top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Meio ambiente e bem-estar animal discutidos na Câmara

O bem-estar animal e o meio ambiente foram os assuntos que abriram a reunião ordinária da terça-feira 11/04, na Câmara de Urussanga. O coordenador do Conselho Municipal do Bem-Estar Animal (Combea) - Pedro Célio Pereira, e o diretor municipal de Meio Ambiente- Marcio Moreira de Lima, compareceram ao Legislativo em atendimento a convite feito por requerimentos de autoria do vereador Luan Varnier (MDB). O engenheiro agrônomo Henrique Preve, da Prefeitura de Urussanga, também esteve na Câmara, acompanhando o diretor de Meio Ambiente.


No que diz respeito ao trabalho do Combea, de acordo com Pedro(foto), a quantidade de animais abandonados no município é um fator que torna os processos mais difíceis. Segundo ele, são recebidos cerca de quatro a cinco pedidos de ajuda por dia. “Todos nós temos que respeitar os animais e cuidar deles, porque é um dever de toda a sociedade”, afirmou.

Entre os trabalhos realizados pelo Conselho, estão o tratamento de animais de rua, campanhas de castração, incentivo à adoção, vacinação de animais de famílias de baixa renda, ações de conscientização e atendimento a denúncias.

Segundo ele, como resultado de um convênio com o hospital veterinário da Unibave, foram realizados 85 atendimentos clínicos, 40 procedimentos de chipagem e 55 castrações desde o ano passado.

Também foi discutido o trabalho de Maria Vieira, moradora de Santaninha, que abriga dezenas de cães em seu sítio. Pedro informou que ela recebe apoio do município por meio do órgão, que faz a doação de 500 quilos de ração por mês.


Henrique Preve e Marcio


O diretor municipal do Meio Ambiente- Marcio Moreira de Lima, detalhou os trabalhos do setor responsável por ações como educação ambiental, licenciamento, fiscalização, atendimento a denúncias e acompanhamento da recuperação de áreas degradadas. A Diretoria de Meio Ambiente (DMA), criada em março de 2022, faz parte da Secretaria de Desenvolvimento do município.Desde então, conforme dados apresentados na Câmara, foram 94 processos realizados pela DMA, com prazo médio de 15 dias úteis e eficiência de 88%.

De acordo com Marcio, a lei 3.045, aprovada no ano passado, reduziu em até 60% as taxas de licenciamento ambiental em Urussanga, que estavam entre as mais altas da região.Ele informou ainda que Urussanga não dispõe de mapeamento de fragilidades ambientais do município.

Comments


bottom of page