Rio Maior perde professora que alfabetizou várias gerações


Essa semana a comunidade de Rio Maior, em Urussanga, perdeu uma valiosa parte de sua história com o falecimento da professora Zenita Giordani Bocardo, aos 82 anos de idade.

Filha do casal Estêvão Giordani e Anita Lupis, Zenita nasceu em 1/04/1939 e viveu sua infância e adolescência ao lado dos irmãos Altair, Nadir, Vani, Valmi, Vanio e Vânia na pacata localidade distante cerca de 7 km do centro da cidade e que abriga patrimônios histórico-arquitetônicos de Urussanga, entre eles a igreja de São Gervásio e Protázio, local próximo de onde ela sempre residiu.

Numa época em que as mulheres eram estimuladas a dedicar suas vidas para o casamento, Zenita teve a sorte de poder estudar e ter uma vida profissional por pertencer a família de um homem visionário - Estevão Giordani, que foi vereador de Urussanga e realmente deu o primeiro passo para o que hoje se chama Gemellaggio com a cidade italiana de Longarone.

Em setembro de 1961, aos 22 anos de idade, Zenita casou com Nevi Bocardo, também morador da localidade de Rio Maior, com quem teve os filhos Estevão - casado com Maria Aparecida, Mauricio - casado com Sandra, e Alexandre - casado com Michele. Teve também quatro netos, sendo eles Anita, Júlia, Pedro e Arthur.

Durante os 25 anos que lecionou na Escola Isolada do Rio Maior, a professora Zenita foi exemplo de dedicação em uma época que as condições de trabalho, diferente dos dias atuais, eram bem difíceis.

A esta mulher, que sempre participou das atividades comunitárias e religiosas de sua comunidade e deixou como legado uma porta aberta ao conhecimento para várias gerações, Panorama SC rende sua homenagem e o reconhecimento por tão importante trabalho.

Que Deus a acolha em seu Reino e dê conforto a seus familiares.