhos. É mais um maluco na política saindo do seu quadrado. Cada maluco com sua maluquice. Tem mais malucos nas ruas do que nos hospícios.

  • No seu balé de prende e solta, solta e prende, processa e “desprocessa”, a Justiça Brasileira transmite ao cidadão comum três coisas: por um lado, descrédito, por outro, desconfiança, e por um terceiro, insegurança jurídica total. Alguém já disse que o Brasil é o único lugar do planeta em que o passado pode ser mudado, fator este que segundo a teologia nem Deus teria poder para tal. E agora Antenor, como fica então a questão do Claudionor?

  • A gente leva a vida inteira para entender a vida. É vero.

  • E o padre Fernando dos Santos Oliveira, em Urussanga rebatizado pelo Pe. Giliard como Fernando Dei Santi Olivo, numa dessas manhãs no programa Alvorada do Cristão lascou no ar o termo “anacoreta” e causou uma grande interrogação na cabeça de muitos ouvintes. Anacoreta? É. Anacoreta caracteriza aquele monge ou eremita que vivia solitariamente nos primórdios do Cristianismo, e hoje mais comum, aquela pessoa recolhida e afastada do convívio social. Ah! Agora tá.

  • Matheus Thomaz completou neste 1º de julho, onze anos de Rádio Marconi. Ele, nos bastidores, desde as primeiras edições, deixa nos trinques para ir ao ar o “Attenti Ragazzi”, mas mesmo assim, em algumas situações, o AR trinca a paciência de alguns e também de outros.

  • Pantanal é um paraíso ameaçado. O fogo agindo com uma intensidade nunca vista. Poucas medidas de prevenção e de vigilância no horizonte, segundo a grande imprensa nacional. O mesmo fogo que queima o Pantanal vai queimar muitos políticos. Fogo não conhece a esquerda e nem a direita. Viaja na direção 360º.

  • A era dos secretários de administração oriundos “de fora” parece que acabou. Alguns com um bom trabalho, outros nem tanto: Roberto, Dalvânia, Ademir e Xixo Murara, cujo modelo com este último explodiu. Aquele que veio de Sombrio para sombrear a nossa terra e atacar as nossas mais tradicionais instituições, como exemplo, a Rádio Marconi. Ao ser nomeada para a Secretaria da Administração, Andressa Baldessar dos Santos surgiu para quebrar o elo dessa corrente.

  • “Alguns vivem para comer e beber, quando se deveria comer e beber para viver”. Pe. Jiovani Manique Barreto, Pároco de Cocal do Sul.

  • Aos nossos políticos do Sul. Vamos imitar os deputados do Norte. Vamos deixar de pedir e começar a exigir. Que tal seguir essa sugestão. Uma ação que pode provocar efeitos colaterais no bom sentido. O processo começa com os vereadores sempre umbilicalmente ligados a algum deputado. Então, avante edis.

  • O inverno começou e os nossos políticos não perdem e nem empatam nenhuma. Ganham todas. Eles acabaram de criar mais um imposto: “A Taxa da Blusinha”. No verão deverá vir a “Taxa do Biquini, do Shorts, da Bermuda”.

  • Furiosa, terrível, perigosa, danosa, fiasquenta, esbravejou alguém nesta semana na Benedetta. Dio Mio, quem será ela?

  • Para resolver o problema, lápides de cemitérios são usadas para preencher buracos em rua do município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, lá no Rio de Janeiro, território que vai cada vez mais se assemelhando ao Velho Oeste Americano. Várias lápides quebradas registram nomes de pessoas, com datas de nascimento e morte. “Fin del mondo”, diria o Everaldo Savi Mondo.

  • O vereador Caio De Noni efetuou homenagem a Valdir Magagnin, agricultor e líder comunitário de São Pedro, falecido no dia 24 de junho. Ele, juntamente com o ex-vereador Omero, batalhou e conseguiu que parte do Bairro São Pedro, então pertencente a Pedras Grandes, fosse incorporado a Urussanga em 2007-2008. Valdir Magagnin utilizou muito de seu tempo para a comunidade.

  • A doença é uma ótima conselheira”. Foi o que disse o cantor Eduardo Dussek.


ATTENTI RAGAZZI

-“A minha mãe sempre falava e eu nunca escutava”, dizia o Willy.

-”Mas o que é que a tua mãe falava, Willy?”

-“Não sei. Eu já te disse. Eu nunca escutava.” De Willy Wurst, o mais autêntico dos alemães do Vale do Itajaí.

Commentaires


bottom of page