top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

São Joaquim busca IG de Carne de Frescal

São Joaquim avança na consolidação da Indicação Geográfica da Carne de Frescal

Durante a abertura da 10ª Vindima de Altitude foi entregue pelos representantes do Sebrae/SC a documentação do processo



A cidade catarinense de São Joaquim, conhecida nacionalmente pelo frio e Serra do Rio do Rastro, possui quatro Indicações Geográficas (IG) dos seguintes produtos: Maçã Fuji, Mel de Melato da Bracatinga, Vinhos de Altitude e o Queijo Serrano.

Com o apoio do Sebrae/SC, por meio de estratégias voltadas ao turismo e em busca da quinta Indicação, representantes da entidade realizaram a entrega da documentação do processo inicial já realizado para a consolidação da Carne de Frescal, ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), durante a abertura da 10ª Vindima de Altitude, que ocorreu na última semana. 

Durante o evento, ocorreu o ato de assinatura de um protocolo com o Sebrae/SC e a Administração, dentro do Programa Cidade Empreendedora, para criação da marca turística de São Joaquim. Estiveram presentes o presidente do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae/SC, José Zeferino Pedrozo, o presidente do Conselho Deliberativo Estadual, Renato Campos Carvalho, o vice-presidente do Conselho, Marcos Pagani e o gerente regional Altenir Agostini.


FRESCAL

O gado alimentado na Serra com capim mimoso, alguns com suplementação, e a genética de qualidade proporcionam um sabor diferenciado à carne. Após o abate é preparado o Frescal, uma carne curada e com consistência. O produto agrega valor para a Serra Catarinense, fator que motivou a criação do selo de IG.

A valorização de produtos territoriais é uma estratégia do Sebrae/SC para geração de renda dos produtores rurais, como explica Agostini. “A região possui várias Indicações Geográficas, o alho roxo na região de Curitibanos e principalmente o Frescal na região de São Joaquim. Durante a abertura da Vindima, realizamos a entrega da documentação necessária para protocolar a IG no INPI”, comenta.

Os estudos, levantamentos, diagnósticos e a delimitação territorial já foram concluídos e encaminhados. A Associação inicia o processo de entrada no INPI, solicitando o deferimento. “Essa será a quinta Indicação Geográfica da Serra Catarinense, colocando a região como uma das principais no país em termos de produtos com essa classificação”.



Commentaires


bottom of page