SÉRGIO COSTA

Réplica I

Enquanto Nova Veneza fez sua fama com uma gôndola, gastronomia e carnaval com suas máscaras, outro município da região vai buscar na terra dos imigrantes italianos um elemento para anexar à simbologia turística. Trata-se de Pedras Grandes que, além de ser a terra da Festa Nacional do Vinho Goethe (aquele mesmo da ID), agora vai se destacar construindo uma réplica da Torre de Pisa, no centro do distrito de Azambuja.

Mas o que mais chamou a atenção em rede social após o anúncio feito pelo prefeito Agnaldo Filippi, foi a participação de vários urussanguenses querendo dar palpites na administração do projeto turístico na vizinha cidade.

Urussanga, levando em conta a falta de ações e investimentos na área da cultura e do turismo há anos, não tem resultados que a coloque em pedestal para aconselhar alguém. Nem mesmo nosso maior equipamento turístico, o Parque Municipal, está recebendo o devido cuidado.


Réplica II

Para completar, acrescento que não se deve ser tão radical e seletivo quando da busca de um símbolo italiano para anexar à cultura local. Se só pudéssemos nos valer da região do Vêneto para mostrar que temos sangue puro vindo da “bota” europeia, teríamos, então, que devolver o ID e esquecer a uva Goethe. Afinal, quem a criou foi um norte-americano que, para homenagear um alemão, colocou o nome de Goethe.


Na torcida

Enquanto uns discutem se deve ou não ser feita, se é ou não símbolo representativo, outros já estão criando uma banca de apostas. O motivo? Saber se os pedra-grandenses serão capazes de construir uma torre que só finge que cai. Por enquanto, as apostas mostram que a turma acredita que a torre ficará de pé e inclinada. Por aqui, já tivemos uma bela cópia da torre de Pisa no centro da Praça D’Italia, que não caiu, e só não existe mais porque derrubaram e deixaram apodrecer.


Falando nisso

Outro ponto desta discussão virtual sobre Pedras Grandes e sua torre merece destaque. Internauta colocou que, antes de pensar em turismo, é preciso avisar a população que será necessário trabalhar nos sábados, domingos e nos feriados. Bem colocado. Não adianta criar atrativos se não houver um receptivo muito bem preparado para atender quando ele, o turista, resolver nos visitar. Já cansei de servir de guia nos domingos de manhã, na Praça Anita Garibaldi.


Já por aqui

A polêmica girou em torno da marca criada e apresentada na quarta 11/8, dizem, para representar Urussanga. Eu, por exemplo, sem intenção de falar mal de alguém, tenho a dizer sobre a apresentação que assisti: logomarca fraca, com traços parecendo desenho infantil e fonte antiquada. Sem falar que não ficou bom escrever Benedetta em minúsculo embaixo da logo, pois remete a um nome dado para a cidade. Se foi preciso trazer o Sebrae pra isso, rezem. Aliás, o Sebrae já esteve por aqui há quase quatro décadas fazendo o diagnóstico do potencial turístico local, apresentando estratégias e dando cursos. Para nossa Governança de Turismo e Secretaria de Turismo, sem querer ser metido, fica a sugestão: ao invés de edificações se equilibrando numa taça sem pé e cheia de água de rios poluídos, usemos o já conhecido e lindo símbolo criado pelo arquiteto Nevton Bortolotto: o portal da Estação. Lá está toda a nossa essência histórico-cultural. Chega de inventar moda, jogar fora o que está pronto e bem feito, e perder tempo com o desnecessário só para mostrar serviço.


Tempo de mordomias

Ao transitar pela rua Joaquim Vieira Ferreira, no centro de Urussanga, vislumbrei as duas residências que serviam aos gerentes e sub-gerentes da agência bancária do Banco do Brasil.

Tempo em que a estatal adquiriu dois lotes e construiu duas belas casas para, com o dinheiro do povo, oferecer mordomias a servidores públicos.

Hoje as referidas edificações não pertencem mais ao BB.


Dúvida I


Vereador Luan Varnier(MDB) soltou o verbo na sessão da última terça-feira 10/8, deixando claro que não acredita no resultado da sindicância feita pela administração municipal sobre o fura-fila da vacina em Urussanga.

Embora o número de casos de Covid venha diminuindo na cidade, a tendência é que as especulações e dúvidas continuem aumentando enquanto não sair o veredicto do Ministério Público. Aguardemos.





Dúvida II

Embora a realização de Sindicância seja um fator positivo, é preciso termos consciência de que elas não podem deixar margens para indecisões e, se houver constatação de qualquer irregularidade, o que o povo espera se resume em apenas uma palavra: exoneração.

Seja quem for e de que partido for.


Pra derreter I

Prefeito interino Jair Nandi está passando uma régua na administração municipal urussanguense, fazendo saltar os problemas existentes e tentando encaminhar soluções.

Em menos de três meses de mandato, já mudou a liderança do Governo na Câmara, exonerou servidor da Vigilância, exonerou diretor do Samae, transferiu Tita Bom da PMU para a Educação, já abriu três sindicâncias por denúncias contra servidores e agora formou Comissão para avaliar a cacalhada armazenada no Parque Municipal para posterior venda em leilão.

Aliás,a forma de armazenar bens públicos no Parque mostra descuido total com o patrimônio público e com o dinheiro do povo. Isso sem falar no desgosto que dá ver edificações mal cuidadas por lá.


Pra derreter II

Nandi, determinou que nada se compra e nada se paga sem que as notas e autorizações sejam assinadas por quem pediu, usou o material e autorizou a compra do mesmo.

Procedimento já fez diminuir cerca de 50% do volume de notas empilhadas sobre a mesa do prefeito interino.

Tá certo o Nandi, quem diz que precisa comprar tem que assumir a responsabilidade do pedido.

Agora fica a dúvida: se diminuiu tanto, será que as feitas anteriormente eram realmente necessárias?


Mais um

Outra Comissão foi formada esta semana para apurar caso ocorrido ainda no mês de janeiro deste ano, quando um servidor acabou causando danos a um caminhão dentro da própria garagem da PMU. Eita nós!


Cantando Si Va

Segundo Teresinha Possenti, uma das integrantes do grupo folclórico, as serenatas acontecerão nos bairros Pirago, Rio Caeté, São Pedro, Estação, Centro, Rio Maior, Belvedere e Bairro De Brida. Em cada bairro serão escolhidas três residências a serem contempladas com as apresentações.

As serenatas serão com músicas italianas e tendo por prioridade pessoas idosas e acamadas.

“As famílias que gostariam de receber a serenata devem fazer contato através dos telefones 3465-1003 ou 3465-1358, para que possamos agendar” explicou Teresinha.

Compõem o Grupo:Arlete Zannin, Amadeu Zannin, Antenor Bonetti, Irani Baldessar,Gracia Fabro Benedet, Graça Ceron, Laudelino Muttini, Ilo Fernandes, Luis Bresciani, Kuki Savi Mondo, Marli Peraro, Souvenir Demarch e Teresinha Possenti