RANGEL QUAGLIOTO

Assim eu penso...


Abrem-se as cortinas, o show da política municipal começou.

A euforia de eleitos e reeleitos passou e, agora, as provas reais serão colocadas em prática.

E, com certeza, não é diferente em nossa cidade que as atenções e tensões começam a aflorar a partir do início dos trabalhos do legislativo. Com mais de 50% da Câmara Municipal renovada, tivemos uma primeira sessão bem conduzida e definida, já demonstrando como será o comportamental de cada integrante.

A ala jovial mostrou personalidade na primeira sessão e, claro, se aguarda, espera e quase que uma obrigação, apresentar um diferencial na tal nova forma de fazer política.

Temos uma situação bem articulada e com um corpo de integrantes altamente favoráveis a atual administração pública. Parecendo inclusive, com a inclusão do ex-líder da bancada do MDB - Elson Roberto Ramos, o Beto, cujas informações são de que continuará na sigla apenas por questões legais para a continuidade de seu mandato.

O restante da situação é um quadro bem interessante e que servirá de grande escudo para a atual administração, que está servida de conhecimento no quadro do legislativo.

Já a oposição ficou nítida que dependerá única e exclusivamente do jovem Luan Varnier, que vem se destacando perante a comunidade com campanhas regadas a redes sociais e tem o seu telefone como porto seguro aos descontentamentos populares e que assumiu de vez o papel de porta voz popular e isso possibilita ter acesso ao caos trazendo a luz da solução.

Caminhará sobre ovos, porém se esse caminhar for bem conduzido, terá um respaldo popular ainda maior como oposição necessária. Adentrando ao poder executivo, entendo que quanto mais aliados, mais a possibilidade das coisas darem certo. Porém a condução de todo este corpo se torna algo estratégico e uma linha tênue entre o bem e o mal se forma, porem vai de encontro com a atual situação e proposta do setor privado que o menos é mais e sim do mais continua sendo mais.

Já nas secretarias e diretorias, nomes mantidos nas principais pastas. Algumas gratas e jovens novidades assumindo funções de grande responsabilidade colocarão a prova se a juventude “dá conta do recado”. Velhos conhecidos assumindo funções que já fizeram parte dos currículos dos mesmos e a única novidade que causou impacto é o Samae que tem como seu condutor, Vanderlei Marcirio, o Deco. E para finalizar, o vice-prefeito, Jair Nandi vem conduzindo os assuntos pendentes e novos da atual gestão. Dias carregados de reuniões e conduções fazem do atual vice uma peça fundamental nesta administração.

Como diriam os velhos poetas boêmios, agora é esperar para ver. Se o reeleito, Gustavo Cancellier fará parte do “hall” dos reeleitos que fizeram administrações ruins ou será um diferencial na história política. Aval da sociedade essa administração tem, dinheiro em caixa sobrando, segundo a administração. Agora vamos analisar a gestão de pessoas, pois serão quatro anos de preparação para um novo condutor. Apertem os cintos, pois vai ser de arrepiar.


Mais uma


Presidente do MDB- Vanderlei Olivio Rosso, usou os microfones da Rádio Marconi para falar das idas e vindas do partido neste processo de desfiliação em massa. Falou da democracia que o partido se utiliza para deixar seus filiados à vontade para ir e vir. Também mencionou traidores que se utilizaram da sigla e de pessoas que querem ser candidatos porém não tem voto, que ficou uma indireta clara ao ex-presidente e ex-vereador, Ademir De Brida Junior que prontamente já se posicionou nos bastidores respondendo tal declaração.


Tenho dito


“Bom, eu tenho uma eleição com um percentual histórico de votação como vereador e ganhei como presidente do partido também. Ele disputou 7 eleições e perdeu 4. Então, quem tem mais voto? Mesmo não estando no MDB, fico triste pela condução trágica do partido nos últimos anos. Torço pela recuperação do Lei e tenho muito respeito pela pessoa e pela história de vida, mas no campo político chegou a hora de se aposentar e ficar em casa.”

Ademir De Brida Junior, respondendo as declarações do atual presidente do MDB urussanguense sobre ele querer ser candidato e não ter voto.


De saída


E o processo de desfiliação em massa do MDB parece não ter fim. Com a saída do ex-vereador Guilherme Serafim, mostra que mais uma família tradicional deixa o partido.

Alguns nomes já estão no processo de bater em retirada. Entre eles, ex-presidentes, ex-vereadores e candidatos e nomes expressivos que compunham o partido entregarão nas próximas semanas suas saídas da sigla.


Cogitado


O nome do jovem Leonardo Felippe já circula nos corredores como o nome certo para conduzir o partido “rosso/nero” em breve.

Ele que vem atuando na ala jovem MDBista parece ser a esperança de novas ações, aquisições e condução na nova jornada que se inicia.


Cortes


A nova gestão chegou fazendo uma reformulação administrativa e causou certo desconforto com algumas exonerações. Alguns nomes que fizeram parte da campanha que deu a vitoria a coligação Progressista/PSD foram afastados de suas funções e causou desconforto para quem passou pelo RH do Paço Municipal e já foi motivo para estar do lado oposto da força.


Visita


A comitiva urussanguense que esteve na cidade de Joinville voltou animada com o que viu, principalmente com relação ao pólo industrial.

Até o Balé Bolshoi foi alvo de um futuro projeto de captação de talentos da cidade para tal.


Só acho...


Fico feliz com o deslumbre e a visão empreendedora cultural para um possível “peneirão” para jovens talentos ingressarem no mundialmente conhecido Balé Bolshoi. Mas o que me faz pensar é que não temos a capacidade de montar um grupo de dança folclórica, onde temos que buscar nas cidades vizinhas, como Nova Veneza para representar nossa cultura então me preocupa o futuro de tal ação.



Contra o tempo


O que chama a atenção é a quantidade de obras que está sendo realizada na cidade. Muitas pendências sendo finalizadas do ano passado e novas frentes sendo abertas. A diretoria de obras está se desdobrando para que tudo aconteça com agilidade e, principalmente, qualidade.


Assunto da vez


Alvará caiu como uma pauta interessante nestas últimas duas semanas. Valores diferentes das cidades vizinhas e a forma de cobrança são os estudos do momento.

Resultado: o valor continua o mesmo, porém parcelados em 10x para amenizar os pequenos, médios e grandes empresários.


Próximo...


O assunto IPTU progressivo parece ser a próxima “lebre” a ser erguida.

Com a formação da “poupança imobiliária” que vem ficando na mão de poucos e fazendo nossa cidade estagnar com terrenos abandonados, inutilizados e com preços inacessíveis para vendas. Salas comerciais fechadas e com alugueis que tornam quase que impossível alcançar a prosperidade em novos empreendimentos e ceifando jovens empreendedores de usufruir de nossa cidade, a pauta precisa ser levantada e analisada com seriedade.