No Dia Internacional da Reciclagem Cirsures comemora resultados positivos


Na próxima segunda-feira ,17 de maio, é comemorado o Dia Internacional da Reciclagem, data que foi instituída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência, e a Cultura- UNESCO visando estimular a reflexão sobre a importância de fazer o descarte correto dos itens que consumimos.

Com o crescimento da industrialização, o lixo se tornou um problema ambiental e a reciclagem permite que boa parte dos resíduos gerados voltem à cadeia de valor, minimizando os impactos do descarte.

Para se ter noção do tamanho do problema, basta saber que o Brasil é o quarto maior produtor de lixo no mundo e, mesmo assim, a reciclagem por aqui ainda é muito baixa. Segundo levantamento do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), com dados de 2018/2019, nosso país produz cerca de 55 trilhões de quilos de lixo por ano, e a porcentagem desse lixo que vai para a reciclagem é de apenas 1,28%. Sendo assim, cada brasileiro gera cerca de 1,15 kg por dia.


Em Urussanga

A preocupação com esta questão tornou Urussanga pioneira no estado catarinense quando, em 2008, teve início o Programa de Coleta Seletiva do Cirsures.

Após 13 anos em funcionamento e abrangendo os 7 municípios do consórcio, pode-se dizer que o resultado é exitoso.

Segundo o Diretor do Cirsures e Eng. Ambiental Thiago Maragno Biava, “em 2020 foram recolhidos nos municípios consorciados um total de 19.308,69 toneladas de RSU(resíduos sólidos urbanos), assim sendo, 173,63 toneladas a mais que o ano anterior (2019). Por outro lado, a Coleta Seletiva coletou 1.040,49 toneladas de recicláveis, 61,56 toneladas a mais em comparação com o ano de 2019, o percentual de crescimento foi de aproximadamente 6,29% em relação a 2020, ou seja, o estudo aponta avanços significativos no volume de recicláveis coletados. Comparando com o ano de 2013, quando o programa se tornou intermunicipal, este ano foram recolhidas cerca de 919,58 toneladas de recicláveis a mais, quando só participavam do consórcio os municípios de Cocal do Sul e Urussanga, isto é, com a adesão dos outros municípios, entre outros fatores relacionados, houve um aumento na coleta de recicláveis de aproximadamente 760,55%.” explicou Thiago ao acrescentar que “no ano de 2020 para evitar a propagação do vírus, e assim, minimizar os impactos da Covid-19, o Cirsures paralisou temporariamente, no mês de março, por 15 dias a coleta seletiva de recicláveis, bem como suspendeu por tempo indeterminado a triagem de materiais oriundos da coleta convencional, o que impactou diretamente nos números do programa. A perda de material projetada nesse período de parada foi de aproximadamente 40 toneladas.

No período de pausa houve uma queda acentuada na quantidade de material recolhido pela coleta seletiva, porém, apesar desta particularidade quando se trata de números da coleta seletiva os mesmos crescem de forma gradativa, confirmando o êxito do programa. Se não ocorresse a paralisação da coleta seletiva, bem como, das atividades de educação ambiental o Cirsures registraria avanços ainda maiores no volume de recicláveis coletados em 2020.

Mesmo com a pandemia e com a parada houve aumento dos índices da coleta seletiva” concluiu o coordenador.


O que se coleta

O Cirsures coleta: Plástico (garrafas de água e de refrigerantes, brinquedos, embalagens de produto de higiene e limpeza, utensílios domésticos, baldes, bacias, descartáveis, sacolas, pvc, embalagem de produtos alimentícios, e outras peças plásticas), Metal (latas de aço e alumínio, aerossol, pregos, parafusos, arames, fios e objetos de cobre, zinco, ferro, latão e outras sucatas, latas vazias de tinta, panelas e outras peças metálicas), Vidro (garrafas, copos, potes de alimentos, conservas), Papel (embalagens cartonadas (leite, suco, achocolatado, etc.), jornais, revistas, folhas de papel, sacolas, caixas de papel e papelão,) Isopor (Embalagens e produtos em isopor ou EPS).

Já o Gerente de Projetos do Cirsures e Eng. Químico Lindomar Caciatore Júnior, disse que atualmente a coleta é realizada em todos os municípios e atente 83 bairros divididos em 18 rotas, assistindo 63,1% de toda a população do consórcio (71.008 habitantes). O Cirsures recolhe como recicláveis a média de 5,11% de todo os resíduos descartados nos municípios consorciados, um valor expressivo, se comparado em nível nacional (3,74%, SNIR 2019).

Com relação a metas, o plano de gerenciamento de resíduos sólidos não estabelece percentual de recolhimento (relação entre a quantidade de recicláveis e o total de resíduos sólidos urbanos) a ser alcançado pelo Programa de Coleta Seletiva. O valor de 10%, foi colocado como uma meta entre os técnicos do Cirsures para ser alcançada, porém com a estrutura existente hoje, a meta acima citada não foi alcançada. Outro fator que interfere nos índices da coleta seletiva é a presença de catadores autônomos e clandestinos que vem fazendo o recolhimento do material reciclável separado pela população nas residências antes da equipe da coleta seletiva do Cirsures.

Desde o início do programa, já foram recolhidas quase 6 mil toneladas de materiais recicláveis, que seriam dispostos no aterro diminuindo sua vida útil.


A sensibilização

A Educação Ambiental está entre as principais ações desenvolvidas pelo consórcio. A implementação de ações de educação ambiental formal e informal por parte do Cirsures visa através da conscientização e sensibilização da população a redução na geração de resíduos sólidos, incentivando a separação de resíduos na fonte, assim favorecendo o retorno do resíduo reciclável à cadeia produtiva e contribuindo para reduzir o volume de material a ser disposto no aterro sanitário, o que proporciona significativo ganho ao meio ambiente e à sociedade, evitando a proliferação de doenças, gerando trabalho e renda e economia de recursos naturais.

Além das campanhas educativas divulgadas na mídia ou uso de panfletos, há também a apresentação de palestras em escolas, clubes e associações organizadas e também em visitas ao próprio aterro sanitário do Cirsures.

Em 2017, o Cirsures inaugurou junto ao aterro sanitário o auditório de educação ambiental “Luiz Maffioletti” todo equipado para o desenvolvimento das palestras educativas, onde já recebeu mais de 2.000 pessoas, como alunos da rede municipal, estadual e privada dos sete municípios, dos clubes de mães e idosos, agentes de saúde, grupos e associações organizadas.

No aterro sanitário, os visitantes são convidados a assistir a uma palestra que apresenta todo funcionamento do aterro sanitário, bem como o processo de coleta dos materiais recicláveis até a sede do Cirsures, aborda também assuntos como consumo, geração, descarte e consequências dos resíduos sólidos, reciclagem e meio ambiente, onde os ouvintes participam de forma dinâmica com comentários e questionamentos.

Após a palestra, os visitantes são conduzidos pela engenheira ambiental responsável pelo Programa de Coleta Seletiva ao aterro sanitário- a Engenheira Sanitarista Ambiental Graziela Apolinário Bolan, a fim de visualizarem algumas etapas do processo de gerenciamento dos resíduos. Ao final os estudantes são convidados a conhecer a Cooperamérica - Cooperativa de Recicladores do Rio América, onde podem observar os procedimentos de triagem, pesagem e compactação dos materiais recicláveis. Após a conclusão da visita os participantes recebem como lembrança um copo personalizado do Cirsures.

No ano de 2020, devido ao cenário imposto pelo COVID-19 as visitas orientadas ao aterro sanitário do Cirsures foram suspensas