Relatório Final da Comissão Processante de Gustavo é arquivado

Após mais de 10 horas de sessão, trabalhos foram encerrados sem julgamento do mérito

Uma faixa delimitando espaço e impedindo a entrada de populares e da imprensa na Câmara de Vereadores de Urussanga, foi o que se viu na sessão da Comissão Processante desta segunda-feira 16/05, que deveria julgar as denúncias de supostas improbidades administrativas do prefeito afastado Gustavo Cancellier. Esta determinação de isolamento se deu em virtude do segredo de Justiça existente em parte do material utilizado pela Comissão Processante e que está no processo que Cancellier enfrenta na Justiça.


A reportagem de Panorama, que ficou praticamente das 8h e 30min até às 20 h acompanhando os acontecimentos, registrou os tumultuados momentos da sessão, na qual o ex-vereador Júlio Bonetti entregou Requerimento ao presidente da Mesa - Elson Roberto Ramos solicitando que fosse convocado o suplente do vereador Rosemar Sebastião, por considerar que o mesmo estava inapto à votação por ter proximidade com o acusado e ter declarado publicamente seu voto a favor do prefeito Gustavo Cancellier. Presidente Elson colocou em votação, que foi aprovada pela maioria necessária e após suspendeu a sessão para convocar o suplente do PDT - Erotides Borges, Tidinho.

Advogado responsável pela defesa de Taliano, rapidamente deixou os recintos da Câmara e entrou com um Mandado de Segurança. No período da tarde, por liminar concedida pelo juíz da comarca de Urussanga, Taliano voltou ao seu lugar no legislativo e com direito a votar.


A maioria dos vereadores votou contra a Preliminar da Inépcia da Denúncia, que era uma das três preliminares existentes no Relatório Final feito pelo relator Luan Varnier, o qual sugeria a cassação do prefeito Gustavo em virtude dos fatos oriundos da Operação Benedetta da Polícia Federal, ocorrida em maio de 2021 e que culminou com o afastamento de Gustavo da PMU.


Após 10 horas de sessão, como uma das preliminares havia sido reprovada, a maioria aceitou uma das teses da defesa e acabou arquivando o Relatório Final.

Prefeito Gustavo nem correu o risco de acabar sendo cassado caso algum vereador da sua bancada votasse errado, mas vereadores deixaram em aberto o julgamento do mérito. E isso significa que uma nova denúncia pode ser feita.


Para os urussanguenses que aguardavam pelo gran finale,fosse qual fosse o resultado, parece que a novela das Comissões Processantes terá novos capítulos e todos eles, como tem sido até agora, recheados de muitos Mandados de Segurança e Liminares.