Renascendo em terras distantes

Urussanguense dona de sorveteria perde tudo em enchente e reinicia seu projeto de vida na Alemanha


Nascida em Urussanga e vivendo sua adolescência no bairro que leva o nome de sua família, Jadlaine Rosseti foi mais uma dentre as centenas de pessoas que resolveram buscar, na Europa, um futuro melhor.

Seu destino: Alemanha.

Com 22 anos de idade, Jadlaine atravessou oceanos para trabalhar em sorveteria italiana na Alemanha, enfrentando os problemas que iam desde a saudade da terra natal aos problemas de adaptação às novas culturas e idiomas.

De 2005 até 2009, trabalhou como funcionária de sorveteria.

Em 2010, com a ajuda de um sócio, alugou uma sala e montou sua própria sorveteria.

Desde 2018, Jadlaine é a única proprietária e conta com uma Equipe de trabalho que a ajude manter a fidelidade da sua clientela.

Mas a vida parece não dar-lhe folga nas provações e, com a pandemia da Covid-19, foi preciso muita habilidade para manter-se no mercado com o lockdown e todas as exigências impostas pelo governo alemão para tentar erradicar essa doença.

“Eu, com a ajuda da minha Equipe, consegui passar por este momento tão difícil que foi a pandemia da Covid, que ainda está dificultando nosso trabalho.

Mas, no mês de julho, tive outra grande provação: a enchente que aconteceu na cidade onde resido acabou com a minha sorveteria. Foi uma tristeza. Sorte que sempre fui precavida e tinha um seguro para tudo. Assim, vou ter prejuízo porque não poderei atender meus clientes até que tudo seja refeito, mas ao menos poderei recomeçar na cidade onde vivo já há 12 anos” explicou Jadlaine à reportagem de Panorama SC.

Ao falar sobre sua terra natal, a urussanguense afirmou que sente muita saudade, que um dia pretende voltar e que gostaria de deixar registrado o seu abraço aos familiares.

Quando perguntada sobre o que diria para quem pretende trabalhar na Europa, Jadlaine afirmou que trabalhar no continente europeu é uma grande aventura e, quando se deixa o ninho familiar, cada um se vê obrigado a voar com suas próprias asas num mundo completamente estranho.

“É difícil estar longe da família, mas se aprende muito, se adquire muitas experiências. Sou muito grata por ter tido esta oportunidade de estar na Alemanha e hoje ter minha própria sorveteria”, concluiu Jadlanie.