MAURO PAES CORREA

Barato para você, caro para as operadoras



Não adianta fugir dos fatos: a implementação do 5G em qualquer localidade, independente da tecnologia utilizada, não vai ser nada barata. Isso se os interessados realmente quiserem ter toda uma base de cobertura, como por exemplo em nossa cidade.

Vou lhe explicar o motivo da tecnologia ser tão cara para as operadoras: é necessário, independentemente do modelo, que as torres estejam próximas entre si para a perfeita comunicação, pois a velha lei das telecomunicações ainda persiste, de certa forma: quanto maior a velocidade de uma comunicação, menor o distanciamento dos equipamentos de conexão. Esta regra é praticamente “de ouro”, em conexões sem fio, inclusive móveis.

Vamos imaginar o cenário de Urussanga: é uma cidade com um centro com maior densidade demográfica, ou seja, mais pessoas morando. Logo, é óbvio que a primeira localidade à talvez usufruir da nova tecnologia, seria o centro. Mas os bairros do interior, onde a densidade demográfica é bem menor? O custo inicial, é bastante alto.

Como esta tecnologia compensaria para as operadoras? Desde que praticamente todos os moradores a utilizassem, assim como já usamos o 3G ou 4G onde há cobertura de sinal. Senão, é inviável a implementação de cobertura, afinal todas as operadoras já aprenderam com seus erros no passado.

Muito bem, tecnologia implementada em estágio inicial, sinal 5G despontando na cidade. Por qual motivo é barato para você? Unicamente pela necessidade dos fabricantes de smartphones, que naturalmente travam uma batalha cruel para conquistar seu gosto (e seu bolso). Os novos modelos, aqueles mais “parrudos” (e caros), já vem com suporte a tecnologia. Se você ler mesmo em inglês a palavra 5G Ready (significa na tradução livre, preparado para o 5G), pode adquirir tranquilamente o equipamento. Ele suportará todas as tecnologias de comunicação sem fio, inclusive as anteriores. É necessário que em todas elas, exista a possibilidade de intercomunicação. É regra, criada desde os primórdios das telecomunicações.

Sinceramente, acredito que os planos não vão mudar de preço, mas os novos pacotes sim. Você não terá mais pacotes de 5, 10, 20 ou 30GB. Você terá pacotes muito maiores, pois a velocidade de conexão é muito rápida. Verá seus filmes e seriados, além dos conteúdos gratuitos do Youtube, sem problema algum. As operadoras vão lançar pacotes bem maiores e cabe a você a escolha do qual se adaptará à sua realidade.

Em tecnologia, sempre é bom relembrar: quando a tecnologia torna-se padrão (chamamos de default, que é a tradução de padrão), via de regra temos o barateamento de toda a cadeia de equipamentos, seja para as operadoras ou para os clientes.

A tecnologia nunca estaciona no tempo. Ela pode de certa forma ter um ciclo maior, mas com o passar dos anos, vira obsoleta. Basta lembrar da própria evolução da tecnologia móvel. Talvez você já tenha no passado, feito ligações com um Nokia (que dominava o mercado), com uma tela simples apenas para discar. Para o momento, era o máximo da evolução, poder nos comunicar facilmente. E o momento atual? Traz gritantes mudanças, muitas delas positivas, assim como o 5G. Basta fazer bom uso, como tudo na vida.