Sérgio Costa

Código de negociação

Decifrando o código político de negociação em época de eleições:

1- Sentamos para conversar = Vamos enrolar e ganhar tempo para melhor proveito.

2-Evoluímos bastante= Marcamos outra reunião para semana que vem.

3-Temos as mesmas afinidades= Todos queremos a cabeça de chapa.

4-As nominatas estão quase completas=Não está fácil achar nomes

5-Quanto a coligações, não podemos adiantar nada = Estamos aguardando o espaço que será oferecido por outros partidos.

6- Vamos conversar com todos = Buscando um caminho para chegar ao poder.

7-Temos nomes fortes para cabeça de chapa. Mas o projeto pelo povo é maior. = Estamos prontos para sair de chapa pura. A gente não quer, mas se ninguém quiser estar conosco, a gente é obrigado a ir sozinho mesmo.


Furador de teto

Fiquei sabendo que após a pandemia, uma mineradora voltará a atuar com intensidade e, devido aos últimos acontecimentos que mexeram o subsolo, deverá abrir muitas vagas para “furadores de teto”.

Isso porque há muitos técnicos da vida fazendo cair raio na própria cabeça. Inacreditável!


Afastados

E a pandemia também nos tirou do contato quase que diário duas figuras humanas da melhor qualidade na cidade. Falo de Lúcio Ollivier Ghisi e o Armando Bettiol. Ambos deram um “chá de sumiço”mas, felizmente, sabe-se que estão muito bem e em isolamento nas suas casas.


Sem respeito

A Vigilância Sanitária de Maracajá intensifica a fiscalização em estabelecimentos comerciais, especialmente em bares dos bairros e localidades do interior, onde as normas de distanciamento social e uso de máscaras não estão sendo respeitados. Além disso, o monitoramento de pessoas contaminadas, suspeitas ou monitoradas será mais rígido, inclusive com possibilidade de prisão pela Polícia Militar, caso sejam vistos nas ruas da cidade, burlando a quarentena.

E não é só em Maracajá. Os casos de não observância destas e outras normas campeiam em vários municípios sem que proprietários destes estabelecimentos se preocupem em exigir e praticar o correto.


“Covot-20”

Essa indefinição sobre uma possível mudança na data da próxima eleição tem causado estragos junto aos pré candidatos.

Se ficar em casa é o correto e necessário para dar bom exemplo, não visitar eleitores em busca de votos é trilhar o caminho da Covot-20. Ou seja,sem voto, a morte nas urnas!


Novo mundo

O dia em que vereador não usar mais a tribuna ou seu poder para pedir lâmpada, lombada, caminhão de areião e fazer média dando nome para ruas ou títulos, nascerá um novo mundo.

Com certeza!

E por falar

Em vereadores, é preciso ser urgentemente estudado o posicionamento da Câmara de Urussanga, onde o registro das atas das sessões não é mais feito em livros, somente de forma eletrônica. Embora seja preciso evoluir, o papel é o único modo de salvaguardar memórias que ainda não está sujeito a se perder devido a mudanças tecnológicas. Exemplo: quem hoje usa disquete para guardar arquivos ou consegue abrir um arquivo do PageMaker feito na década de 1990?


Colaborando



Secretário de Saúde Marcos Roberto Silveira afirmou a este colunista que, salvo alguns excessos, a população de Urussanga tem se mostrado responsável quanto a prevenção e cuidados de higiene e isolamento social.. Tomara que continue assim.


Da Nonna

Nesse mês de aniversário da cidade, uma frase que sempre ouvi de minha saudosa nonna Amália Mariot Costa: “la caura che sberega, perde il boccon.

Ou seja, a cabra que berra, perde a comida.


Enjoado

Não são poucas as pessoas com as quais conversei e que me disseram estarem enjoadas de tanta conversa sobre negociações político-partidárias com vistas à próxima eleição.

Parace que o “coronga” deixou eleitores impacientes e sem disposição para os toma lá dá cá, típicos da nossa democracia.


Estiagem

Prefeito Gustavo Cancellier, em Projeto enviado ao Legislativo, pede permissão dos edis para que o Porteira Aberta possa chegar nas propriedades rurais com caminhões pipa e perfuração de poços artesianos. Pedido feito, pedido aceito.


Queda na arrecadação

Levantamento da FECAM aponta que, em abril, a queda na arrecadação dos 295 municípios de Santa Catarina em tempos de Coronavírus foi de 20%, o que representou perdas de R$ 94 milhões aos cofres das prefeituras.


Auguri!

Aos nosso leitores urussanguenses, que neste 26 de maio comemoram o aniversário de sua cidade, os nossos cumprimentos. Andiamo avante! Tim, tim!