top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Presidente do Compede expõe dificuldades das pessoas com deficiência


A reunião ordinária da Câmara de Urussanga desta terça-feira, dia 18, teve a presença de Maria Alice Júlio Batista, presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (Compede), para falar sobre assuntos relacionados à mobilidade urbana e à acessibilidade pública em Urussanga. A explanação foi solicitada por meio de requerimento apresentado pelo vereador Luan Varnier (MDB) e aprovado por unanimidade. Maria Alice expôs um panorama dos desafios das pessoas com deficiência em Urussanga, os serviços públicos que eles têm à disposição e das formas como a sociedade pode proporcionar condições de vida melhores. “É fundamental que tenhamos em mente que somos todos capazes de realizar pequenos, médios e grandes feitos. Só precisamos de acolhimento, acessibilidade e equidade. É função nossa garantir possibilidades de uma vida independente, inclusiva e participativa”, explicou. De acordo com os dados apresentados por Maria Alice, Urussanga tem 381 pessoas com deficiência registradas, o correspondente a 1,82% da população. A presidente do Compede chamou a atenção para o termo correto para se referir a elas: pessoas com deficiência. “Certos termos são inadequados e pejorativos, como incapacitado, inválido, aleijado, excepcional, especial, incapaz, portador de deficiência, pessoa com necessidades especiais, bem como alguns adjetivos como coitado, tadinho. Nenhum deles precisa disso. Precisa de respeito”, afirmou Maria Alice. Segundo ela, a inclusão deve se dar em quatro eixos principais: inclusão social e funcional, inovação e educação inclusiva, acessibilidade arquitetônica e urbanística, acessibilidade comunicacional e tecnológica. Maria Alice ainda apontou a necessidade de regulamentação do Fundo de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da elaboração de um Plano Municipal de Acessibilidade Ela apontou situações concretas em que a sociedade falha ao promover inclusão, como a falta de intérprete de Libras nas reuniões da Câmara e em eventos oficiais promovidos pelo município, ausência de locais adequados para estacionamento, falta de preparo no atendimento à pessoa surda, muda ou deficiente visual, entre outras situações. A presidente do Compede convidou para a primeira Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Com Deficiência, a ser realizada no dia 26 de outubro, das 8h às 11h30, em local ainda a ser definido - a organização busca um lugar com plena acessibilidade.

Commentaires


bottom of page