RANGEL QUAGLIOTO

Assim eu penso…


Hoje vou um pouco além das nossa fronteiras municipais.

Acredito fielmente que em qualidade de vida, seja ela social, cultural e profissional nossa cidade se destaca tranquilamente dos demais vizinhos, e “condados” em torno, os famosos municípios próximos. Qualidade de vida que temos em abundância em Urussanga e isso é palpável e perceptível. E acompanhando tudo isso de dentro, participativo e consumidor por mais de 3 décadas de vida desta qualidade, eu observo que a imprensa regional não enxerga desta forma. Porque escrevo isso? Porque observo ou quando ouço algo de Urussanga, na sua grande maioria é levando e levantando polêmicas, trazendo assuntos negativos e que sempre são direcionados a prejudicar a imagem de nossa cidade.

Mas quer dizer então que não deve haver denúncias na imprensa regional? Óbvio que sim!!! Deve-se e muito quando houver tais problemas e levantados de forma profissional (e não é o diploma o divisor de águas) com informações compactadas e realmente analisadas em todas as adjacentes da ocorrência. Talvez, se a mesma proporção de coisas boas, notícias produtivas, evoluções e situações de destaque em algum setor também tivessem a mesma atenção e espaço nas pautas e comentários, destacando atividades públicas e privadas, acredito que a desconfiança dos “alugueis jornalísticos” não seria tão escancarado, vergonhoso e questionável. Se você buscar fatos positivos que aconteceram nos últimos seis meses em nossa cidade e que tiveram a mesma conotação e importância dada aos fatos negativos, você vai entender o que escrevo.

Será que os 90 anos de um clube de futebol que tem uma rica história na região e que mobiliza uma cidade não merece tal espaço?

Será que projetos como de um jovem que sai às ruas fazendo uma limpeza urbana motivado pela vontade de ter um lugar melhor e mais limpo não deveria ser destaque?

Talvez um projeto de flexibilização para a prática de esportes não teria uma luz de esperança as pessoas nas suas cidades para a prática de exercicios fisicos?

Será que a produção de produtos coloniais e a manutenção destes trabalhos manufaturados não mereceria destaque? Será que o nosso turismo religioso e o ciclo turismo que vem trazendo pessoas de todo o Estado não merece uma chamada em algum noticiário?

Parece que nossa cidade para a imprensa regional só importa quando tem vinho e polenta e acompanhados da visita sempre vem uma “vendinha” embutida na boa vontade de mostrar Urussanga.

Sim! Nossa cidade só se torna interessante para apresentar suas coisas boas, que são maioria que acontecem aqui, tem que ter uma venda casada, uma página fechada, um spot vendido ou uma publicidade televisiva acatada. Por isso que a imprensa anda tão desacreditada, chata, poluída e prostituída. Navego há anos, para não dizer décadas, neste setor que é o quarto poder desta nação. E com isso levo a vocês aquela velha frase que, quando queremos conhecer o caráter de alguém, dê-se o poder a este alguém. Pois é, por isso que desisti do diploma da faculdade de jornalismo, quando estava a um passo de tê-lo. Quase tudo tem um preço, e infelizmente, a imprensa sempre esteve no setor de promoção ou queima de estoque.


Mais uma pra conta

O vereador opositor da atual gestão, Luan Varnier levantou mais uma bola na região esta semana. Colocando em dúvida o projeto de lei que partiu do Executivo sobre as gratificações. O assunto repercutiu tanto que saiu da esfera legislativa e parou nas redes sociais e imprensa da região. Segundo o vereador, considera tal ação vergonhosa perante a realidade municipal.


Tenho dito

“É simples, o intuito do prefeito é poder gratificar os seus apadrinhados! Todo mundo sabe que a nossa prefeitura contrata ACT’s de forma irregular, o próprio Ministério Público entrou com um processo para coibir isso. No fim são ACT’s disfarçados de “comissionados”. Tirando a exclusividade de gratificar efetivos, vai virar uma farra! Isso que estamos enfrentando uma pandemia devastadora; não tem explicação!”

Vereador Luan Varnier (MDB) em declaração sobre o projeto de lei do executivo.


Do Executivo

Segundo explicação do poder Executivo o projeto, que é constituciona,l visa gratificar além de funcionários efetivos também o Agente de Contratação Temporaria (ACT). Porém não significa que serão efetivadas essas gratificações. O objetivo é economizar, já que muitos destes agentes acumulam funções ,e assim, não havendo necessidade de contratação de mais funcionários.


Vetado

Projeto do feminicídio apresentado pelo vereador Luan Varnier (MDB) foi vetado pelos poderes Executivo e Legislativo. Fica vigorando o projeto do vereador Elson Roberto Ramos (MDB). Apenas fazendo adequações e adaptações. A alegação para a manutenção é que o projeto do vereador Elson é mais completo.


Assume

Nessa segunda feira assume o comando da Diretoria de Agricultura de Urussanga, Jorge Domingos Lavina.


Parceria

Em visita a cidade de Urussanga, o reitor da Unibave - Dr. Guilherme Valente veio conhecer os trabalhos do Conselho de Municipal do Bem-Estar Animal (Combea). E a visão do novo projeto foi positiva e a parceria já está no jurídico para os últimos ajustes. O município fará uma parceria com o Hospital Veterinário da Unibave visando a castração, microchipagem e atendimentos aos animais de rua.