MAURO PAES CORREA

Vai faltar lítio?


Esta pergunta está causando surpresa no mercado da tecnologia, que utiliza o lítio em vários segmentos. Usamos o lítio na computação desde sempre, principalmente após a expansão da computação pessoal e de forma extrema, com o início da popularização dos celulares. O lítio, se você ainda não sabe, é utilizado principalmente como mineral que armazena energia elétrica, pois é utilizada na fabricação de bateria.

Além dos computadores e smartphones, o maior mercado consumidor do minério é a da indústria de carros elétricos. Para que cada carro possa circular pelas ruas e até mesmo rodovias, grandes placas de baterias são necessárias para manter a autonomia do veículo. Eis o grande problema, pois segundo vários especialistas e até mesmo a indústria extrativa do minério, informa que “ao que tudo indica”, vai faltar lítio se toda a frota de veículos migrar para motores elétricos.

Como todos os minérios da terra não são renováveis, a solução clássica e conhecida de todos, possivelmente possa ser implementada com o lítio: a reciclagem dos materiais. É verdade que as empresas de baterias veiculares fazem o recolhimento das baterias usadas para reciclagem, do mesmo modo que as ações de engajamento da população para a entrega em postos de coleta de materiais eletrônicos (que muitas vezes contém lítio), possivelmente vá minimizar o problema ou até mesmo eliminá-lo à curto prazo.

Economicamente, o lítio ainda é a opção mais prática para armazenamento de energia e diante do explosivo aumento do consumo do minério, precisamos de novas fontes de armazenamento de energia, assunto que desperta inúmeras pesquisas, que além de contribuírem para o meio ambiente, podem tornar-se um novo “boom” econômico para muitos países.

Em todas as cidades atendidas pelo CIRSURES, ações de recolhimento de inúmeros materiais, iniciando-se justamente por pilhas e baterias usadas, são uma excelente sugestão para você dar o destino correto para todo o material obsoleto que ocupa espaço em sua casa e que até então, acabavam indo direto para o lixo.

Com um pequeno esforço, basta recolher todos estes materiais, encontrar os postos de coleta (no centro de Urussanga, haverá um) e entrega-los de consciência tranquila, pois você estará realizando seu dever com a natureza e principalmente com a cidade.

Para finalizar, faço aquela pergunta que nos tira do comodismo: e você, já descartou corretamente suas pilhas, baterias ou eletrônicos recentemente?