RANGEL QUAGLIOTO

Assim eu penso...


Reconstrução: Ato ou efeito de reconstruir, reedificar. Junção de elementos separados para se construir um todo. Nova formulação, reorganização. Renovação: Ação ou efeito de renovar; ação de fazer com que (algo) fique como novo; ato de se modificar para melhor.

Então caros leitores, resolvi colocar o significado destas duas palavras no início da minha textualização de pensamentos, pois são elas que nas últimas semanas, pós-eleição, tenho ouvido constantemente de pessoas ligadas diretamente ao MDB.

Foi um duro “puxão de orelhas”, daqueles que levávamos das excelentes professoras do maravilhoso Colégio Barão do Rio Branco quando não fazíamos as lições de casa ou não estudávamos para as provas.

Na penúltima eleição a lição de casa, no caso da derrota nas urnas, mostrava que o lema “É o povo de novo” não fazia mais parte apenas do cotidiano dos MDBistas. O povo havia mandado um recado que não ficaria a mercê para sempre dos “senhores de engenho” da política local.

A virada histórica em 2016, daquelas que aos 45 do segundo tempo o time faz aquele gol de falta e dá o título a sua torcida, foi vivenciada em formato político naquele ano.

Foi indigesto para o partido “rosso/nero”, porém serviu como um presságio de que precisavam serem revistas situações, ações que culminariam em reações nos próximos quatro anos. Porém o tempo passou e a prepotência e incoerência interna, eram vistas, ouvidas e lidas, sempre achando que o mundo era o problema. Mas tudo estava concentrado dentro da bolha que o partido se tornou, onde apenas a concordância era bem vinda e a discordância era vista como algo quase que herege dentro do entendimento do grupo fechado do partido que, até então, era do povo. Lideranças eram deixadas de lado, descartadas e saiam pela porta dos fundos como peças recicláveis e que não cabiam mais dentro do propósito “meia dúzia” do partido.

Passaram o tempo, conduções atrapalhadas, desordenadas. Fatos relevantes tratados com amadorismo e a linha tênue que separa a realidade da hipocrisia sendo toda hora ultrapassada, apenas refletiam o resultado das urnas que estaria por vir. Mas bem, vamos voltar lá para o significado das palavras.

Reconstrução: Sim! O partido vai ser obrigado a passar por isso. Mas a reconstrução está na forma, idéia, ação natural e não forçada. Se a idéia são as pessoas em primeiro lugar, que sejam ações interpessoais, abertas, ouvidas, assistidas e colocadas em prática. Restauração de laços e valorização de quem construiu, contribuiu para que o partido chegasse ao patamar que atuava. Renovação: A pluralidade desta palavra vai além de idade ou do “besteirol” de “nova política”. A renovação começa com cada membro fazendo exercício do espelho, em que não faz a pergunta: por que perdemos a eleição? E sim: o que eu errei nestas eleições?

A reforma tem que ser de dentro para fora.

As pessoas precisam se sentir novamente motivadas, precisam a comprar a idéia de um partido popular aberto e com essa aquisição você terá algo fundamental para o sucesso: Confiança. Novamente o recado foi dado. Agora, basta saber se, novamente, o partido vai dar as costas para a realidade e ficar no clubinho fechado do egocentrismo ou vai ter a grandeza que o MDB é maior do que isso que está ai.

Espero poder estar aqui em 2024 para ter essa resposta.


Especial: Legislativo


O Papo Base volta e com novidades. O especial, legislativo traz uma conversa com cada vereador eleito de Urussanga.

A partir da próxima semana, o especial terá três programas por semana. Para quem gosta de política, tá demais! Você pode acompanhar o Papo Base pelo YouTube e também pelo site da Rádio Marconi.


Com força


A segunda onda do Covid-19 veio mais devastadora. Os casos ultrapassaram o suporte de UTI’s dos hospitais e o número de óbitos já vem quebrando recordes na região.


A culpa é...


Claro que do povo que achou que acontece sempre longe de nós. A falta de cuidados e a liberdade que foi dada ocasionaram este estouro no número de contaminados.



Irresponsabilidade


E coloco muito “na conta” as festas eleitorais que aconteceram no ultimo dia 15 de novembro em várias cidades da região.

Acredito que a falta de bom senso imperou em cada um que participou. E por favor, quando for usar da discordância comigo, não me venham com “estava engasgado”.

Mais inteligência e menos efeito manada.



Natal em jogo


Com toda essa onda da epidemia o comercio abre novamente o leque de preocupações não somente com as atividades culturais do final de ano. Mas também com uma possível queda nas vendas que vão desde falta de produtos de reposição, a alta dos preços dos mesmos e também da possibilidade da ausência do consumidor nas ruas.