Palestra sobre "Cyberbullying e Crimes Digitais” inicia ciclo de palestras do OAB Vai à Escola


Levar informação, conhecimento e cidadania às instituições de ensino é o que propõe o projeto OAB Vai à Escola. Através da iniciativa, advogados e advogadas da Subseção de Criciúma realizam palestras nos 21 colégios municipais. O primeiro encontro de 2022 ocorreu na manhã desta terça-feira (16), na EMEB José Cesário da Silva, do bairro Nossa Senhora da Salete, com o tema "Cyberbullying e Crimes Digitais”. A primeira edição do programa ocorreu em 2019, mas foi interrompida por conta da pandemia. Agora, a comissão deve conduzir palestras semanalmente nas escolas de Criciúma, levando temas escolhidos pelas instituições de ensino da cidade, junto à coordenadoria pedagógica municipal. “A OAB como um braço social tem essa preocupação de disseminar a cultura jurídica nas escolas, para que os alunos tenham o conhecimento dos seus direitos, de como proceder em caso de violação deles e para que saibam como e quando procurar as autoridades públicas”, destacou o representante da diretoria da OAB Criciúma, Marco Antônio Colombi Zappelini, secretário-geral adjunto da Subseção.


Para incentivar ainda mais a participação dos alunos, foi feita uma dinâmica onde eles produziram desenhos representando a palestra realizada na escola. Essa proposta será realizada em todos os colégios pelos quais o projeto passar. Ao fim do projeto, três estudantes com as melhores artes serão presenteados. "O objetivo desta iniciativa é que eles tenham conhecimento, não só dos crimes, mas das responsabilidades, que serão levadas para vida toda. Essa é uma forma de manifestar a cidadania, conhecimento, informação para utilizarem na trajetória profissional e na vida pessoal”, comentou a presidente da Comissão OAB Vai à Escola, Fabiana Milanese Carniato.

Segundo Ana Paula de Souza dos Santos, a diretora da EMEB José Cesário da Silva, é gratificante receber este projeto na escola. “Estamos em um momento da vida dos adolescentes que é necessário trazer informações, para que eles possam perceber a necessidade de receberem isso de forma correta. O acesso a comunicação é muito grande, entretanto, nos deparamos com muitas informações deturpadas. Por isso, nós enquanto escola temos esse papel, de mostrar o caminho que se deve percorrer, para que as coisas sejam feitas da maneira correta e mais justa possível. Então nada melhor que a OAB na Escola para demonstrar isso para os alunos”, ressaltou Ana Paula.