MAURO PAES CORREA

E a pirataria?



A pirataria é um problema que existe desde os primórdios da informática. Começou com os sistemas operacionais, que eram facilmente copiados de forma pirata e acabou entrando nos softwares.

A realidade é bem clara: muitos softwares, músicas e livros ainda são utilizados sem o pagamento às partes interessadas.

A pirataria minimizou?


Em partes, sim. As músicas, por exemplo, deixaram de ser pirateadas de forma tão banal, como no passado. Os streamings de música, ajudaram neste processo de educação do usuário.

O mesmo acontece com os filmes, com as distribuidoras de conteúdo inserindo seus conteúdos nas mais diversas plataformas.

Ainda copia-se ilegalmente filmes, furta-se sinal de televisão, via satélite ou streaming, e livros, que transitam à todo o lado via PDF. A preocupação com a pirataria levou recentemente as gigantes da tecnologia à unirem-se em comum acordo, para utilizar suas ferramentas para detectar usuários que baixam algum tipo de conteúdo pirata. Nos Estados Unidos, a lei funciona. Pirateou, responde nos rigores da Lei. Bem diferente daqui, mas os esperançosos estão otimistas. A maior plataforma de livros impressos e online (e-books), projeta crescimento significativo no mercado de livros digitais. Há uma modalidade de assinatura, que disponibiliza gratuitamente milhões de livros e os autores, são recompensados por página lida. Um bom negócio para ambas as partes. No Brasil, a expectativa de crescimento de mercado é de 10%. O mesmo vale para outros setores, uma vez que o país ainda tem enorme potencial de consumo de plataformas digitais. Se alguém paga por um conteúdo, a pirataria diminui. Esta é a esperança. Há dez anos, ninguém imaginaria que a pirataria fosse impactada pela tecnologia.Outra esperança é que o 5G, que será implementado de forma gradual, traga facilidade no acesso à conteúdo oficial, facilitando ainda mais a vida do internauta. Se todos os softwares e arquivos de multimídia fossem pagos no mundo, seriam gerados mais de cem mil empregos, oferta e capacitação de cursos para as mais diversas áreas e uma infinidade de benesses para a sociedade.

Quem consome pirataria, desestimula o mercado, desrespeita diversas leis e dificulta o fomento da indústria de tecnologia e entretenimento, ainda mais no Brasil, que necessita imensamente de novos talentos nos mais diversos mercados.