RANGEL QUAGLIOTO

Assim eu penso...

Eleito com uma votação recorde, com aceitação popular e transformação em um líder político municipal.

Desbancou e debruçou em cima de vários articuladores e líderes de outras épocas e siglas.

Tudo tranqüilo? Com certeza não!

O atual prefeito e reeleito, Gustavo Cancellier, vai atravessar uma das jornadas mais difíceis da sua vida pública. Ele terá a missão de fazer uma gestão melhor que esta que está findando, e será muito cobrado por isso.

Terá que administrar egos, equipes inflamadas por apoios abraçados nesta corrida eleitoral.

Cortes virão e a lista já está quase pronta. Distribuição de funções será necessária e, claro, sem contar as famosas alas que o partido nitidamente tem, dividindo-se em duas partes.

Será um mandato que a estratégia, junto à malemolência da cintura, farão a diferença.

Sem esquecer que é necessário deixar um sucessor para dar continuidade de sua visão e ação política.

Tem um excelente time a disposição, desde jovens experientes à experientes jovens. Talvez o sucessor possa estar até mesmo da gemelaridade, entendendo todo o contexto vivido nestes últimos tempos.

Gustavo terá um vice-prefeito atuante e que vem conquistando ares em pouco tempo.

Sem sombra de dúvida, o vôo do atual gestor é visível e tem como aterrissagem a Alesc. A costura vem cingindo caminhos que tudo leva a crer que poderemos ter tal situação em breve.

Pegará nos próximos anos todos os frutos do seu trabalho sendo colocados em prática.

Mas o fato é que: será amplamente muito mais difícil essa gestão, e a dificuldade será longe de ser financeira.

Porém ficou nítido que o clã pró Gustavo (e não em prol do partido) é muito maior e que será muito atuante para a consistência de suas decisões e defesas. Novos tempos virão, novos vôos serão alçados para longínquos verões.

Mas, como em todo longo caminho acontecem imprevistos, o comportamento diante disso será o famoso “divisor de águas”. Que venham as novidades e o desenrolar delas.


Fortes declarações

As declarações do líder Progressista e Presidente da Comissão Pró Hospital Odivaldo Bonetti foram fortes com relação ao seu colega partidário e Presidente do Legislativo- José Biz. Inclusive trazendo uma “saia justa” quando desmentiu o vereador Ze Biz dos reais motivos do veto para a viagem, em que o mesmo alegou preocupação com a integridade física dos envolvidos. “Ele queria economizar para devolver ao Executivo, essa é a verdade”afirmou Odivaldo Bonetti.


De encontro

Em relação as alegações do vereador Odivaldo Bonetti de que a Câmara dos Deputados e Senado já estará atuando normalmente dentro dos protocolos de saúde e também sobre a importância da liberdade do vereador em continuar os trabalhos; existe uma colisão frontal com a realidade e com as ações do Legislativo e do Executivo urussanguenses. Já que, desde março, a Câmara de Vereadores tem um acesso restrito a tudo e todos e, nesta semana, a parte superior do Paço Municipal encontra-se isolada impedindo o acesso do público.


Necessário

Acredito que uma das ações que se faz necessária do poder público municipal e, principalmente da Comissão Pró Hospital, seja uma prestação de contas de todos estes recursos disponibilizados para esta entidade filantrópica. São grandes montantes oriundos de recursos públicos e cujas explicações devem ser colocada a disposição, não individualmente, porém coletivamente dentro de um portal de transparência. Que, inclusive, poderia ser feito no próprio site do hospital que, em pesquisa até o fechamento desta coluna, encontrava-se desatualizado.


Aliás...

Toda entidade que recebe recursos com dinheiro ou qualquer coisa que seja provenientes setores públicos deve prestar conta do que fez e quais os resultados. A transparência é importante para a continuidade da caridade e empenho de todos os setores que vão do privado, público e sociedade.


Lamentável

O caso das “podas” das árvores gerou polêmica na semana que passou. Qualquer explicação que foi tentada levar ao público mostra que o trabalho não foi bem executado, assim com as argumentações relatadas. Faltou gestão da atividade realizada e eficácia para realizá-la. Perdemos um belo local que, sim, precisava de um reparo e manutenção preventiva e não de uma devastação. Esperamos que o erro grotesco e irreparável ficasse naquele trecho e nos demais locais que precisam ser revitalizados seja colocada, além da questão técnica, carinho com aquilo que se dispõe a fazer. Segue o jogo!


Ainda não

Para quem aguardava um pronunciamento do novo secretariado ainda em 2020, não terá sucesso. Os novos integrantes da gestão do próximo ano ficarão também para 2021. Algumas secretarias serão mantidas com seus atuais responsáveis. Alguns nomes já fazem parte das especulações em torno do Esporte, Social, Cultura e Samae.


Caos, terror e outras coisas


Foto divulgação

Foi assim a madrugada de terça-feira na cidade vizinha de Criciúma que fez parte dos telejornais nacionais e até mundial.

Um assalto daqueles que vemos em filmes e séries, evidenciou nossa fragilidade e mostrou que nossa região é uma porta aberta a grandes eventos de terror. De um lado uma falta de inteligência da inteligência da Policia Militar. Acentuadíssima a situação que nossos policiais se encontram quanto a material para combate e que, de forma acertada, não foram para o embate na zona central.Outro fator foi a sequência de declarações desastrosas do prefeito de Criciúma e que tivemos a prova presencial que o crime está muitos anos luz à frente da sociedade, que era para ser organizada.

A expectativa é que não sejamos um “nicho de mercado” da criminalidade daqui para frente.