top of page

Pecuária Urussanga- setor leiteiro passa dificuldades para manter produção

É preciso vender 2 litros de leite para pagar 1kg de ração, afirma produtor urussanguense



Desde o começo do ano os pecuaristas que trabalham na produção de leite vem enfrentando grandes dificuldades.

Não bastasse a pandemia que forçou uma diminuição drástica na venda de queijos e outros produtos lácteos comercializados em restaurantes, bares, feiras e similares; o preço dos insumos e as tributações chegaram a patamares insuportáveis, fazendo com que muitos produtores trabalhassem no vermelho.

Para saber como anda o setor em Urussanga, Panorama SC conversou com o produtor Jucemar Sangaletti.

Em sua propriedade no Belvedere, Sangaletti tem um plantel com 25 vacas e uma produção de 250 litros de leite por dia.

Ao falar sobre o momento vivido pelo setor Sangaletti afirmou que “ quem trabalha com a produção de leite o momento é de muita dificuldade para fechar as contas.

Estamos com um custo muito alto na produção, enquanto que estamos recebendo em torno de R$ 1,80 ou R$ 1,85 alguns produtores.

Então,fazendo um comparativo, se comprar um saco de milho por R$ 108,00 e um saco de soja por R$ 180,00 significa que o produtor precisa vender dois litros de leite para pagar um quilo de ração.

Isso sem contra toda a parte de silagem, que envolve a alimentação do gado.

É uma atividade que hoje está exigindo do produtor no sentido de que ele produza o máximo de alimentação em sua propriedade para depender o mínimo possível de ração, porque senão torna-se quase inviável.

Estamos vendo por esse Brasil afora muitos desistindo, porque além de seca e outros problemas climáticos que influenciam na administração de uma propriedade rural, ainda temos todos estes obstáculos como o alto custo de produção” explicou Sangaletti.

bottom of page