Operação Benedetta - Prefeito Gustavo e servidores são afastados

Novas informações dão conta de que os R$ 80 mil foram encontrados na casa de ex-servidor de Urussanga

Foto: Polícia Federal/Divulgação e Jornal Panorama SC


Prestes a comemorar seus 143 anos de fundação, o município de Urussanga aparece a nível nacional em notícia da Polícia Federal, com uma operação que usa o apelido carinhoso dado pela população a sua cidade- Operação Benedetta.

Logo cedo, viaturas da PF foram vistas estacionadas defronte a sede da Prefeitura Municipal, residência do prefeito Gustavo Cancellier e de outros servidores.

Isso porque foi deflagrada na manhã dessa quinta-feira 20/5, uma operação denominada Operação Benedetta para investigação de suspeita de má aplicação e desvio de recursos públicos contratados por prefeituras de Santa Catarina com a Caixa Econômica Federal.

O famoso empréstimo do FINISA para obras, entre elas a pavimentação asfáltica.

Dezoito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em cinco cidades do estado contra servidores públicos e empresários.

Os documentos foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) após nove meses de investigação. Cerca de 75 policiais cumpriram os mandados em Urussanga, Orleans, Siderópolis, Tubarão e Criciúma, em endereços vinculados a empresas e órgãos públicos.

Segundo a PF, a primeira fase desta Operação Benedetta busca encontrar indícios das supostas fraudes que teriam ocorrido em obras de pavimentação.

Além disso, a polícia quer identificar a eventual participação de servidores públicos no esquema.

A suspeita é de que em apenas uma das obras em um destes municípios, teriam sido desviados R$ 300 mil.

Informação divulgada na rádio Som Maior dava conta de que R$ 80 mil foram apreendidos na residência do prefeito Gustavo Cancellier e, ainda,na coluna da jornalista Karina Manarin, a informação de que o veículo utilizado pela 1ª Dama foi apreendido. Mas, esta informação foi contestada, por volta das 13h50min, e, segundo fonte local em ligação para o Jornal Panorama, os R$ 80 mil teriam sido encontrados na residência de um ex- servidor da PMU.

Conforme verificação da reportagem de Panorama, documentos também foram arrecadados na Prefeitura e departamentos da administração municipal.

Além disso, ofício do Tribunal Regional Federal da 4ª região, encaminhado ao presidente da Câmara Odivaldo Bonetti, informa a decisão que obriga o afastamento da sede da PMU para o prefeito Luiz Gustavo Cancellier e seu irmão Silvio Luiz Cancellier, e os servidores Aleckssandra Maccari Rodrigues, Cimara Furlan Redivo ( filha do ex-prefeito de Orleans Jacinto Redivo, que já foi alvo de denúncia do MP por prática de nepotismo durante seu mandato) . Também ex-servidores Emerson Jeremias e Clezio Freccia ( marido da professora que fez vídeo dentro de uma escola para apoiar o atual prefeito em sua campanha eleitoral) estão proibidos de chegar perto da PMU pelos próximos 180 dias.

Informações extraoficiais dão conta de que uma das suspeitas de desvio é referente ao pagamento da mesma nota várias vezes, além de excesso de horas de máquinas.

A partir de agora, o vice-prefeito Jair Nandi assume o cargo de prefeito.

Reportagem de Panorama SC está tentando buscar mais informações e, assim que houver outras novidades ou explicações por parte da administração municipal, estaremos repassando aos nossos leitores.