MAURO PAES

As trapalhadas de Elon Musk





Comprar o Twitter foi um grande acerto, em termos de negócio. Ter uma base de centenas de milhões de usuários e a capacidade de oferecer serviços, sistema aperfeiçoado de anúncios e a praticidade da rede, que foi a primeira a utilizar limite de caracteres, aumentando a criatividade de expressão e “modernizando”, com a criação de muitas novas palavras da internet.

Os erros de Musk parecem infantis, diante da genialidade do multimilionário.

Primeiro ,demite parte da força de trabalho sem ao menos sua equipe conhecer o trabalho e a importância de cada um. Resultado?

Em duas semanas, o pássaro azul ficou de asas cortadas, sem equipes de desenvolvimento, suporte, atualização de produto e outras.

Fica mais evidente a sequência de trapalhadas, quando as pessoas demitidas recebem “um carinhoso pedido” de recontratação. Como assim, demitir e recontratar?

Grande parte, está totalmente desconfiada. Conhecendo Musk, vai recontratar pagando menos?

Possivelmente, sim.

Outro detalhe é que grande parte da mão de obra que estava no Twitter é competente o suficiente para trabalhar em outras empresas, independente o porte.

Na área de tecnologia de forma geral (mas não aqui em terras tupiniquins), valoriza-se muito os conhecimentos adquiridos.

O salário entre um e outro colega é diferenciado principalmente diante dos conhecimentos que são utilizados para resolver e agregar lucro, objetivo de toda empresa.

Diante de toda trapalhada, uma pequena rede, construída há anos, no mesmo perfil do Twitter, vem ganhando usuários.

É a rede Mastodon, que alcançou “incríveis” um milhão de usuários.

Certamente, vai despertar a atenção do público e investidores.