Polícia Civil conclui inquérito de lavagem de dinheiro da operação Sentinela




Informação repassada pelos delegados da comarca de Urussanga - Ulisses Gabriel

e Márcio Neves, dá conta de que chegou ao fim o inquérito para apurar crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, instaurado em maio do ano passado.


Segundo delegado Ulisses, durante a investigação também foi instaurado inquérito para apurar lavagem de dinheiro por parte de três líderes da organização e,ao final, constatou-se que pelo menos 5 pessoas participaram de atos de lavagem de dinheiro.

Dois dos traficantes (pai e filho) sem qualquer atividade lícita comprovada, viviam de dinheiro ilícito transformado em ilícito, onde todos eram beneficiados, inclusive suas mulheres, com movimentações financeiras, sendo que os quatro atuavam na lavagem do dinheiro sujo, especialmente através de sucessivas movimentações bancárias e compra de bens.

Para se ter uma ideia, ocorreu a prática do chamado “smurfing” (depósitos sucessivos de valores pequenos), depósito em Ponta Porã/MS, além de compras de bens.

Três dos investigados nunca declaram à Receita Federal do Brasil quaisquer bens ou valores, conforme documento da Receita Federal, ocultando todos os valores provenientes do ilícito, ainda que de forma primitiva, com reiteradas movimentações bancárias (há 14 contas relacionadas com os investigados, conforme relatório de análise técnica do LAB/LD-DEIC-PCSC, sendo 12 de titularidade dos 4, onde foram movimentados desde 2019 R$ 403.997,20.

Foram indiciados cinco indivíduos por lavagem de dinheiro e quatro por organização criminosa.


Para lembrar

Em 20 de maio de 2021 a Polícia Civil, através da Delegacia de Polícia de Urussanga, instaurou inquérito policial para apurar crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico por parte de três indivíduos.

Na investigação foram identificados outros cinco traficantes, que atuavam de forma interestadual. Também ocorreram três prisões em flagrante, uma em Urussanga/SC, uma e Cocal do Sul/SC e outra em Realeza/PR.

Ao final, foram indiciadas sete pessoas pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, tendo uma das pessoas se suicidado na cela da cadeia onde estava preso no PR.