top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Projeto apresenta inventário Cultural de Siderópolis


Um trabalho de mapeamento, identificação e registro do patrimônio cultural de Siderópolis está sendo finalizado e será disponibilizado para a população nos próximos dias. O documento, contemplado com o edital Elisabete Anderle de estímulo à Cultura do Estado de Santa Catarina, tem aproximadamente 100 páginas e conta a história de 20 bens, selecionados numa lista com 50 opções. A pesquisa será disponível em formato de um livro digital, apresenta fotos antigas e atuais, com informações sobre o ano de construção estilo arquitetônico, o que funcionava no local ou quem morou no imóvel.

Conforme as autoras do projeto, a arquiteta e urbanista, Angela Paula Ribeiro, e da museóloga, Franciele Maziero, “Inventário Participativo: Identificação, Registro e Difusão do Patrimônio Cultural de Siderópolis”, constará a pesquisa, registro e difusão dos bens materiais e imateriais do município.

Na última semana, dia 22, uma reunião de finalização com representantes do município foi realizada. Na avaliação do assessor de cultura e turismo da prefeitura de Siderópolis, Arisson Fabricio, o projeto é uma ferramenta importante para a valorização do nosso Patrimônio. “Siderópolis precisa ter mais consciência do seu legado histórico e cultural. Vem em boa hora esse material muito bem elaborado", comentou.

A arquiteta e urbanista, Angela Paula Ribeiro, diz que ainda há muito trabalho aqui na região para realizar. “Depois do incidente da casa amarela percebemos que falta muito conhecimento sobre a importância de se preservar bens históricos”, disse.

Já a museóloga, Franciele Maziero, relata que a finalização do projeto em Siderópolis se deu de forma participativa com o Departamento de Cultura, a Secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Município, e com a participação do prefeito em muitos momentos. “Foi feita toda a parte de apresentação, desde o primeiro projeto até esse segundo, onde também se falou sobre a intenção de se prolongar essa discussão a respeito da história, patrimônio material e imaterial de Siderópolis, por meio de um novo projeto, quem sabe, a ser aprovado aí no Elizabeth Anderle, em 2023”, analisou Maziero.

O projeto “Inventário Participativo: Identificação, Registro e Difusão do Patrimônio Cultural de Siderópolis”, foi aprovado no Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura, e está sendo executado com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura.


Comentários


bottom of page