MAURO PAES CORREA

O PIX decolou!


O PIX foi uma grande aposta do Banco Central, em permitir a transações em tempo instantâneo, de diferente formas, seja por QR Code, transferências por algum identificador (celular, e-mail, CPF , CNPJ ou dado aleatório). Deu certo? Presumo que sim, à julgar pelo uso do próprio comércio local e a facilidade de uma parcela da população em aderir ao serviço.

A primeira vantagem, é que o serviço para pessoas físicas até o momento, é gratuito. Você tem à sua disposição um serviço muito melhor que o TED ou DOC, pois é feito instantaneamente e agora o governo federal também recebe seus tributos através da nova plataforma de pagamento, facilitando a vida dos empreendedores. A segunda vantagem é a bancarização dos excluídos. Digo excluídos, pois até antes do início do auxílio emergencial, 50% da população brasileira ainda não tinha acesso aos serviços de um banco. Bem diferente de pagar contas (boletos, água, luz e outros em lotéricas), que fazem parte do nosso dia à dia. O pagamento do auxílio emergencial, de forma indireta, permitiu o cadastramento de milhões de pessoas no sistema bancário. Agora que elas tem acesso, de alguma forma, é possível usar os bons recursos que ela possui, inclusive o PIX.

Digo que indiretamente, foi uma boa consequência do Auxílio Emergencial. Os números, falando-se em PIX, comprovam o que escrevo: mais de 50% das transações bancárias, já são feitas com o PIX.

Aos que ainda não aderiram ao PIX: recomendo fortemente a adesão ao PIX, seguindo exatamente as orientações de seu banco. É gratuito, facilita a transferência de valores e o principal, por funcionar 24 horas por dia, em algum momento, acaba salvando você.

Apenas vou citar um exemplo: você está em uma viagem no interior, conhecendo as maravilhas do nosso estado e apenas levou o cartão de débito/crédito e o celular.

Resolveu parar para descansar e observar a natureza e é claro, próximo há um lugar que vende água e suco. Você está sem dinheiro e o estabelecimento não possui maquininha.

A pergunta mágica será: vocês tem PIX? O pequeno empreendedor, certamente terá. Instantaneamente, caso haja cobertura de Internet, você transfere o pagamento do valor da água ou suco consumido. É simples? Certamente e esta é a grande ideia do PIX. Fiz minhas visitas ao comércio local e constatei que uma parcela significativa já possui o serviço. Tem PIX, pergunto: a grande maioria responde que sim, na ausência de uma maquininha ou servindo de opção à mais de pagamento para o cliente. Para os comerciantes, consumidores e a sociedade em geral, é um grande ganho.

O Brasil, no quesito de evolução bancária, é um grande exemplo à nível mundial. Quanto à taxas de serviços bancários, as fintechs (bancos digitais), prometem uma rivalidade grande contra os grandes bancos. Nós, consumidores e a classe comercial, saem ganhando.

O objetivo neste momento, é manter a base de clientes e não perder clientes. Quando lembrar em fazer DOC ou TED, lembre em PIX.