top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

MAURO PAES CORREA

Agro é tech


Precisamos falar da agricultura e pecuária. Com certeza a evolução agrícola ocorre em várias partes do Brasil, principalmente no quesito da mecanização.

Na parte de novas tecnologias, que auxiliem o aproveitamento máximo do solo, insumos e menor uso de atividade humana no campo, ainda é possível perceber grandes disparidades.

Tenho olhado com atenção alguns projetos bem interessantes, que talvez você não saiba, mas trazem enorme benefício para o agricultor.

Alguns exemplos são o uso de drones que rastreiam plantações de eucalipto em busca de animais nocivos à cultura ou qualquer anomalia.

Outro uso comum do drone é o acompanhamento de rebanhos, que podem identificar em tempo real ou após o seu uso, a existência de estranhos cerca rompida ou qualquer outro “perrengue” para o pecuarista.

Temos outros exemplos, com o uso de dispositivos miniaturizados que fazem praticamente tudo: analisam o solo, verificam o PH, trazem umidade e uma série de informações. Estes pequenos dispositivos podem ser utilizados em todas as áreas do campo, sem exceção.

Imagine quanta modernização é possível no campo.

Trago estes exemplos para que os nossos agricultores, independente do seu porte, busquem aos poucos integrarem novas tecnologias para continuarem no campo.

Concordo que a vida no campo muitas vezes é difícil, há secas, excesso de chuva e outras adversidades, mas tenho plena convicção que no geral, nossos agricultores são resilientes, lutadores. Heróis.

O primeiro passo para transformar o agro em tech (de tecnologia) é buscar soluções inteligentes para o seu setor. Na viticultura, algumas ações positivas estão sendo feitas no RS. Aqui, há experimentos com milho transgênico. Como diz o nonno, “quem tem boca vai à Roma”, não custa nada procurar alguma nova tecnologia. Muitas delas talvez até não caibam no bolso de quem vive do campo de forma imediata, mas trazem ótimos resultados à médio e longo prazo.

Ao mesmo tempo, também não tira o emprego de quem faz as atividades laborais no campo. Trabalhadores podem ser remanejados para operaremcos novos equipamentos e até mesmo permitir a expansão do negócio agropecuário.

Sempre vi a tecnologia como um negócio em que todos ganham.

Profissões até podem deixar de existir e ao mesmo tempo, são criadas outras vagas.

Se eu não tivesse estudado sobre tecnologia, onde estaria?

Na roça, com toda certeza e enorme carinho em trabalhar no campo.

Sou filho do campo e nada mais justo que trazer iniciativas em forma de notícias para os leitores.

Apenas finalizando, alguns anos atrás uma emissora de televisão já falava em seus horários de comerciais, sobre o fato de que o Agro é tech e que este setor neste momento e nos próximos anos, será impactado fortemente pela tecnologia.

bottom of page