Presente de grego - dívida de mais de R$ 1 milhão prejudica Samae de Urussanga


Urussanga parece estar vivendo seu inferno astral e vendo seu apelido carinhoso de Benedetta ser questionado diante de tantas notícias ruins referentes a comportamentos inadequados, por parte de agentes públicos que deveriam primar pelo bom exemplo e cuidado com o patrimônio que é da população.

Não bastasse ter o prefeito e mais três vereadores afastados por decisão da Justiça, esta semana mais uma notícia entristecedora chegou: o recebimento de um precatório no Samae, que deve se aproximar de R$1,5 milhão até sua quitação e a obrigatoriedade de pagar mensalmente um salário de R$ 9 mil para a vítima de um acidente ocasionado por veículo da referida autarquia.

É bom lembrar que o Samae já teve sua imagem abalada este ano com o afastamento do ex-diretor Vanderlei Marcírio e do funcionário Fabiano De Bonna, ambos indiciados em inquéritos da polícia civil de Urussanga.

Da dívida

Em entrevista à reportagem de Panorama SC, a diretora Magaly Bonetti Mazzucco afirmou que não há como recorrer da sentença e que o prefeito Jair Nandi está estudando, junto com o departamento jurídico da PMU, uma forma de não penalizar a população que, em última instância, é quem vai pagar mais esta conta.


Do acidente

Segundo documentos que Panorama SC teve acesso no próprio processo, no dia 24 de maio de 2006, por volta das 18h, em Florianópolis, um veículo do Samae de Urussanga que levava o então Diretor Odivaldo Bonetti e estava sendo conduzido pelo Diretor do Samae de Orleans na época - Antonio Ironildo Willemann, acabou se envolvendo em acidente de trânsito ao colidir com uma motocicleta Honda Biz C100.

A motociclista entrou com uma ação judicial e o veredicto foi de que tanto o Samae de Urussanga quanto a seguradora devem pagar pelo ocorrido, com o adendo de que o Samae de Urussanga deve incluir a vítima em sua folha de pagamento enquanto ela viver, haja vista que o acidente provocou-lhe incapacidade permanente.

Num momento de tanta dificuldade para o Samae, onde há cortes, readequações e demissões visando tirar a autarquia do vermelho em seus balancetes, a notícia chega desalentando a população que já está cansada de pagar a conta de tudo.