top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

MAURO PAES CORREA

Não é a primeira vez



A Microsoft parece ter criado uma tradição de que em alguns anos, insiste em cometer erros que chamam a atenção do usuário. No finado Windows Vista, a reclamação geral era da velocidade de transferência de arquivos via rede, que após uma atualização, teve o seu problema resolvido.

No Windows 11 em sua atualização denominada de Moment 2, os discos de armazenamento de dados, conhecidos como discos rígidos, em especial os mais novos, com tecnologia SSD, que traz velocidade considerável ao desempenho dos computadores, foram as “vítimas” do erro da Microsoft. Segundo inúmeros relatos, o desempenho dos discos fica além do esperado, causando lentidões no sistema.

Queira ou não, a Microsoft sabe muito bem que estes deslizes impactam negativamente na imagem do sistema, principalmente com o velho estigma de lançar eventualmente algumas versões nada aproveitáveis do sistema. Até o Windows 98, todas as versões trouxeram ganho de mercado e satisfação dos usuários, mesmo com as antigas “telas azuis da morte”. O Windows Millenium, que tinha inúmeras novidades, não caiu no gosto do usuário, da mesma forma que o Windows Vista.

Também é recomendável, fazer a atualização para o novo sistema, inclusive a partir do Windows 10, que avisa o usuário que seu computador é compatível com a nova atualização e que é possível aproveitar o novo sistema, sempre com o foco na segurança de suas informações.

Ainda assim, mesmo com estes imprevistos, não há desculpas para que os usuários desativem as atualizações de segurança ou do sistema. Se você estiver sofrendo com o problema, aguarde a atualização, que pode sair a qualquer tempo. Com o reparo, o Windows 11 voltará a ser um bom sistema, evitando que o novo sistema tenha o mesmo estigma dos seus irmãos “azarados”.


bottom of page