SÉRGIO COSTA

Dando apoio

Foto Divulgação


Prefeito Gustavo Cancellier foi quem recebeu o apoio da bancada PPista logo após a votação na Câmara de Vereadores, na noite da última terça-feira 21/9.

Residência de sua mãe, nas proximidades do Parque Municipal, ficou cheia de ppistas que formam a sua base dentro do partido e comemoração, em filmes e fotos, bombou no whatsapp. Na foto acima, Zé Bis, Thiago Muttini, Bonettinho e o vereador do PDT Rosemar Sebastião, registrando o momento para a posteridade.


Virando o tabuleiro

Se o ex-vice- prefeito Luiz Henrique Martins e o ex-vereador Júlio Bonetti deram o xeque-mate para os vereadores urussanguenses tomarem uma atitude diante das denúncias de irregularidades na administração municipal; os três vereadores de situação: Bonetti, Zé Biz e Mutini simplesmente viraram o tabuleiro do jogo e derrubaram torres, reis e rainhas.

Numa reviravolta inesperada de posição, os três desdisseram o que tinham dito em plenário e votaram contra a instauração da Comissão Processante.


O revide popular

Esta mudança de discurso resultou numa rejeição popular que foi manifestada em redes sociais e também foi motivo até para criação de um grupo de whatsapp.

Este grupo está se organizando para colocar outdoors na cidade, mostrando esta indignação.

Parece que a história vai longe.


Voltando

Se o pedido do prefeito Gustavo Cancellier for aceito pela Justiça, ele deve iniciar a próxima semana já na cadeira do Paço Municipal. A partir daí, um novo capítulo inicia na administração, deixando em dúvida como será o relacionamento de Cancellier com seu vice Jair Nandi. Isso porque, numa atitude de independência política, o PSD - partido de Nandi, votou a favor da instauração da Comissão Processante.


Sem recompensa

Vereador Rosemar Sebastião, ao menos que eu saiba, nunca afirmou ser a favor da instauração de uma Comissão, e talvez seja o que sofrerá menos com sua decisão na votação. Mas, para não ser chamado de vendido futuramente por negociação de voto na sessão da terça passada, terá que pagar um preço: não assumir nenhum cargo que possa ser oferecido pelo prefeito Gustavo e continuar até o final de seu mandato como legislador.


Questionamento

Ao conversar com um urussanguense, ele colocou que não concordava com minha opinião quando escrevi, na semana passada, que Geraldo Fornasa era importante e forte liderança do PP. Respeito a opinião dele.

Mas preciso dizer: este jovem questionador ainda nem havia nascido quando Fornasa já militava pelo partido que se chamava ARENA e hoje, depois de várias mudanças de nome, se chama PP.

Fornasa ajudou sim, e era sim uma forte liderança que fez parte da construção do PP e ajudou a manter por décadas o partido que hoje tem o Prefeito levado por ele ao mundo PPista em 2016.

E tudo isso sem ter cargos ou emprego na PMU.

É preciso parar de tentar diminuir o valor de militantes, quando estes resolvem deixar a sigla a que pertenciam.


Na obscuridade

Quem pensa que está escape de avaliações externas ao se integrar em um grupo fechado, está enganado. A verdade sempre dá um jeito de mostrar quem é quem.


Condenando a PF

Informação que me foi repassada é de que após a abertura do relatório apresentado pela PF, no processo onde o prefeito Gustavo foi indiciado, muita gente terá que pedir desculpas por julgar antecipadamente os envolvidos. Se isso for verdadeiro, certamente os que sofreram calúnia e difamação, deverão abrir processo por danos morais contra a Polícia Federal, por esta induzir a população a pensar que mais de R$ 600 mil foram desviados em apenas duas obras.


Baixas nos partidos

Depois das desfiliaçoes de Serginho Maccari Junior, Clesinho Fréccia, Jaderson Roque e Geraldo Fornasa do PP, outro partido que faz parte da coligação que governa Urussanga também perdeu lideranças.

Ex-presidente do PDT e uma das organizadoras da fundação do partido na cidade- Íris Cancellier, o ex-membro da Executiva Luis Jiusti e o ex-integrante da Executiva Samuel De Brida, deram adeus aos ex-correligionários PDTistas na tarde da última quarta-feira 22/9.


Novas forças

Conversa nos senadinhos da Benedetta é de que as forças que abandonaram a coligação que governa o município atualmente, estarão se organizando para formar uma frente ampla na próxima eleição. E já tem até gente definindo potenciais candidatos a Prefeito.

Indefinição

Já para os pretensos candidatos da situação na Benedetta, os que querem ocupar a cadeira do prefeito Gustavo no futuro, a esperança de sucesso estará atrelada a um só fator: a comprovação de inocência nas denúncias feitas e nos indiciamentos da Polícia Federal


Prerrogativa

Faixas levadas por apoiadores do prefeito e que foram expostas na sessão da última terça-feira na Câmara com dizeres querendo transferir para o Judiciário um trabalho que o Poder Legislativo tem garantido pela própria legislação brasileira, foi considerado erro estratégico por muitos urussanguenses. Afinal, vereador também é Justiça e também tem a competência, alicerçada na Lei, para agir como Fiscal e Juíz.

O resto é só conversa fiada, pois não seria a 1ª vez que uma Comissão deste tipo seria instaurada no legislativo urussanguense para dirimir dúvidas. Aliás, gente que hoje é contra, já se mostrou favorável à Comissão Processante quando o prefeito não era de seu partido. Só para lembrar.


“Tá faltando pólvora”


Para deixar registrada a indignação da juventude urussanguense, apresento a mensagem que recebi via whatsapp e foi publicada em rede social da internet após a votação que frustou a expectativa de instauração de uma Comissão Processante no legislativo urussanguense. E só pra não achar que é pensamento partidário de oposição, o jovem que escreveu não é do MDB.