PÁGINA TRÊS

Deputado Ulisses propõe que débitos de catarinenses não entrem para dívida pública


FOTO RODOLFO ESPÍNDOLA/ALESC


Para minimizar os impactos da crise gerada pelo coronavírus, o deputado estadual Ulisses Gabriel (PSD) protocolou, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), projeto de lei que suspende o envio de débitos dos catarinenses para a dívida ativa. A proposta vai beneficiar as pessoas que não tiverem condições, nos próximos meses, de pagar todos os impostos ou as taxas estaduais. De acordo com o parlamentar, a medida é uma solução simples que já foi tomada por outros Estados do país, como São Paulo. Caso seja aprovada, a suspensão será em caráter temporário. “A prioridade é que as pessoas tenham dinheiro para as suas necessidades mais básicas, como alimentação e remédios, e não sejam prejudicadas num momento como esse. Além disso, temos que trabalhar para que as empresas mantenham os empregos”, explica Ulisses. O contribuinte tem o nome inscrito na dívida ativa quando deixa de pagar impostos, multas ou outras taxas. O órgão público tem até 90 dias para solicitar a inscrição do devedor. Caso seja negativado, o cidadão não consegue, por exemplo, contratar um empréstimo e vender ou alugar um imóvel.


Elogiado

Prefeito de Urussanga Gustavo Cancellier foi muito elogiado durante a semana por sua postura diante do decreto de estado de calamidade em Santa Catarina. Seguiu as orientações de órgãos mundiais da saúde, do governo estadual e fez questão de criar um canal aberto para a população através das redes sociais, mantendo as informações sobre o coronavírus sempre atualizadas e apoiando as iniciativas que foram de encontro a garantir a segurança do povo urussanguense. Administrou, segundo comentários da população, a contento essa crise na área da saúde, a qual ainda não se sabe como ou quando irá finalizar no Brasil e no mundo.






Idosos no Brasil Com a informação de que os idosos são o grupo de maior risco para a Covid-19, vale saber qual percentual da população brasileira eles representam. Segundo dados divulgados no site do Ministério da Saúde, atualmente, os idosos representam 14,3% dos brasileiros, ou seja, 29,3 milhões de pessoas. De acordo com pesquisas, 25,1% dos idosos tem diabetes, 18,7% são obesos, 57,1% tem hipertensão e 66,8% tem excesso de peso. O Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil) apontou que 75,3% dos idosos brasileiros dependem exclusivamente dos serviços prestados no Sistema Único de Saúde. No Brasil, é considerado idoso quem tem 60 anos ou mais.


Destaque

O destaque da quinzena na Benedetta ficou para o vereador e secretário de saúde Marcos Roberto Silveira, o Marquinho(foto ao lado) que mostrou serenidade e sabedoria para coordenar as ações necessárias ao combate do Covid-19. Show de horrores Foi o que se ouviu e se leu em redes sociais da internet essa semana, após pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro. Defensores e opositores do Chefe da Nação transformaram o mundo virtual num ringue digno de Muhammady Ali e Mike Tyson. Só não conseguiram nocautear o coronavírus. Show de horrores II Fora a luta de esquerda/direita, outra guerra foi vista nas redes sociais entre empresários e industriais com representantes da área de saúde. Enquanto o pessoal que lida com números exigia a retomada das atividades e o fim do isolamento, o pessoal que lida com vidas se manifestava a favor de manter tudo fechado. Às vezes, com alguns da mesma área discordando sobre as medidas de contenção e a gravidade do novo vírus. Saúde O Brasil precisará de aproximadamente 4,5 milhões de enfermeiros, 1 milhão de médicos e 4 milhões de professores no ano de 2040. Informação é do Banco Interamericano de Desenvolvimento- BID. Cumprimentos A todos os profissionais de todas as áreas que saíram de suas casas para trabalhar neste período de quarentena, garantindo os serviços básicos para a população, um registro de agradecimento e admiração.